Publicidade

Pauta de costumes "não tem nada a ver com realidade que estamos vivendo", comenta Lula sobre PL do aborto

Para presidente, debate é "cru" e assunto deveria ser razões que motivam necessidade do procedimento: "Estamos retrocedendo nesta pauta"

Pauta de costumes "não tem nada a ver com realidade que estamos vivendo", comenta Lula sobre PL do aborto
"O tema Brasil não é esse", disse o presidente da República | Rafa Neddermeyer/Agência Brasil
Publicidade

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) comentou, nesta terça-feira (18), que a pauta de costumes "não tem nada a ver com realidade que estamos vivendo" ao comentar tramitação do projeto de lei Antiaborto por Estupro (PL nº 1.904 de 2024) na Câmara dos Deputados.

Segundo declarou o petista em entrevista à rádio CBN, "esse negócio de ficar discutindo o aborto legal" é um "debate cru". O PL equipara o procedimento acima de 22 semanas de gestação ao homicídio simples e teve regime de urgência aprovado na última quarta (12), em votação que durou 23 segundos e foi organizada pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Para Lula, o assunto deveria ser outro: as razões pelas quais o procedimento se faz necessário, sobretudo em crianças. Ele fez referência a casos de estupro contra menores, provocando gravidez. "Estamos no século XXI e estamos retrocedendo nesta pauta", disse o chefe do Executivo, apontando que é preciso combater abuso, violação do corpo e da vontade de mulheres. Também lamentou a falta de políticas públicas de educação sexual.

“Eu, Luiz Inácio Lula da Silva, sou contra o aborto, para ficar bem claro. Agora, enquanto chefe de Estado, o aborto deve ser tratado como assunto de saúde pública. Porque você não pode continuar permitindo que a madame vá fazer o aborto em Paris e que uma coitada morra em casa, tentando furar o útero com uma agulha de tricô", exemplificou.

Lula indicou que, em muitos casos, crianças e adolescentes "escondem" a gravidez por medo da reação dos pais. "Ela esconde de todo mundo, quando vai cuidar, já está adiantado [...] Então, eu acho que precisaríamos estar discutindo outra coisa. A gente vai ter ou não que levar educação sexual para as escolas? A gente vai ter que ensinar meninos e meninas a se comportar?", questionou. "Este é o drama que estamos vivendo", disse.

Segundo analisou o presidente, "é preciso, de forma civilizada, a gente discutir" o assunto com seriedade. "Esta discussão é um pouco mais madura, não é banal", declarou ao comentar fala de deputados religiosos que disseram, após forte repercussão do tema, que o PL era uma forma de "testar" a isonomia de Lula. "Eu não preciso de teste, quem precisa de teste são eles", disse.

"O que é triste é que um deputado apresenta um projeto de lei em que o estuprador pode pegar uma pena menor que a estuprada. O que é isso? [...] Essa coisa nem deveria ter entrado em pauta [...] o tema do Brasil não é esse", continuou.

O presidente também negou ter supostamente subestimado opositores no Congresso. "Não subestimei, não, porque eles estão fazendo o papel que eles sempre souberam fazer".

Para Lula, o país não tinha a experiência de uma "extrema direita ativista" como tem hoje. "É uma extrema direita pouco pragmática na política e muito nas mentiras", analisou.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Governo Lula
Lula
Aborto
Congresso Nacional
Câmara

Últimas notícias

Biden volta a se pronunciar sobre atentado contra Trump: "política não deve ser campo de matança"

Biden volta a se pronunciar sobre atentado contra Trump: "política não deve ser campo de matança"

Presidente dos EUA defendeu democracia como arena para debates pacíficos
Pagamentos do Bolsa Família começam nesta semana; veja datas

Pagamentos do Bolsa Família começam nesta semana; veja datas

Benefício é destinado a famílias com renda per capita de até R$ 218
SBT News na TV: Nego Di é preso por golpe de R$ 5 milhões em rifa virtual

SBT News na TV: Nego Di é preso por golpe de R$ 5 milhões em rifa virtual

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta segunda-feira (15); assista!
Vídeo: Nego Di chega algemado ao Palácio da Polícia em Porto Alegre após ser preso por estelionato

Vídeo: Nego Di chega algemado ao Palácio da Polícia em Porto Alegre após ser preso por estelionato

Ele é suspeito de aplicar um golpe de rifa virtual que causou prejuízo de R$ 5 milhões a clientes
Após identificar atirador, FBI busca informações sobre a motivação do atentado contra Trump

Após identificar atirador, FBI busca informações sobre a motivação do atentado contra Trump

O diretor da polícia dos Estados Unidos declarou que as autoridades “não deixarão pedra sobre pedra” na investigação sobre a tentativa de assassinato
Jornalismo ambiental e de dados e pautas sociais foram destaques no Congresso da Abraji

Jornalismo ambiental e de dados e pautas sociais foram destaques no Congresso da Abraji

19º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo terminou neste domingo (14), em São Paulo
Vítima de atentado contra Trump morreu tentando proteger sua família

Vítima de atentado contra Trump morreu tentando proteger sua família

Corey Comperatore, de 50 anos, era bombeiro e tinha duas filhas. Ele morreu pelos disparos de Thomas Crooks. Outros dois homens foram feridos gravemente
Lula lamenta morte do pai do ex-governador do Rio Sergio Cabral

Lula lamenta morte do pai do ex-governador do Rio Sergio Cabral

Em nota de pesar, o presidente da República ressaltou, entre outros atributos, a “irreverência” na carreira do jornalista, que faleceu aos 87 anos
Atentado a Trump eleva valor do bitcoin, que supera o patamar de US$ 60 mil

Atentado a Trump eleva valor do bitcoin, que supera o patamar de US$ 60 mil

Segundo analistas, chance de retorno do ex-presidente ao poder aumentou, e ele é a favor da desregulamentação do mercado financeiro
Responsável por atentado contra Trump agiu sozinho, afirma FBI

Responsável por atentado contra Trump agiu sozinho, afirma FBI

Thomas Matthew Crooks, de 20 anos, foi o atirador que tentou assassinar Donald Trump
Publicidade
Publicidade