Publicidade

Alexandre de Moraes arquiva caso sobre hospedagem de Bolsonaro na embaixada da Hungria

Ministro não viu tentativa de refúgio em território estrangeiro e manteve as medidas cautelares impostas anteriormente ao ex-presidente

Alexandre de Moraes arquiva caso sobre hospedagem de Bolsonaro na embaixada da Hungria
Bolsonaro na embaixada da Hungria
Publicidade

O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes arquivou o caso referente à hospedagem de Jair Bolsonaro na Embaixada da Hungria, em Brasília. Segundo dele, o episódio não caracterizou uma tentativa de fuga ou de refúgio do ex-presidente em território estrangeiro. Por isso, Moraes manteve as mesmas medidas cautelares impostas anteriormente.

"Os locais das missões diplomáticas, embora tenham proteção especial, nos termos da Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas, não são considerados extensão de território estrangeiro, razão pela qual não se vislumbra, neste caso, qualquer violação a medida cautelar de 'proibição de se ausentar do País', destacou Moraes, no despacho de arquivamento.

+ Embaixada da Hungria demite brasileiros após vazamento de estadia de Bolsonaro

De acordo com o ministro, "da mesma maneira, não há elementos concretos que indiquem – efetivamente – que o investigado pretendia a obtenção de asilo diplomático para evadir-se do País e, consequentemente, prejudicar a investigação criminal em andamento, conforme bem salientado pela Procuradoria-Geral da República". Na decisão, Moraes retirou o sigilo do caso, tornando públicas as manifestações da defesa e da PGR sobre o assunto.

Medidas cautelares

Ao arquivar o caso, o ministro seguiu o entendimento da PGR, para quem a "estada na Embaixada da Hungria não caracteriza infringência de nenhuma das medidas de cautela". Por fim, Moraes concluiu que "a situação fática permanece inalterada, não havendo necessidade de alteração nas medidas cautelares já determinadas".

Foram mantidas, portanto, as seguintes medidas:

a) proibição de manter contato com os demais investigados; e

b) proibição de se ausentar do país

O caso

Jair Bolsonaro permaneceu dois dias na Embaixada da Hungria, em Brasília, entre os dias 12 e 14 de fevereiro deste ano. A passagem do ex-presidente pela embaixada ocorreu logo após a apreensão do passaporte dele pela Polícia Federal. A informação pelo jornal The New York Times.

A matéria sugeriu que Bolsonaro permaneceu dois dias na Embaixada da Hungria, em Brasília, entre os dias 12 e 14 de fevereiro deste ano, após ter tido seu passaporte apreendido pela Polícia Federal. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (25) pelo jornal norte-americano The New York Times.

A matéria sugeriu que o ex-presidente, alvo de investigações criminais, tentou escapar da justiça aproveitando-se da inviolabilidade diplomática das representações estrangeiras.

Intimada por Moraes a prestar esclarecimentos, a defesa do ex-presidente disse que ele "jamais deixou de comparecer a qualquer ato para qual foi intimado - e não foram poucos -, sendo conhecidos seus endereços em Brasília, assim como sua rotina profissional no Partido Liberal".

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

STF
Alexandre de Moraes
Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Hungria
Embaixada

Últimas notícias

SP: Ladrão agride mulher com socos e chutes para roubar celular

SP: Ladrão agride mulher com socos e chutes para roubar celular

Idoso tenta interferir na agressão e ajudar a vítima
Justiça do Rio decide soltar filha do bicheiro Piruinha

Justiça do Rio decide soltar filha do bicheiro Piruinha

Monalliza Escafura estava presa desde o dia 18 de junho pelo crime de extorsão
Superior Tribunal de Justiça determina absolvição de jovem apontado como criminoso por reconhecimento fotográfico

Superior Tribunal de Justiça determina absolvição de jovem apontado como criminoso por reconhecimento fotográfico

Desembargador argumentou que recurso não deve ser o único indício para levar alguém à prisão "em razão de sua fragilidade”
RJ: idosa de 65 anos é espancada por assaltantes após dizer que não tinha dinheiro

RJ: idosa de 65 anos é espancada por assaltantes após dizer que não tinha dinheiro

Ela foi socorrida e levada para o hospital municipal de Nova Iguaçu em estado grave
Polícia prende golpista que usava antena para invadir o celular das vítimas

Polícia prende golpista que usava antena para invadir o celular das vítimas

Homem ficava entre 8 e 12 horas dentro de carro em São Paulo para aplicar os golpes
"Pílula do câncer": por que a fosfoetanolamina não é regulamentada pela Anvisa?

"Pílula do câncer": por que a fosfoetanolamina não é regulamentada pela Anvisa?

Substância foi distribuída gratuitamente por 20 anos, mas não possui registro para ser usada como medicação no Brasil; entenda
Recém-nascida levada por falsa pediatra é encontrada em Goiás; suspeita é presa

Recém-nascida levada por falsa pediatra é encontrada em Goiás; suspeita é presa

Criança foi localizada a pelo menos 130 km de distância da maternidade em que foi roubada, em Uberlândia, Minas Gerais
Comissão dos Direitos Humanos do RJ pede extradição de argentina que imitou macacos em roda de samba

Comissão dos Direitos Humanos do RJ pede extradição de argentina que imitou macacos em roda de samba

Polícia Civil pediu que Consulado Argentino esclareça se ela já saiu do Brasil
Pivotando: "Sempre o resultado de uma empresa é reflexo da sua governança", defende Danilo Fedel

Pivotando: "Sempre o resultado de uma empresa é reflexo da sua governança", defende Danilo Fedel

O diretor e co-fundador da Sense Inteligência Financeira conversou com João Kepler no 48º episódio do videocast do SBT News; assista!
Maduro diz, sem provas, que eleições não são auditadas no Brasil

Maduro diz, sem provas, que eleições não são auditadas no Brasil

Sob desconfiança de autoridades internacionais, eleição presidencial na Venezuela está marcada para domingo (28)
Publicidade
Publicidade