Publicidade

Multinacionais alemãs apelam por políticas climáticas ambiciosas

Em carta aberta, 69 companhias pedem medidas para atingir as metas do Acordo de Paris (COP-21)

Multinacionais alemãs apelam por políticas climáticas ambiciosas
fumaça saindo de uma indústria alemã
Publicidade

Em carta aberta divulgada nesta 2ª feira (11.out), empresas multinacionais alemãs fizeram um apelo ao próximo governo do país por políticas climáticas ambiciosas. As 69 companhias signatárias pedem por medidas que sejam capazes de atingir as metas do Acordo de Paris -- 21ª Conferência do Clima (COP-21). 

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Entre as multinacionais que assinaram a carta, nota-se a presença de gigantes mundiais, como a farmacêutica Bayer, a produtora de aço e outros equipamentos ThyssenKrupp e a companhia de artigos esportivos Puma. Juntas, as 69 empresas possuem um faturamento anual de cerca de 1 trilhão de euros e empregam mais de 5 milhões de pessoas ao redor do globo. 

O principal objetivo da COP-21 é manter o aquecimento global abaixo de 2ºC e idealmente não mais que 1,5ºC. Segundo o presidente da Foundation 2 Degrees e dono da Otto Group, Michael Otto, a proteção climática foi um tópico decisivo nas eleições federais do país e, portanto, as partes envolvidas devem colocar tais objetivos como prioridade na agenda do novo governo. 

No começo de 2021, o governo de Angela Merkel adotou um plano para reduzir a emissão de gases do efeito estufa no país a "net 0" até 2045 (atinge-se esse índice quando emissão e a retirada desses gases da atmosfera forem "iguais"), cinco anos antes do que havia sido previamente planejado. Contudo, os dados oficiais mostram que o país está atrasado quanto as ambições para esse corte de emissões, mas há a expectativa de melhora do índice de 2021 após o fim da pandemia. 

As empresas signatárias querem que o novo governo implemente mais fontes de energias renováveis e também uma reforma tributária pró-clima, que inclua um fortalecimento do preço dos chamados "créditos de carbono", evitando que as empresas saiam do país rumo ao exterior. 

Visando a próxima Conferência do Clima (COP-26) no próximo dia 31, em Glasgow, na Escócia, as companhias pedem ao governo para que trabalhem no estabelecimento de padrões internacionais para o sistema financeiro e para os produtos de climáticos neutros. 

Alguns ativistas questionaram a seriedade das multinacionais envolvidas na carta que visa o combate ao aquecimento global. "Eles querem ambição climática, desde que isso não atrapalhe os seus lucros", disse Pascoe Sabido, pesquisador na Corporate Europe Observatory, que investiga os lobbys em empresas nos níveis da União Europeia. 

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

multinacionais
alemãs
alemanha
empresas
companhias
carta
próximo
governo
clima
mudanças climáticas
efeito estufa
aquecimento global
sbtnews
mundo
políticas
portalnews

Últimas notícias

Jornalismo ambiental e de dados e pautas sociais foram destaques no Congresso da Abraji

Jornalismo ambiental e de dados e pautas sociais foram destaques no Congresso da Abraji

19º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo terminou neste domingo (14), em São Paulo
Vítima de atentado contra Trump morreu tentando proteger sua família

Vítima de atentado contra Trump morreu tentando proteger sua família

Corey Comperatore, de 50 anos, era bombeiro e tinha duas filhas. Ele morreu pelos disparos de Thomas Crooks. Outros dois homens foram feridos gravemente
Lula lamenta morte do pai do ex-governador do Rio Sergio Cabral

Lula lamenta morte do pai do ex-governador do Rio Sergio Cabral

Em nota de pesar, o presidente da República ressaltou, entre outros atributos, a “irreverência” na carreira do jornalista, que faleceu aos 87 anos
Atentado a Trump eleva valor do bitcoin, que supera o patamar de US$ 60 mil

Atentado a Trump eleva valor do bitcoin, que supera o patamar de US$ 60 mil

Segundo analistas, chance de retorno do ex-presidente ao poder aumentou, e ele é a favor da desregulamentação do mercado financeiro
Responsável por atentado contra Trump agiu sozinho, afirma FBI

Responsável por atentado contra Trump agiu sozinho, afirma FBI

Thomas Matthew Crooks, de 20 anos, foi o atirador que tentou assassinar Donald Trump
Presidente da Itália, Sergio Mattarella, chega ao Brasil neste domingo

Presidente da Itália, Sergio Mattarella, chega ao Brasil neste domingo

Esta é a primeira visita de um chefe de Estado italiano ao país em 24 anos
Romildo Magalhães, ex-governador do Acre, morre aos 78 anos

Romildo Magalhães, ex-governador do Acre, morre aos 78 anos

O político faleceu na tarde deste domingo (14) em decorrência de complicações da diabetes
Biden diz que investigadores terão todos recursos para apurar atentado contra Trump

Biden diz que investigadores terão todos recursos para apurar atentado contra Trump

"Deixem o FBI fazer o seu trabalho", diz presidente dos EUA. Segurança de convenção republicana será reforçada
Itamaraty condena ataque a Gaza com mais de 90 mortos e quase 300 feridos

Itamaraty condena ataque a Gaza com mais de 90 mortos e quase 300 feridos

Em nota, a pasta declarou que “o governo de Israel segue sabotando o processo de paz e o cessar-fogo no Oriente Médio”
Presidentes do Congresso e do STF condenam atentado contra Trump

Presidentes do Congresso e do STF condenam atentado contra Trump

Pacheco alertou para sucessão de "atos extremistas que vêm se repetindo mundo afora"
Publicidade
Publicidade