Publicidade

Ms. Marvel: nova heroína adolescente tem poderes diferentes dos quadrinhos

Série estreia nesta 4ª feira (8.jun), na Disney+

Ms. Marvel: nova heroína adolescente tem poderes diferentes dos quadrinhos
Publicidade

De um dia para o outro, ela virou uma estrela do Universo Cinematográfico da Marvel e não está nem acreditando. "É super surreal", nos disse Iman Vellani no tapete vermelho de estreia de Ms. Marvel, em Hollywood. A atriz ainda se sente extasiada com tudo que está acontecendo. "Como não poderia ser? As pessoas agora me reconhecem, é super estranho, não consigo nem descrever." 

Apesar das filmagens de Ms. Marvel e todo o processo de produção já terem começado há mais de dois anos, só ao ver os fãs chamá-la pelo nome que ela percebe tudo se concretizar na sua frente. Este é o primeiro papel da atriz canadense de 19 anos, nascida no Paquistão. E a festa de lançamento foi uma grande celebração à cultura de seu país e ao sul da Ásia. Boa parte do elenco mora lá e tem ascendência paquistanesa ou indiana. A série estreia mundialmente na plataforma da Disney+ nesta 4ª feira (8.jun).

Quem é quem

Iman é Kamala Khan, uma garota paquistanesa-americana que mora em Nova Jersey, nos Estados Unidos, vive uma vida normal, sofre bullying, adora desenhar e escrever, jogar videogame, é cheia dos conflitos da idade e de sonhos, além de, acima de tudo, ser uma fangirl dos Vingadores. Mais especificamente, Kamala ama Carol Danvers, mais conhecida como Capitã Marvel (interpretada por Brie Larson no MCU). Perguntei como foi a preparação para o primeiro papel da vida: "Honestamente, estou apenas sendo eu em uma escala maior. Fui encorajada a colocar minha personalidade na personagem de Kamala e é isso que você vai ver".

O início

A vida corre normalmente, conflitos na escola, em casa, vontade de ir a festas, desejos, até Kamala ganhar um bracelete que era da bisavó (ainda cheio de mistério), que, de repente, traz poderes que permitem aproveitar a energia cósmica, além de criar e controlar estruturas sólidas. A ativação dos superpoderes na série é diferente dos quadrinhos e toda a trama será uma grande surpresa para os fãs que já sabem que a Marvel não tem medo de fazer mudanças em seus personagens. O bracelete, aliás, já traz diversas teorias sobre possíveis conexões com outros superpoderosos. É esperar para ver.

Comemoração Cultural e representatividade

Ms. Marvel é a primeira super-heroína paquistanesa no MCU e ela também foi a primeira heroína muçulmana a encabeçar seu próprio quadrinho da Marvel. A série escrita por Bisha K Ali (Loki e Sex Education) se baseou na personagem cocriada, em 2013, por Sana Amanat, editora de quadrinhos da Marvel, com ascendência paquistanesa e criada em Nova Jersey, assim como a heroína. "É importante poder falar sobre a experiência de ser muçulmana de uma maneira mais interessante e não apenas dizer que os muçulmanos são rígidos, homogêneos e fechados para novas ideias. Eu sinto que eles podem ser de diferentes tipos, com diferentes de experiências, formas, cores, tamanhos e todas essas coisas. É muito empolgante poder contar uma história real e honesta cheia de diversão e coração", nos disse Sana no tapete vermelho.

Festa asiática

As festividades no tapete vermelho foram tão coloridas quanto a série, que explode em todos os tons. No Paquistão, onde Ms. Marvel vai passar no cinema por não haver Disney+, houve reação de que a série estaria muito com cara de Bollywood, com muitos atores com sotaques indianos e expressões que não são usadas no país. Porém, para os atores paquistaneses que fazem parte da série, é um grande passo ter essa representatividade de ser ver na tela de uma grande produção hollywoodiana. 

"Nós vamos amar assistir à série, é muito empolgante. É muito interessante o que Kamala faz no Paquistão, as áreas que ela vai, as casas, mostra como a gente mora. Acho que é muito emocionante fazer parte desse circuito dominante do entretenimento americano", nos contou a atriz paquistanesa Samina Ahmed, que faz o papel da avó de Kamala.

Quatro cineastas dividiram a direção dos seis capítulos da primeira temporada: Adil El Arbi e Bilall Fallah (Bad Boys Para Sempre), Sharmeen Obaid-Chinoy (Fundamental.: Gender Justice. No Exceptions) e Meera Menon (The Walking Dead). 

"Nós, que somos marroquinos e belgas, muçulmanos, também sempre tivemos as mesmas lutas quando adolescentes, em busca de identidade. Você também vê isso em Kamala, com essa crise de identidade em vários aspectos. Espero que as pessoas, meninas, mulheres ao redor do mundo possam se identificar, se ver representadas, mas, ao mesmo tempo, também todas as pessoas podem se identificar, sentir empatia, pois essa é uma história universal", nos disse o diretor Adil El Arbi.

A série produzida por Kevin Feige, presidente da Marvel Studios, deve ser uma espécie de prólogo para The Marvels (2023), sequência de Capitã Marvel.

Ms. Marvel estreia no Disney+ | Divulgação

Adiantamos sem spoiler:

O SBT News assistiu aos dois primeiros episódios antes de fazer as entrevistas no tapete vermelho e adiantamos que o primeiro capítulo pode até parecer uma novelinha mais com cara de Disney do que de Marvel. Mas tenha em mente que é apenas uma introdução de quem é essa menina. Segure firme. O segundo episódio já se torna uma aventura MCU e parte para a descoberta. 

Também no tapete vermelho, os atores, produtores e diretores compararam a história de Kamala com a de Peter Parker, pela pegada juvenil de um adolescente que se descobre superpoderoso. Assim como nas aventuras do Homem-Aranha, também são unânimes ao dizer que Ms. Marvel não é uma série só para adolescentes, mas para todos que gostam do universo dos heróis.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
hollywood-news
sbtnews
marvel
estreia
cleide-klock
mundo
msmarvel
kamala
mcu
série
disney+
iman vellani

Últimas notícias

Uma em cada oito crianças no mundo sofre com obesidade

Uma em cada oito crianças no mundo sofre com obesidade

Além dos obesos, a pesquisa constatou que 43% dos adultos do mundo estão com sobrepeso
Mosquito da dengue oferece risco também a cachorros e gatos

Mosquito da dengue oferece risco também a cachorros e gatos

Aedes aegypti pode transmitir aos pets doença conhecida como 'verme do coração'; conheça sintomas e tratamento
José Dirceu deve ter alta hospitalar neste sábado

José Dirceu deve ter alta hospitalar neste sábado

Político está internado desde o dia 25 de fevereiro por causa de uma pneumonia
Brasil volta a ser top 10 das maiores economias do mundo com PIB de 2023

Brasil volta a ser top 10 das maiores economias do mundo com PIB de 2023

País ocupa atualmente a 9ª colocação, à frente de Canadá, Rússia e Austrália. Confira lista
Militares que metralharam família no RJ podem ter penas reduzidas de 30 para 3 anos

Militares que metralharam família no RJ podem ter penas reduzidas de 30 para 3 anos

Dois ministros do STM consideraram homicídio culposo a ação do Exército que teve 257 tiros de fuzil e resultou em duas mortes
Mistura de biodiesel no diesel sobe para 14% a partir desta sexta

Mistura de biodiesel no diesel sobe para 14% a partir desta sexta

Combinação evita a emissão de 5 milhões de toneladas de gás carbônico na atmosfera
Aumento de casos de doenças como a dengue deve causar impacto de até R$ 20 bilhões no PIB

Aumento de casos de doenças como a dengue deve causar impacto de até R$ 20 bilhões no PIB

País pode fechar o ano com mais de quatro milhões de infectados por arboviroses
Belo Horizonte inaugura hospital de campanha para atendimento de pacientes com dengue

Belo Horizonte inaugura hospital de campanha para atendimento de pacientes com dengue

Minas Gerais é o estado com o maior número de casos prováveis da doença
Polícia prende 23 pessoas que aplicavam golpes em comerciantes de sete estados

Polícia prende 23 pessoas que aplicavam golpes em comerciantes de sete estados

"Central de telemarketing do crime" funcionava em São Paulo; idosos eram vítimas preferidas
Associações médicas do Brasil vão enviar manifesto sobre péssima qualidade do ar para Marina Silva e Conama

Associações médicas do Brasil vão enviar manifesto sobre péssima qualidade do ar para Marina Silva e Conama

No Brasil, a poluição atmosférica mata mais de 50 mil pessoas por ano, eleva o número de internações hospitalares e gera custos ao sistema público de saúde, diz pesquisa
Publicidade
Publicidade