Publicidade

Vídeo: Moro condena "ações repletas de mentiras" após se livrar de cassação

Senador era acusado de abuso de poder econômico na pré-campanha das eleições de 2022

Vídeo: Moro condena "ações repletas de mentiras" após se livrar de cassação
Publicidade

O senador Sergio Moro comentou a decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) contrária à cassação de seu mandato na noite desta terça (9), após a conclusão do julgamento.

Acusado de abuso de poder econômico na pré-campanha das eleições de 2022, o ex-juiz da Lava Jato teve placar favorável contra a cassação.

"Na data de hoje (terça), o tribunal representa um farol para a independência da magistratura frente ao poder político. Juízes, desde que independentes e sujeitos a penas da lei, são a garantia da liberdade", iniciou Moro, acompanhado de sua esposa, a deputada Rosângela Moro, em seu pronunciamento.

"O TRE preservou a soberania popular e honrou os votos de quase 2 milhões de paranaenses", continuou o senador. "Sempre tive a consciência tranquila em relação à minha campanha eleitoral. Seguimos estritamente as regras, as despesas foram todas registradas, então os adversários as inflaram artificialmente, e invocaram inexistente abuso de poder econômico. As ações rejeitadas estavam repletas de mentiras e de teses jurídicas sem o menor respaldo, como assim reconheceu o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná".

Em seguida, Moro declarou que seus adversários "queriam criar regras novas para a fase de pré-campanha e aplicá-las retroativamente para caçar arbitrariamente mandatos. No fundo, não passa de oportunismo misturado com retaliação contra o combate da corrupção feito na Operação Lava-jato. A Justiça deu uma resposta firme contra essa pretensão absurda", disse.

"Perseguição absurda"

Moro reconheceu ainda haver um longo caminho pela frente, mas com a esperança de que o resultado do julgamento sirva como freio "à perseguição absurda que eu e minha família sofremos desde o início deste mandato. As mentiras, acusações fantasiosas, ameaças, até mesmo do crime organizado, não vão nos dobrar".

O senador finalizou seu pronunciamento agradecendo a família, amigos, eleitores e apoiadores. "Não há inimigos em uma democracia, mas apenas adversários. Os divergentes em uma sociedade livre precisam ser convencidos e não eliminados, estou aqui defendendo o Paraná e o Brasil e irei continuar", concluiu.

Acusações

As Ações de Investigação Judicial Eleitoral (AIJEs) contra Moro foram propostas pelo Partido Liberal (PL) e pela Federação Brasil da Esperança (PT, PC do B e PV). A principal acusação é de que o senador extrapolou o teto de gastos na campanha na 2022, o que caracteriza abuso de poder econômico.

Para os autores das ações, Moro excedeu esse limite principalmente em razão das despesas na pré-campanha, quando ainda pretendia concorrer à Presidência da República.

O teto de gastos para a Presidência era de R$ 88 milhões, enquanto para o Senado pelo Paraná era de R$ 4,4 milhões. A Procuradoria Regional Eleitoral deu parecer favorável à cassação por considerar que Moro gastou R$ 5,1 milhões.

Recurso ao TSE

O PL e a Federação Brasil da Esperança podem recorrer da decisão do TRE-PR ao Tribunal Superior Eleitoral.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Julgamento
Sergio Moro

Últimas notícias

ENGANOSO: Post engana ao associar sintomas da covid longa às vacinas

ENGANOSO: Post engana ao associar sintomas da covid longa às vacinas

Confira a verificação realizada pelos jornalistas integrantes do Projeto Comprova
Em cinco anos, deputados apresentaram 14 propostas para restringir ou dificultar aborto legal

Em cinco anos, deputados apresentaram 14 propostas para restringir ou dificultar aborto legal

Entre os projetos, está o que cria o Estatuto do Nascituro e um que obriga a apresentação de boletim de ocorrência para fazer aborto em caso de estupro
Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 53 milhões nesta terça-feira (18)

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 53 milhões nesta terça-feira (18)

Apostas podem ser feitas em casas lotéricas ou pela internet até as 19h
Brasil Agora: Idealizadores de plano de sequestro de Moro são mortos na prisão

Brasil Agora: Idealizadores de plano de sequestro de Moro são mortos na prisão

Confira essas e outras notícias que serão destaque nesta terça-feira (18)
Mauro Cid e pai prestam novo depoimento à PF sobre caso das joias sauditas

Mauro Cid e pai prestam novo depoimento à PF sobre caso das joias sauditas

Agentes identificaram mais um item que teria sido colocada à venda ilegalmente pelos auxiliares de Bolsonaro
Putin elogia Coreia do Norte por apoio em guerra contra Ucrânia

Putin elogia Coreia do Norte por apoio em guerra contra Ucrânia

Presidente russo também alfinetou países ocidentais, dizendo que o plano de isolar Moscou não funcionou
Corpo de Jacqueline Laurence será velado no Teatro Tablado, no RJ, nesta terça-feira (18)

Corpo de Jacqueline Laurence será velado no Teatro Tablado, no RJ, nesta terça-feira (18)

Cerimônia ocorrerá das 10h e 14h e será aberta ao público; crematório será reservado aos familiares
Nota Fiscal Paulista libera R$ 34,7 milhões em créditos; veja como resgatar

Nota Fiscal Paulista libera R$ 34,7 milhões em créditos; veja como resgatar

Valor é referente às compras realizadas em fevereiro de 2024 e ficará disponível para transferência por um ano
Coreia do Sul volta a fazer disparos de advertência após norte-coreanos cruzarem fronteira

Coreia do Sul volta a fazer disparos de advertência após norte-coreanos cruzarem fronteira

Militares recuaram após os tiros; Seul acredita que violação não foi intencional
SBT News na TV: chuvas voltam ao RS e provocam novos alagamentos

SBT News na TV: chuvas voltam ao RS e provocam novos alagamentos

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta terça-feira (18); assista!
Publicidade
Publicidade