Publicidade

Pagodeiro "proibidão" era "empresário" dos negócios ligados ao PCC, diz MP

Latrell Brito usava empresas dele e de laranjas para simular concorrência em contratações de prefeituras alvos da Operação Munditia

Pagodeiro "proibidão" era "empresário" dos negócios ligados ao PCC, diz MP
Publicidade

Nas redes sociais e canais de música da internet, Vagner Borges Dias é o pagodeiro Latrell Brito, que mistura letras estilo "proibidão" (que exalta o crime) ao pagode. Na vida real, é o dono de empresas que fornecem mão de obra para prefeituras paulistas apontadas como parte de um milionário esquema de lavagem de dinheiro e fraudes em licitações públicas, usado pelo Primeiro Comando da Capital (PCC) para "esquentar" o lucro com o tráfico de drogas.

Latrell Britto foi um dos principais alvos do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), nessa terça-feira (16), na Operação Munditia.

Latrell e outras 12 pessoas foram presas: três vereadores (de Cubatão, Ferraz de Vasconcelos e Santa Isabel), uma servidora pública, um advogado do Legislativo e empresários. Duas pessoas seguem foragidas.

+ Veja quem são os vereadores presos em ação contra negócios do PCC em prefeituras

Todos são suspeitos de envolvimento com fraudes em contratos públicos e favorecimento a negócios usados pelo PCC para movimentar dinheiro do tráfico. São contratos que totalizam R$ 200 milhões, de prestação de serviços de mão de obra terceirizada, assinados com prefeituras e Câmaras de Vereadores do estado.

Latrell seria parte do núcleo empresarial do esquema do PCC alvo dos promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Ele é de Suzano e controlaria empresas em seu nome e em de laranjas. Além da Vagner Borges Dias ME, ele teria controle de pelo menos sete firmas.

Segundo o Gaeco, elas eram usadas para fraudar as disputas em concorrências do poder público — que servem para escolha do melhor negócio para o estado —, em contratos de serviços como para limpeza, porteiros, vigilantes, entre outros. Quebras de sigilo telemático dos alvos apontaram que elas entravam nas disputas de contratos (boa parte por pregão eletrônico) e simulavam uma concorrência.

A juíza da 5ª Vara Criminal de Guarulhos, Priscila Devechi Ferraz Maia, destacou em sua ordem de prisão o "aumento vultuoso" de capital da empresa de Latrell, no período em que as firmas, em nome de terceiros e controladas por ele, assinaram os contratos públicos.

Uma delas é a CJM Comercial e Utilidades, que registra, entre os sócios, Márcio Zeca da Silva, o Gordo. Segundo o Gaeco, ele é ligado ao PCC e foi condenado por tráfico de drogas. Carlos Roberto Galvão Júnior, o Juninho, e Antonio Carlos de Morais também foram presos.

Outras empresas investigadas são a Mova Empreendimentos, em nome de Joyce da Silva Caetano, e a Comercial e Serviços Eireli, registrada em nome de Wellington Costa. Os dois são funcionários de Latrell e também foram detidos.

Em Suzano, a polícia prendeu, também nessa terça, o presidente do União Brasil na cidade, Dário Reisinger Ferreira.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

facção criminosa
Ministério Público

Últimas notícias

JBS deverá indenizar família de funcionário morto após sair do trabalho, decide TST

JBS deverá indenizar família de funcionário morto após sair do trabalho, decide TST

Para a corte, a empresa negligenciou condições adequadas de transporte a trabalhador assassinado enquanto pedalava para casa de madrugada
VÍDEO: clientes têm celulares roubados durante arrastão em restaurante de Pinheiros (SP)

VÍDEO: clientes têm celulares roubados durante arrastão em restaurante de Pinheiros (SP)

Imagens da câmera de segurança registraram o momento em que um criminoso, armado, abordou um funcionário na rua e entrou com ele no estabelecimento
VÍDEO: Tornados deixam 25 mortos em dois dias nos EUA

VÍDEO: Tornados deixam 25 mortos em dois dias nos EUA

Americanos registraram chegada dos ventos e estragos deixados nas cidades. Novas tempestades devem ocorrer na noite desta terça (28)
Frente Nacional de Prefeitos se mobiliza para a compra de medicamentos no RS

Frente Nacional de Prefeitos se mobiliza para a compra de medicamentos no RS

Secretário da Frente Nacional dos Prefeitos fala ao programa Perspectivas do SBT News
Novo ataque de Israel a acampamento de refugiados em Rafah deixa ao menos 21 mortos

Novo ataque de Israel a acampamento de refugiados em Rafah deixa ao menos 21 mortos

Ataque aconteceu enquanto manifestantes, em várias partes do mundo, ainda protestavam contra as 45 mortes provocadas por bombardeio no domingo
Covid-19 já matou mais que a dengue no Brasil em 2024

Covid-19 já matou mais que a dengue no Brasil em 2024

Principais vítimas da covid-19, segundo o Ministério da Saúde, são pessoas que não se vacinaram ou que não completaram o ciclo de imunização
Voluntários alertam para diminuição de ajuda humanitária no RS: "Precisamos de mais braços, estamos exaustos"

Voluntários alertam para diminuição de ajuda humanitária no RS: "Precisamos de mais braços, estamos exaustos"

Quase 50 mil gaúchos permanecem em abrigos no estado; em Porto Alegre, a maior parte dos abrigos são mantidos com doações e o trabalho de voluntários
Congresso derruba veto de Lula a trecho do projeto das "saidinhas" de presos

Congresso derruba veto de Lula a trecho do projeto das "saidinhas" de presos

Condenados que cumprem pena em regime semiaberto não podem mais obter autorização para saída temporária do estabelecimento nos casos de visita à família
Especialista celebra dados positivos de alfabetização, mas diz que “Brasil está muito atrás” de países desenvolvidos

Especialista celebra dados positivos de alfabetização, mas diz que “Brasil está muito atrás” de países desenvolvidos

Professor da UnB lembra que o país segue abaixo da meta de 80% estabelecida pelo Ministério da Educação
Operadoras se comprometem a retomar planos de saúde cancelados, após reunião com Lira

Operadoras se comprometem a retomar planos de saúde cancelados, após reunião com Lira

Presidente da Câmara disse que decisão foi confirmada pelas empresas Amil e Unimed
Publicidade
Publicidade