Publicidade

Agiotas ligados ao PCC ofereceram propina para corromper policiais, aponta investigação

Após prisão de conhecido, integrantes do núcleo se mobilizaram para pagar propina. MP investiga quem são policiais envolvidos

Agiotas ligados ao PCC ofereceram propina para corromper policiais, aponta investigação
Edson Carlos do Nascimento é apontado como líder do núcleo de agiotagem | Ministério Público de São Paulo
Publicidade

Policiais cumpriram nove mandados de prisão e 17 de busca e apreensão contra um grupo criminoso que atuava em cidades da região do Alto Tietê, nos arredores de São Paulo. A “Operação Khalifa” investiga um núcleo de agiotagem liderado por Edson Carlos do Nascimento, o “Kaká”, investigado por integrar o PCC (Primeiro Comando da Capital). Duas pessoas seguem foragidas.

Agentes do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) monitoraram as atividades do grupo e descobriram que ele cobrava juros mensais de até 300% para empréstimos, e cobravam de seus devedores com ameaças, violência, sequestro de bens e até recurso ao Tribunal do Crime, como mostrou essa reportagem do SBT News.

Segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Público de São Paulo e obtida pelo SBT News, a investigação demonstra como a facção tem “diversificado” suas práticas criminosas — indo além de tráfico de drogas e roubos — para lucrar mais e se distanciar da repressão policial. Mas os episódios demonstram que os agiotas também agiram para corromper policiais.

Outubro de 2023. Durante o período em que as atividades foram monitoradas, um conhecido dos integrantes do grupo, identificado como “Juninho”, foi preso por porte ilegal de arma de fogo em Itaquaquecetuba, cidade vizinha de Arujá, que é apontada como residência de Kaká.

Após o ocorrido, “Léo”, interlocutor do líder do núcleo, entra em contato com ele para informar que os policiais responsáveis pela detenção teriam pedido R$ 20 mil para liberar o conhecido. Kaká questiona o prazo para o pagamento e lembra que Léo já está devendo uma quantia para ele. O colega se compromete a devolver a quantia necessária para pagar a propina e soltar Juninho.

Kaká, então, pergunta quem foram os policiais responsáveis pela prisão. Léo não sabe.

Antes de se comprometer com o empréstimo, Kaká pede que ele descubra isso porque, a depender de quem são os agentes, será possível negociar o valor — o que indica uma prática já exercida pelo grupo. Kaká exige de Léo que o valor seja devolvido rapidamente, mas assegura que não cobrará juros do comparsa. Ele consente.

O Ministério Público investiga quem são os policiais envolvidos na trama.

Quem é quem no núcleo

Segundo as investigações, Kaká é o líder do grupo e membro relevante do PCC. Daniel administra os empréstimos e faz a contabilidade dos valores arrecadados e dos juros cobrados. Gordo fazia a cobrança dos devedores. Jonathan era um braço-direito do advogado Marco Antonio Pereira de Souza Bento, o Paçoca, que, de acordo com o MP, é integrante da facção criminosa. Eduardo também faz parte da organização.

Organograma do núcleo que foi denunciado pela prática de agiotagem | Ministério Público de São Paulo

Vale lembrar que o Ministério Público apresenta uma denúncia após receber as evidências coletadas pelos policiais. Esse é o segundo passo de uma ação criminal. Agora, a Justiça deve decidir se aceita ou não a denúncia. Em caso positivo, um processo criminal é aberto. Ao final, se chega a uma condenação ou uma absolvição. Até o cumprimento dessas etapas, as prisões dos integrantes do núcleo são temporárias.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

PCC
Polícia

Últimas notícias

Brasil Agora: Copom discute futuro da taxa Selic; presidente da Câmara cria comissão para debater PL do aborto

Brasil Agora: Copom discute futuro da taxa Selic; presidente da Câmara cria comissão para debater PL do aborto

Confira essas e outras notícias que serão destaque nesta quarta-feira (19)
Enem 2024: estudantes têm até hoje para pagar taxa de inscrição

Enem 2024: estudantes têm até hoje para pagar taxa de inscrição

Boleto estará disponível na Página do Participante; mais de 5 milhões de pessoas se cadastraram para realizar o exame este ano
+Milionária sorteia prêmio de R$ 226 milhões nesta quarta-feira (19)

+Milionária sorteia prêmio de R$ 226 milhões nesta quarta-feira (19)

Apostas podem ser feitas até as 19h em casas lotéricas ou pela internet
Justin Timberlake deixa prisão após audiência de custódia

Justin Timberlake deixa prisão após audiência de custódia

Cantor foi detido na noite de segunda-feira (17) por suspeita de embriaguez ao volante
Idosa sem folga há 20 anos é resgatada de trabalho análogo à escravidão

Idosa sem folga há 20 anos é resgatada de trabalho análogo à escravidão

Vítima trabalhava como cuidadora para uma família em Itapetininga (SP); Ministério do Trabalho irá propor acordo de verbas trabalhistas
Coreia do Norte promete "apoio total" à Rússia em guerra contra Ucrânia

Coreia do Norte promete "apoio total" à Rússia em guerra contra Ucrânia

Países pretendem assinar acordo para impulsionar a parceria e expandir a cooperação econômica e militar
SBT News na TV: Ex-assessor de Bolsonaro presta novo depoimento à PF sobre joias sauditas

SBT News na TV: Ex-assessor de Bolsonaro presta novo depoimento à PF sobre joias sauditas

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta quarta-feira (19); assista!
Moraes abre novo inquérito para investigar obstrução no caso Marielle

Moraes abre novo inquérito para investigar obstrução no caso Marielle

Decisão atende pedido da PGR e vai apurar ligação de irmãos Brazão e integrantes da Polícia Civil do RJ
Caixa libera Bolsa Família de junho para beneficiários com NIS final 3

Caixa libera Bolsa Família de junho para beneficiários com NIS final 3

Valor pode ser sacado em agências bancárias ou movimentado virtualmente
Mega-Sena acumula e chega a R$ 60 milhões; veja os números sorteados

Mega-Sena acumula e chega a R$ 60 milhões; veja os números sorteados

Quina teve 75 apostas ganhadoras, que vão receber mais de R$ 41 cada
Publicidade
Publicidade