Publicidade

Pré-candidatos a presidente apresentam propostas para área da educação

O atual chefe do Executivo, Jair Bolsonaro, foi o único presidenciável convidado que não respondeu

Pré-candidatos a presidente apresentam propostas para área da educação
Professora aponta, com canetão, conteúdo escrito em lousa, durante aula para crianças (Rovena Rosa/Agência Brasil)
Publicidade

Os pré-candidatos a presidente Felipe d'Avila (Novo), André Janones (Avante), Simone Tebet (MDB), João Doria (PSDB), Ciro Gomes (PDT) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) apresentaram nesta 3ª feira (26.abr) propostas para a área da educação, durante Encontro Anual organizado pela ONG Todos pela Educação, no pavilhão da Bienal, em São Paulo. O evento reuniu 300 pessoas, incluindo especialistas, lideranças políticas, lideranças cívicas, professores e especialistas em educação. O objetivo era promover debate e avançar nas "pautas urgentes" do Ensino Básico público do Brasil.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Em vídeo, d'Avila afirmou que "o Governo Federal precisa focar na melhoria da Educação Fundamental no Brasil". "Para isso, temos de ter uma meta global. A meta global é atingir o top 20 do exame do Pisa [Programa Internacional de Avaliação de Alunos] nos próximos oito anos. Para isso, precisamos ter a meta doméstica, que é atingir no Enem, no Ensino Médio, uma média 7", completou. Segundo o cientista político, para que essa média seja alcançada, implementará em todo o país, se eleito, experiências como o Compaz e o Pacto pela Educação, de Pernambuco, e a ligação de recursos do ICMS com melhoria nos municípios para melhorar o nível da educação em todos as cidades, criada no Ceará.

Ele acrescentou ser necessário ainda "um curso especial para transformar a carreira do professor numa das carreiras mais desejadas do Brasil". "E aí, três medidas importantes. A primeira: exigir que aqueles que quiserem ingressar no magistério, na pedagogia, terão de estar no top 20% do Enem. Nenhum país do mundo melhorou a educação não criando uma barra alta para ingressar na carreira. Segundo, precisamos ter curso tempo integral para os professores. E terceiro, é preciso ter, sim, um exame de ingresso na carreira que entenda o lado prático, o lado pedagógico da carreira, porque senão não vamos ter bons professores na sala de aula".

André Janones disse que a educação básica no país encontra-se numa "situação caótica", como consequência, por exemplo, de não ser do "interesse da classe dominante, em especial da classe política, que possa se formar brasileiros conscientes, críticos e livres, de pensamento livre". De acordo com ele, para mudar o cenário, propõe a adoção de "quatro pilares principais": oferta de condições dignas de trabalhos aos professores, o que inclui valorização salarial e um aperfeiçoamento constante de conhecimento; modificação do sistema de financiamento estudantil, para ampliar o acesso ao crédito; implementação de "melhoria significativa na estrutura física, com disponibilização de laboratórios de informática, de ciência, quadras escolares, transporte público de qualidade para poder levar esses jovens até o ambiente escolar com tranquilidade, segurança"; e indicação de um ministro da Educação que venha da área e tenha não só conhecimento técnico, mas sensibilidade para ver os indivíduos "como pessoas, como gente, e não apenas números".

Conforme Tebet, o país tem "décadas de atraso" na educação "porque falta e faltou foco e vontade política". "Meu compromisso com a educação passa por colocar acima de tudo criança e jovem no orçamento federal e na transversalidade, e acabar com essa desculpa esfarrapada de que Ensino Básico de estados e municípios", pontuou. Ainda em suas palavras, "é importante que os cursos de pedagogia voltem a ser de responsabilidade das universidades públicas e presencial". "Nenhum curso de pedagogia pode ser feito à distância. A partir daí nós temos que pensar na valorização dos professores. A valorização dos professores passa não só pela questão salarial, mas pela qualidade do ensino e do curso, do ensino continuado. O professor valorizado e motivado ele vai para a escola. Mas que escola? Segundo passo: uma escola com infraestrutura adequada, com salas de aulas confortáveis, com laboratórios, material didático e conectividade digital".

A senadora pelo Mato Grosso do Sul propõe ainda a implementação de um ensino integral, "com olhar especial no Ensino Fundamental II e no Ensino Médio". "As nossas crianças e jovens não podem querer sair da sala de aula", acrescentou. Em relação às crianças de 0 a 5 anos, afirma que trabalhará, se eleita, pela preparação dos cuidadores e universalização principalmente na faixa de 0 a 3 anos. "Nesses especto nós temos que trabalhar coordenada com os estados e municípios. Dinheiro existe e não é pouco", disse.

De acordo com Doria, caso seja eleito presidente da República, fará com que inciativas como aulas de inglês desde o primeiro ano do Ensino Fundamental sejam implementadas em todo o país. "Crianças falando inglês mudam a sua autoestima, melhoram a sua empregabilidade e criam oportunidade para atividade empreendedora", argumentou. Ele defendeu também o Novo Ensino Médio: "é um outro exemplo que deve ser seguido, já que ele oferece agora ao jovem a chance de estudar ao mesmo tempo em que conquista a sua profissão técnica". O ex-governador de São Paulo falou também que valorizará os profissionais da educação e trabalhará para a criação de escolas de tempo integral na educação básica.

Já Ciro Gomes propõe levar para todo o Brasil iniciativas já praticadas no Ceará: universalização da creche em tempo integral, que, de acordo com ele, tem entre os benefícios o estímulo ao "desenvolvimento das faculdades motoras e intelectuais das crianças"; aplicação da alfabetização "na idade certa", garantindo, assim, que as crianças "tenham um aprendizado de maior qualidade, sem ficarem atrasadas em relação a outros alunos, o que é a maior causa de evasão"; valorização e qualificação de professores, diretores e servidores, com acompanhamento, supervisão e formação continuada; e implementação, no Ensino Médio, do modelo "minha escola, meu emprego, meu negócio". Ciro diz defender ainda a construção de escolas de tempo integral, priorizando bairros pobres e populosos dos grandes municípios.

O Todos pela Educação convidou, para apresentarem as propostas para a Educação Básica, os pré-candidatos a presidente que obtiveram pontuação acima de 1% em no mínimo três pesquisas de intenção de voto. Todos falaram por meio de vídeos de no máximo 3 minutos e 15 segundos, com exceção de Lula: as propostas dele foram lidas por um representante no evento, também respeitando o limite de tempo. O atual chefe do Executivo federal, Jair Bolsonaro (PL), foi o único presidenciável convidado que não respondeu ao convite.

Veja também:

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
eleicoes
política
educação
proposta
pré candidatos
andré janones
felipe d'avila
ciro gomes
simone tebet
joão doria
lula
jair bolsonaro
todos pela educação
evento

Últimas notícias

Primeira pesquisa após atentado contra Trump indica empate técnico com Biden

Primeira pesquisa após atentado contra Trump indica empate técnico com Biden

Ataque não provocou grandes mudanças nas intenções de voto, mas aumentou preocupação com violência
Ramagem presta depoimento à PF nesta quarta (17) sobre "Abin paralela" de Bolsonaro

Ramagem presta depoimento à PF nesta quarta (17) sobre "Abin paralela" de Bolsonaro

Deputado federal e ex-diretor da agência fala à Polícia Federal após nova fase da operação Última Milha e divulgação de áudio com Bolsonaro
ENGANOSO: Presos que aparecem em vídeo não são ex-membros da Suprema Corte de El Salvador

ENGANOSO: Presos que aparecem em vídeo não são ex-membros da Suprema Corte de El Salvador

Confira a verificação realizada pelos jornalistas integrantes do Projeto Comprova
Brasil Agora: governo terá de cortar gastos, mas Lula resiste; Trump, o atentado e a convenção

Brasil Agora: governo terá de cortar gastos, mas Lula resiste; Trump, o atentado e a convenção

Confira essas e outras notícias que serão destaque nesta quarta-feira (17)
+Milionária sorteia prêmio de R$ 245 milhões nesta quarta-feira (17)

+Milionária sorteia prêmio de R$ 245 milhões nesta quarta-feira (17)

Apostas podem ser feitas até as 19h em casas lotéricas ou pela internet
Hóspedes são encontrados mortos em hotel 5 estrelas na Tailândia

Hóspedes são encontrados mortos em hotel 5 estrelas na Tailândia

Polícia aponta para envenenamento com cianeto; corpos são de cidadãos vietnamitas
Carpinteiro atingido por estaca de madeira na cabeça deixa o CTI

Carpinteiro atingido por estaca de madeira na cabeça deixa o CTI

Vitor Soares do Nascimento precisou passar por cirurgia de emergência para retirada do objeto; quadro de saúde é estável
Com R$ 362 milhões, "Divertida Mente 2" se torna maior arrecadação em bilheterias da história no Brasil

Com R$ 362 milhões, "Divertida Mente 2" se torna maior arrecadação em bilheterias da história no Brasil

Nova animação da Disney/Pixar já foi assistida por 18 milhões de espectadores
Nota Fiscal Paulista libera R$ 46,5 milhões em créditos; veja como resgatar

Nota Fiscal Paulista libera R$ 46,5 milhões em créditos; veja como resgatar

Valor é referente às compras realizadas em março de 2024 e ficará disponível para transferência por um ano
SBT News na TV: Chiquinho Brazão volta a alegar inocência no assassinato de Marielle

SBT News na TV: Chiquinho Brazão volta a alegar inocência no assassinato de Marielle

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta quarta-feira (17); assista!
Publicidade
Publicidade