Publicidade

Pai acusa creche de omissão após bebê voltar para casa com marcas de mordida no Rio

Ele afirma que a menina foi mordida e machucada por pelo menos dois colegas e monitora não prestou socorro

Pai acusa creche de omissão após bebê voltar para casa com marcas de mordida no Rio
Publicidade

Uma família denúncia que um bebê de 1 ano e 4 meses foi para a creche na Rocinha, zona sul do Rio e voltou para casa, na sexta-feira (23), com hematomas e machucados pelo corpo. Eles acusam o local de omissão de socorro.

Tiago dos Santos Angeli Júnior, pai da criança, contou que a Creche Marçal Centro de Estudos, no Centro da comunidade, ligou para a mãe da menina dizendo que o rosto da criança estava arranhado. A mãe da bebê, que está com dengue, pediu para a avó materna buscar a criança na unidade de ensino.

+ Professora é indiciada por maus-tratos após empurrar menino de 3 anos no chão em creche de SP

No local, ao encontrar a menina, a avó se espantou com os machucados, mas levou a criança para casa. Em seguida, a família voltou na creche para questionar o motivo dos hematomas.

A diretora da unidade informou que não sabia o que tinha ocorrido, que era uma monitora que estava cuidando da criança quando o fato aconteceu. A representante, que tem mais duas creches na comunidade, informou apenas que pagaria despesas médicas. Não prestou mais esclarecimentos e nem passou mais detalhes.

+ Homem é preso por suspeita de estupro de vulnerável em creche irregular no RS

Foi então que o pai voltou à creche para pedir explicações mais concretas. Quando chegou no local, a diretora impediu que ele entrasse na unidade e só informou que a funcionária que estava com a menina havia sido demitida.

Inconformado, Tiago procurou a delegacia para denunciar o fato e após a denúncia, a direção da escola apagou o perfil nas redes sociais.

Na escola, o pai da menina teve acesso a imagens de câmeras de segurança que mostram a bebê em uma cadeirinha sem a monitora quando outras crianças partem para cima da menina. Em uma outra sala está a diretora. Em seguida, a bebê aparece caída no chão e chorando. A cuidadora retorna, não ampara a bebê, mas em seguida volta a deixar a sala de aula.

O pai da criança disse que houve omissão de socorro, já que a criança não foi levada ao médico. As agressões acontecerem às 12h, mas a família só teria sido avisada pouco antes das 15h.

"Foram duas crianças de 3 e 4 anos por displicência dos cuidadores e da diretora. O que mais me revolta é a cuidadora entrar, depois que minha filha foi agredida e ela no chão, chorando, mas a cuidadora não faz nada. Em seguida, ela sai da sala e minha filha volta ser agredida. Ela alega que não escutou o choro, mas o choro de uma criança ainda mais apanhando é bem alto."

Em nota, a dona da creche, Juliana Marçal, se desculpou com a família pelo ocorrido e informou que se solidariza pelo que aconteceu. A dona da escola disse ainda que está "à disposição da justiça e da família" para que tudo "seja solucionado o quanto antes e para prestar todo o apoio necessário com todos os custos necessários".

A Polícia Civil disse que a investigação está em andamento na 11ª DP (Rocinha) e que agentes realizam diligências para esclarecer todos os fatos.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Agressão
Rio de Janeiro
Crime

Últimas notícias

Moraes autoriza nova investigação da PF sobre cartão de vacina de Bolsonaro

Moraes autoriza nova investigação da PF sobre cartão de vacina de Bolsonaro

Decisão atende pedido da PGR, que apura ligação com tentativa de golpe de Estado
Polícia vai investigar morte de cachorro embarcado em voo errado da Gol

Polícia vai investigar morte de cachorro embarcado em voo errado da Gol

Cão da raça golden retriever deveria ser levado para Mato Grosso, mas foi enviado por engano para o Ceará; viagem levou 8 horas
Nova Délhi é tomada por fumaça tóxica após incêndio em lixão

Nova Délhi é tomada por fumaça tóxica após incêndio em lixão

Chamas queimam desde o último domingo (21) em um dos maiores aterros da Índia; moradores relataram dificuldade para respirar
+Milionária sorteia prêmio de R$ 176 milhões nesta quarta-feira (24)

+Milionária sorteia prêmio de R$ 176 milhões nesta quarta-feira (24)

Apostas podem ser feitas até as 19h em casas lotéricas ou pela internet
Após meses de impasse, Congresso dos EUA aprova ajuda de R$ 60 bilhões à Ucrânia

Após meses de impasse, Congresso dos EUA aprova ajuda de R$ 60 bilhões à Ucrânia

Decisão foi comemorada por Biden e Zelensky; pacote também inclui envios para Israel e parceiros no Indo-Pacífico
SBT News na TV: Gol suspende transporte de animais por 30 dias após morte de cachorro

SBT News na TV: Gol suspende transporte de animais por 30 dias após morte de cachorro

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta quarta-feira (24); assista!
STF condena mais 11 pessoas por atos golpistas do 8/1 e total sobe para 207

STF condena mais 11 pessoas por atos golpistas do 8/1 e total sobe para 207

Penas foram fixadas entre 11 e 17 anos de prisão, além de R$ 30 milhões em danos morais coletivos
Caixa libera Bolsa Família para beneficiários com NIS final 6

Caixa libera Bolsa Família para beneficiários com NIS final 6

Valor pode ser sacado em agências bancárias ou movimento virtualmente; depósito inclui Auxílio Gás
Estudantes e professores protestam contra cortes na educação na Argentina

Estudantes e professores protestam contra cortes na educação na Argentina

Mobilização recebeu apoio de setores da oposição em todo o país
Após morte de Joca, Gol suspende transporte de cães e gatos por 30 dias

Após morte de Joca, Gol suspende transporte de cães e gatos por 30 dias

Segundo a empresa, a suspensão é "para se dedicar totalmente a concluir o processo de investigação" do caso
Publicidade
Publicidade