Publicidade

"Não queremos uma ditadura no nosso país", afirma presidente do STM

Em entrevista ao Perspectivas, Joseli Camelo abordou a relação dos militares com o presidente Lula e a participação das Forças Armadas nas eleições municipais

"Não queremos uma ditadura no nosso país", afirma presidente do STM
Joseli Camelo
Publicidade

Joseli Camelo, presidente do Superior Tribunal Militar (STM), é o convidado do programa Perspectivas desta semana. Em entrevista à jornalista Paola Cuenca, o ministro abordou a participação de militares como candidatos nas próximas eleições municipais, o papel das Forças Armadas na defesa da democracia atualmente e os excessos cometidos durante a ditadura militar, assim como a relação atual das Forças com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"Outro dia me perguntaram se a relação melhorou. Eu não disse que melhorou porque nunca foi ruim. A relação das Forças Armadas com o presidente Lula sempre foi muito boa", afirmou.

Camelo também reforçou que qualquer desconfiança do governo em relação às Forças já foi superada. "Depois daqueles acampamentos, do 8 de janeiro, da forma que houve a transição… isso foi completamente ultrapassado. Não há mais essa desconfiança, se é que houve lá naquele 8 de janeiro", concluiu.

O ministro também condenou os excessos cometidos durante a ditadura militar, mas defendeu que os militares não devem ter vergonha, pois estavam atendendo uma "comoção nacional", causada pela degradação da disciplina e da hierarquia e da ameaça do comunismo. No entanto, o ministro alertou que, de fato, erros e excessos aconteceram.

"A revolução era para durar dois anos, já em 66 era para termos eleições gerais e isso não aconteceu, então virou uma bola de neve. Aí veio guerrilha rural, urbana, repressão e o AI-5. Daí não podemos concordar com tudo isso. Então, não é motivo para comemorar. É motivo para jamais desejarmos que aquelo momento seja repetido. Não queremos mais algo parecido no Brasil como aquele momento e não queremos jamais uma ditadura no nosso país", opinou.

Eleições municipais

Ao ser questionado sobre a candidatura de militares para cargos políticos nas próximas eleições municipais, Camelo condenou a prática. "Eu acho que os militares têm que se dedicar a sua função específica da defesa da pátria, de cuidar das nossas fronteiras, da pacificação social, como estamos vendo no Rio Grande do Sul. Militares não devem se envolver na política", opinou.

"Não que os militares não possam se candidatar à política. Seria muito bom ter um grupo de militares no Congresso, entre os deputados e os senadores. O que não pode, é o militar simplesmente se candidatar e, ao perder, retornar à Força, já com aquela mentalidade de um político. Isso eu não concordo", completou.

Tragédia no RS

O ministro defendeu a participação das Forças Armadas na tragédia climática que atinge o Rio Grande do Sul, e também elogiou o trabalho do governo e dos voluntários. "As nossas Forças Armadas treinam para a guerra e tudo aquilo que nós treinamos estamos aplicando neste momento no Rio Grande do Sul", afirmou.

"Foi uma tragédia realmente lamentável, mas nós pudemos ver o quanto o povo brasileiro, a sociedade brasileira, tem um espírito de solidariedade. Eu gostaria de inicialmente enaltecer os nossos voluntários, que estão fazendo um papel brilhante. Os poderes da República também tiveram um papel fundamental no início de todo esse processo, buscando uma solução para aquele problema", defendeu.

A entrevista completa com Joseli Camelo pode ser conferida no programa Perspectivas nesta quarta-feira (22), no site e canal do SBT News no YouTube.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Forças Armadas
Exército
Rio Grande do Sul

Últimas notícias

"A Caverna Encantada": conheça a nova novela do SBT que promete emoção e mistério

"A Caverna Encantada": conheça a nova novela do SBT que promete emoção e mistério

Com uma história repleta de mistérios, confusões, diversão, amor e fé, a trama promete conquistar toda a família brasileira
Grupos palestinos assinam acordo para reconstruir a Faixa Gaza

Grupos palestinos assinam acordo para reconstruir a Faixa Gaza

Formação da comunidade foi acordada nesta terça-feira (23), na China
Cientistas descobrem produção de oxigênio no fundo do mar que pode mudar o que sabemos da origem da vida

Cientistas descobrem produção de oxigênio no fundo do mar que pode mudar o que sabemos da origem da vida

Estudo publicado na revista Nature Geoscience mostra que há indícios de produção do gás mesmo sem fotossíntese
Eduardo Campos vai receber título de cidadão paulistano 10 anos após a morte

Eduardo Campos vai receber título de cidadão paulistano 10 anos após a morte

Prefeito de Recife, João Campos representará o pai na cerimônia
Suspeito morre após troca de tiros com a polícia na zona sul de São Paulo

Suspeito morre após troca de tiros com a polícia na zona sul de São Paulo

Policiais do GOE afirmam que realizavam patrulhamento na região, quando foram recebidos por disparos de arma de fogo
Brasil busca recorde de pódios nas Olimpíadas de Paris

Brasil busca recorde de pódios nas Olimpíadas de Paris

Rayssa Leal, Rebeca Andrade, Gabriel Medina e outros atletas podem contribuir para o país a garantir ainda mais medalhas na competição
Vídeo: Parque de Yellowstone nos EUA tem explosão hidrotérmica; entenda

Vídeo: Parque de Yellowstone nos EUA tem explosão hidrotérmica; entenda

Apesar do susto, não houve relatos de feridos no parque, que foi fechado temporariamente
Programa Voa Brasil será lançado nesta quarta, com foco em aposentados do INSS

Programa Voa Brasil será lançado nesta quarta, com foco em aposentados do INSS

Objetivo é oferecer passagens por até R$ 200 cada trecho para “público que atualmente não voa”
Ministério da Justiça arquiva investigação contra Netflix por cobrar por assinante extra

Ministério da Justiça arquiva investigação contra Netflix por cobrar por assinante extra

Secretaria Nacional do Consumidor considerou que os clientes foram devidamente informados sobre cobrança adicional para dividir senha
Agente da Força Nacional é baleado após entrar por engano em comunidade no Rio

Agente da Força Nacional é baleado após entrar por engano em comunidade no Rio

Washington Carlos foi atingido na cabeça na comunidade de Vigário Geral, na zona norte
Publicidade
Publicidade