Publicidade

"Com o coração muito pesado", Koo é encerrado por falta de recursos

Rede social indiana que tinha mais de 2 milhões de usuários ativos não conseguiu sustentar os custos da operação

"Com o coração muito pesado", Koo é encerrado por falta de recursos
Página oficial do Koo informa "com o coração muito pesado" de que o serviço não estará mais em operação | Reprodução/Koo
Publicidade

A famigerada rede social indiana Koo chegou ao fim. É o que diz a publicação do fundador da plataforma, Aprameya Radhakrishna, em seu LinkedIn e no site oficial do aplicativo. A comunidade tentou ser uma alternativa ao X (Twitter), mas não obteve sucesso por falta de recursos.

+ SBT News entrevista fundador do Koo: "Koo é para unir o mundo"

"É com o coração muito pesado que informamos que a Koo não estará mais em operação. Pararemos as operações em 3 de julho de 2024".

Em comunicado conjunto divulgado na quarta-feira (3) com o cofundador, Mayank Bidawatka, o executivo argumenta que o Koo enfrentou vários desafios desde que a rede social foi fundada em 2020.

Mayank Bidawatka fundador da rede social Koo e a marca do aplicativo que é um passaro amarelo | Divulgação/Koo/Montagem/Cido Coelho/SBT News
Mayank Bidawatka fundador da rede social Koo e a marca do aplicativo que é um passaro amarelo | Divulgação/Koo/Montagem/Cido Coelho/SBT News

Radhakrishna também explicou que houve tentativas de venda do serviço para várias empresas de internet e conglomerados de mídia, mas as negociações não avançaram.

+ Rede social Koo viraliza e vira alternativa ao Twitter

Os altos custos dos serviços de tecnologia impactaram o funcionamento do aplicativo e isso impediu a continuidade do Koo.

Em 2022, o Koo foi avaliado em US$ 275 milhões, pelo tracking de startups Tracxn.

O serviço cresceu de forma evidente, no entanto, sua base de usuários na rede social estagnou.

Aplicativo Koo funcionava de forma muito semelhante ao Twitter (X) e muitos brasileiros entraram no serviço | Divulgação/Koo
Aplicativo Koo funcionava de forma muito semelhante ao Twitter (X) e muitos brasileiros entraram no serviço | Divulgação/Koo

A quantidade de usuários da rede social era irrelevante: 2,1 milhões de usuários ativos, chegando a 3,5 milhões no seu auge, e 10 milhões de usuários mensais, diante do tamanho da Índia, país que tem mais de 1,4 bilhão de habitantes.

+ Lula entra no Koo, rede social que surge como alternativa ao Twitter

Segundo a carta que também está disponível na página principal do Koo, os cofundadores afirmam que "foi o único concorrente real do Twitter (hoje, X)" e, nos últimos 4 anos, o Koo obteve mais de 60 milhões de downloads, mais de 8 mil contas VIP, com "milhões de horas gastas" na plataforma.

Os executivos também se queixaram do humor do mercado, que mudou entre 2023 e 2024, prejudicando o acesso a financiamento confiável.

No Brasil, o Koo cresceu e fez sucesso

Koo foi rapidamente localizado em português-brasileiro assim que o número de usuários aumentou por aqui | Reprodução/Koo App
Koo foi rapidamente localizado em português-brasileiro assim que o número de usuários aumentou por aqui | Reprodução/Koo App

Devido ao nome dúbio da plataforma, que mistura malícia e risadas, a rede social foi uma alternativa para os brasileiros após a compra da rede social Twitter por Elon Musk, no fim de 2022. O Koo fez sucesso.

+ Em carta, Elon Musk oficializa a compra do Twitter

A rede indiana criou uma conta no X (Twitter) para atendimento ao público do Brasil, em português.

+ FOFOCALIZANDO: Koo de Felipe Neto é invadido por hackers: "Deixou todos os rastros"

Mesmo assim, após a grande entrada de usuários no Koo, o serviço foi deixado de lado após alguns dias de uso.

A plataforma tentou atrair os brasileiros para voltar a usar a rede social com parcerias, ofertando descontos em lojas como Amazon, Dell, Casas Bahia e Hering, mas a estratégia não deu certo.

Koo tinha ambição

Criadores do Koo App esperam ser alternativa ao Twitter | Cido Coelho/SBT News/Arte
Criadores do Koo App esperam ser alternativa ao Twitter | Cido Coelho/SBT News/Arte

Em entrevista ao SBT News em 2022, o cofundador do aplicativo Mayank Bidawatka estava animado e tinha muitas ideias para a expansão do Koo pelo mundo.

Ele via o aplicativo como algo muito além do Twitter (hoje, X), considerando que a rede social pode ser a 'plataforma social mais inclusiva do mundo'.

"Koo é para todos. Não é uma plataforma exclusiva. É inclusivo", diz Bidawatka.

O executivo disse que a plataforma teria novos recursos para ajudar os criadores, cuidado com a desinformação, criando um serviço de autoverificação dos perfis e que o Koo seria a plataforma que agregaria o mundo "dividido por idiomas", por ser um serviço integrado com várias línguas.

+ SBT News entrevista fundador do Koo: "Koo é para unir o mundo"

Começamos o Koo com um propósito. Para unir o mundo. Somos um mundo dividido por idiomas. Koo quer unir o mundo capacitando todos, apesar dessas barreiras linguísticas. Os usuários devem poder conversar uns com os outros em seu idioma e também falar com outras pessoas no idioma da outra pessoa. Koo quer criar a experiência social mais inclusiva do planeta.

Adeus ao Koo

Quem acessa o site http://www.kooapp.com/ vai ver uma carta dos cofundadores da finada plataforma em tom de despedida e com as explicações que levaram ao fim do Koo.

"Ficamos muito tristes em tirar esta plataforma de milhões de usuários que adoravam passar tempo nela. Infelizmente, administrar uma empresa de mídia social gera gastos pesados ​​por alguns anos antes que ela se torne lucrativa. Nós também precisávamos de mais tempo para chegar lá. Temos procurado levantar fundos nos últimos 2 anos, mas o mercado de financiamento azedou, não apenas para Koo, mas para milhares de startups por aí, tornando muito difícil continuar executando as operações", diz trecho da carta assinado por Aprameya e Mayank.

Já a conta brasileira do Koo no X (Twitter) também tem o anúncio melancólico do seu fim com um gif de um pássaro amarelo triste que diz:

“Koo anuncia seu encerramento hoje devido a um ambiente de financiamento ruim. Obrigado por tudo, Brasil. Nós amamos vocês. O passarinho amarelo diz um último adeus…”

Publicação que anuncia o fim da plataforma com nome polêmico no Brasil | Reprodução/X/@KooforBrasil
Publicação que anuncia o fim da plataforma com nome polêmico no Brasil | Reprodução/X/@KooforBrasil
Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Tecnologia
Twitter
X (antigo Twitter)
Koo

Últimas notícias

Biden volta a se pronunciar sobre atentado contra Trump: "política não deve ser campo de matança"

Biden volta a se pronunciar sobre atentado contra Trump: "política não deve ser campo de matança"

Presidente dos EUA defendeu democracia como arena para debates pacíficos
Pagamentos do Bolsa Família começam nesta semana; veja datas

Pagamentos do Bolsa Família começam nesta semana; veja datas

Benefício é destinado a famílias com renda per capita de até R$ 218
SBT News na TV: Nego Di é preso por golpe de R$ 5 milhões em rifa virtual

SBT News na TV: Nego Di é preso por golpe de R$ 5 milhões em rifa virtual

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta segunda-feira (15); assista!
Vídeo: Nego Di chega algemado ao Palácio da Polícia em Porto Alegre após ser preso por estelionato

Vídeo: Nego Di chega algemado ao Palácio da Polícia em Porto Alegre após ser preso por estelionato

Ele é suspeito de aplicar um golpe de rifa virtual que causou prejuízo de R$ 5 milhões a clientes
Após identificar atirador, FBI busca informações sobre a motivação do atentado contra Trump

Após identificar atirador, FBI busca informações sobre a motivação do atentado contra Trump

O diretor da polícia dos Estados Unidos declarou que as autoridades “não deixarão pedra sobre pedra” na investigação sobre a tentativa de assassinato
Jornalismo ambiental e de dados e pautas sociais foram destaques no Congresso da Abraji

Jornalismo ambiental e de dados e pautas sociais foram destaques no Congresso da Abraji

19º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo terminou neste domingo (14), em São Paulo
Vítima de atentado contra Trump morreu tentando proteger sua família

Vítima de atentado contra Trump morreu tentando proteger sua família

Corey Comperatore, de 50 anos, era bombeiro e tinha duas filhas. Ele morreu pelos disparos de Thomas Crooks. Outros dois homens foram feridos gravemente
Lula lamenta morte do pai do ex-governador do Rio Sergio Cabral

Lula lamenta morte do pai do ex-governador do Rio Sergio Cabral

Em nota de pesar, o presidente da República ressaltou, entre outros atributos, a “irreverência” na carreira do jornalista, que faleceu aos 87 anos
Atentado a Trump eleva valor do bitcoin, que supera o patamar de US$ 60 mil

Atentado a Trump eleva valor do bitcoin, que supera o patamar de US$ 60 mil

Segundo analistas, chance de retorno do ex-presidente ao poder aumentou, e ele é a favor da desregulamentação do mercado financeiro
Responsável por atentado contra Trump agiu sozinho, afirma FBI

Responsável por atentado contra Trump agiu sozinho, afirma FBI

Thomas Matthew Crooks, de 20 anos, foi o atirador que tentou assassinar Donald Trump
Publicidade
Publicidade