Publicidade

Joseli Camelo, do STM, diz que militares cometeram excessos na ditadura

Ministro também condenou militares que estão se candidatando a cargos políticos ao falar das eleições municipais

Joseli Camelo, do STM, diz que militares cometeram excessos na ditadura
Joseli Camelo
Publicidade

Presidente do Superior Tribunal Militar (STM), Joseli Camelo é o convidado do próximo Perspectivas, que vai ar nesta quarta-feira (22). Entre os temas debatidos, o ministro falou sobre as eleições municipais e os militares candidatos a cargos políticos, além dos excessos cometidos pelas Forças Armadas a partir da ditadura militar de 1964.

"Eu acho que os militares têm que se dedicar a sua função específica da defesa da pátria, de cuidar das nossas fronteiras, da pacificação social, como estamos vendo no Rio Grande do Sul. Militares não devem se envolver na política", opinou. "Não que os militares não possam se candidatar à política. Seria muito bom ter um grupo de militares no Congresso, entre os deputados e os senadores. O que não pode, é o militar simplesmente se candidatar e, ao perder, retornar à Força, já com aquela mentalidade de um político. Isso eu não concordo".

Ao ser questionado sobre o aniversário de 60 anos do golpe militar, Camelo afirmou que a "revolução militar" não deve ser motivo de vergonha, pois ela aconteceu devido a uma “comoção nacional” causada pela degradação da disciplina e da hierarquia e da ameaça do comunismo. No entanto, o ministro alertou que, de fato, erros e excessos aconteceram.

"A revolução era para durar dois anos, já em 66 era para termos eleições gerais e isso não aconteceu, então virou uma bola de neve. Aí veio guerrilha rural, urbana, repressão e o AI-5. Daí não podemos concordar com tudo isso. Então, não é motivo para comemorar. É motivo para jamais desejarmos que aquelo momento seja repetido. Não queremos mais algo parecido no Brasil como aquele momento e não queremos jamais uma ditadura no nosso país".

Tragédia no RS

Camelo também comentou sobre a atuação dos militares na tragédia que atinge o Rio Grande do Sul, que vem sofrendo com questões climáticas extremas.

"Foi uma tragédia realmente lamentável, mas nós pudemos ver o quanto o povo brasileiro, a sociedade brasileira, tem um espírito de solidariedade. Eu gostaria de inicialmente enaltecer os nossos voluntários, que estão fazendo um papel brilhante. Os poderes da República também tiveram um papel fundamental no início de todo esse processo, buscando uma solução para aquele problema", defendeu.

"O ministro Barroso já liberou R$ 130 milhões para ser usado imediatamente pela Defesa Civil. Nós, da Justiça Militar, ampliamos os prazos até o final do mês (de maio). Fizemos pontos de recolhimento e, em pouco mais de uma semana, já tínhamos quatro toneladas de doações. Então, há realmente uma cruzada nacional de solidariedade e com as Forças Armadas não foi diferente".

Para Camelo, a atuação vista no RS é a aplicação de todo o treinamento e preparação feito pelas Forças Armadas. "As nossas Forças Armadas treinam para a guerra e tudo aquilo que nós treinamos estamos aplicando neste momento no Rio Grande do Sul", afirmou.

A entrevista completa com o presidente do Superior Tribunal Militar pode ser conferida no site e no canal do SBT News no YouTube.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Ditadura Militar
Golpe Militar

Últimas notícias

Em cinco anos, deputados apresentaram 14 propostas para restringir ou dificultar aborto legal

Em cinco anos, deputados apresentaram 14 propostas para restringir ou dificultar aborto legal

Entre os projetos, está o que cria o Estatuto do Nascituro e um que obriga a apresentação de boletim de ocorrência para fazer aborto em caso de estupro
Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 53 milhões nesta terça-feira (18)

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 53 milhões nesta terça-feira (18)

Apostas podem ser feitas em casas lotéricas ou pela internet até as 19h
Brasil Agora: Idealizadores de plano de sequestro de Moro são mortos na prisão

Brasil Agora: Idealizadores de plano de sequestro de Moro são mortos na prisão

Confira essas e outras notícias que serão destaque nesta terça-feira (18)
Mauro Cid e pai prestam novo depoimento à PF sobre caso das joias sauditas

Mauro Cid e pai prestam novo depoimento à PF sobre caso das joias sauditas

Agentes identificaram mais um item que teria sido colocada à venda ilegalmente pelos auxiliares de Bolsonaro
Putin elogia Coreia do Norte por apoio em guerra contra Ucrânia

Putin elogia Coreia do Norte por apoio em guerra contra Ucrânia

Presidente russo também alfinetou países ocidentais, dizendo que o plano de isolar Moscou não funcionou
Corpo de Jacqueline Laurence será velado no Teatro Tablado, no RJ, nesta terça-feira (18)

Corpo de Jacqueline Laurence será velado no Teatro Tablado, no RJ, nesta terça-feira (18)

Cerimônia ocorrerá das 10h e 14h e será aberta ao público; crematório será reservado aos familiares
Nota Fiscal Paulista libera R$ 34,7 milhões em créditos; veja como resgatar

Nota Fiscal Paulista libera R$ 34,7 milhões em créditos; veja como resgatar

Valor é referente às compras realizadas em fevereiro de 2024 e ficará disponível para transferência por um ano
Coreia do Sul volta a fazer disparos de advertência após norte-coreanos cruzarem fronteira

Coreia do Sul volta a fazer disparos de advertência após norte-coreanos cruzarem fronteira

Militares recuaram após os tiros; Seul acredita que violação não foi intencional
SBT News na TV: chuvas voltam ao RS e provocam novos alagamentos

SBT News na TV: chuvas voltam ao RS e provocam novos alagamentos

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta terça-feira (18); assista!
Brasil se aproxima de 6 milhões de casos e 4 mil mortes por dengue em 2024

Brasil se aproxima de 6 milhões de casos e 4 mil mortes por dengue em 2024

Números são maiores que os registrados em todo o ano de 2023
Publicidade
Publicidade