Publicidade

Mulher de delegado preso no caso Marielle era ‘laranja’ em lavagem de dinheiro, diz PF

Segundo a investigação, Erika Andrade de Almeida Araújo, esposa do ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro Rivaldo Barbosa, movimentou pelo menos R$ 4,9 milhões de reais em recursos de origem suspeita

Mulher de delegado preso no caso Marielle era ‘laranja’ em lavagem de dinheiro, diz PF
Publicidade

A advogada e empresária Erika Andrade de Almeida Araújo, esposa do ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, tornou-se um importante personagem na investigação dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista dela, Anderson Gomes. O marido de Érika, o delegado Rivaldo Barbosa, foi preso neste domingo (24), apontado pela Polícia Federal como um dos mandantes do duplo homicídio. Segundo a PF, a esposa dele atuou como "testa de ferro" na lavagem de dinheiro proveniente da milícia que Marielle teria incomodado.

+ Deputado do Psol crê que Chiquinho Brazão pode ser cassado por unanimidade na Câmara

De acordo com a Polícia Federal, Rivaldo criou empresas de fachada e as colocou em nome da esposa para receber dinheiro por serviços não prestados. Parte dos recursos recebidos nessas empresas saiu dos cofres da Light, concessionária de energia elétrica no Rio de Janeiro. Os serviços supostamente vendidos eram de “consultoria empresarial”, uma forma bastante recorrente de justificar a transferência de grandes somas de dinheiro a empresas com estrutura pequena. O relatório do inquérito releva movimentações de cerca de R$ 4,9 milhões nesse esquema.

+ Caso Marielle: entenda quebra-cabeça que levou à prisão de supostos mandantes do crime

A investigação mostrou que, inicialmente, uma das empresas tinha como sede o próprio endereço residencial do casal. Posteriormente, a sede foi transferida para uma sala comercial comprada por Rivaldo e Érika.

+ Quem é quem: veja quem são os três presos suspeitos de mandar matar Marielle Franco

“Destaca-se que a Mais I Consultoria Empresarial não registrou nenhum funcionário durante o período em que se encontrou ativa”, destacou a Polícia Federal. A investigação encontrou também “ocorrência altíssima de operações financeiras em espécie: saques e depósitos com origem não identificada”.

“É latente que Érika não possui expertise em tais serviços. Nesse sentido, além de ratificar que Rivaldo era o gestor das empresas, surgem indícios de que ele se utilizava da estrutura da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro para fins particulares”, apontou a PF. De acordo com a investigação, Rivaldo retirava informações do banco de dados da corporação e as utilizava nos trâmites burocráticos das empresas para dar uma aparência legal aos serviços não prestados.

“Provavelmente Érika e Rivaldo tenham optado por concentrar a movimentações financeiras das empresas nas contas de Érika a fim de não chamar atenção dos órgãos de controle, tendo em vista as funções de destaque ocupadas por Rivaldo ao logo da carreira pública”, ressaltou a Polícia Federal. “Contextualizando os fatos, têm-se que Rivaldo e sua esposa se lançaram às atividades empresariais justamente no período em que Rivaldo foi nomeado para chefiar a Delegacia de Homicídios da capital”, acrescentaram os investigadores.

Rivaldo ficou à frente da Delegacia de Homicídios até o momento em que assumiu o posto máximo da Polícia Civil. Ele tomou posse como chefe da corporação no dia 13 de março de 2018, um dia antes da execução da vereadora.

“Recorda-se que é justamente quando está na Delegacia de Homicídios ou à frente da Polícia Civil do Rio de Janeiro que foram encontrados relatos, depoimentos e denúncias envolvendo episódios de corrupção e outras atividades ilícitas praticadas por Rivaldo, dentre elas aquela formalizada por Ronnie Lessa em sede de colaboração premiada”, assinalou a Polícia Federal.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Polícia Federal
Polícia Civil
Rio de Janeiro
Lavagem de Dinheiro
corrupção
Milícia
Miliciano

Últimas notícias

Lifelong Learning e a importância do conhecimento

Lifelong Learning e a importância do conhecimento

As oportunidades que chegam estão diretamente ligadas ao conhecimento que você precisa obter
Roubo de Ozempic: adolescentes são apreendidos após levar medicamento de farmácia em SP

Roubo de Ozempic: adolescentes são apreendidos após levar medicamento de farmácia em SP

Suspeitos roubaram 13 caixas de Ozempic e 11, de Venvanse. Medicamentos são usados para tratar diabete e TDAH, mas também auxiliam no emagrecimento
ENGANOSO: Enchente em São Leopoldo (RS) não foi causada por rompimento de barragem

ENGANOSO: Enchente em São Leopoldo (RS) não foi causada por rompimento de barragem

Confira a verificação realizada pelos jornalistas integrantes do Projeto Comprova
Brasil Agora: Professores das universidades federais encerram greve após 69 dias

Brasil Agora: Professores das universidades federais encerram greve após 69 dias

Confira essas e outras notícias que serão destaque nesta segunda-feira (24)
INSS libera benefícios para segurados que recebem até um salário mínimo; veja como consultar

INSS libera benefícios para segurados que recebem até um salário mínimo; veja como consultar

Pagamentos serão feitos conforme o número final do cartão de pagamento; moradores do RS terão depósitos antecipados
No dia de São João, governo reconhece quadrilhas como manifestação da cultura nacional

No dia de São João, governo reconhece quadrilhas como manifestação da cultura nacional

Dança típica foi considerada relevante para a identificação regional nas apresentações juninas
"Pausas táticas não aliviam situação humanitária em Gaza", diz OMS

"Pausas táticas não aliviam situação humanitária em Gaza", diz OMS

Combates paralelos e contínuo deslocamento forçado de civis dificultam a entrega de ajuda na região
Intenção de consumo das famílias cresce 0,5% em junho e mantém índice positivo

Intenção de consumo das famílias cresce 0,5% em junho e mantém índice positivo

Resultado foi influenciado pelo acesso ao crédito e pelo aquecimento do mercado de trabalho
Brasil ultrapassa marca de 6 milhões de casos de dengue em 2024

Brasil ultrapassa marca de 6 milhões de casos de dengue em 2024

SP e MG seguem liderando ranking de infecções; número de mortes confirmadas chega a 4 mil
Ataques contra igrejas e sinagogas deixam mais de 15 mortos na Rússia

Ataques contra igrejas e sinagogas deixam mais de 15 mortos na Rússia

Homens armados invadiram os locais na tarde de domingo (23); autoridades investigam o caso
Publicidade
Publicidade