Publicidade

Kwai é investigada no Brasil pelo MPF por espalhar fake news

Inquérito apura se rede social criou e propagou conteúdos falsos para aumentar seguidores

Kwai é investigada no Brasil pelo MPF por espalhar fake news
Publicidade

Inquérito civil aberto pelo Ministério Público Federal (MPF) investiga se rede social Kwai criou e espalhou falsas notícias para aumentar o número de visualizações e de seguidores no Brasil. Um dos focos da apuração será a suposta produção e circulação de fake news nas eleições de 2022. A rede social chinesa foi amplamente usada por bolsonaristas e petistas para ataques e trocas de acusações na campanha.

+ Redes sociais criam plataformas de denúncias contra fake news nas eleições

O pedido de abertura do inquérito cita "indícios de que postagens na rede com informações inverídicas e apelativas sejam produzidas não por usuários regulares do Kwai, mas pela própria plataforma – diretamente ou por meio de empresas de publicidade por ela contratadas, sem qualquer identificação de sua origem", segundo o MPF.

A investigação do MPF contra a Kwai será feita com três frentes temáticas:

  • Suposta criação de perfis falsos de órgãos e autoridades públicas brasileiras no Kwai, como se fossem páginas oficiais.
  • Possível produção e circulação de notícias falsas na rede social, sobretudo durante a eleição de 2022, com a finalidade de aumentar sua audiência e em contrariedade tanto com os termos de serviço da plataforma quanto com os compromissos que ela afirma publicamente ter para contenção de desinformação.
  • Tentativa de elevar o engajamento de usuários por meio da veiculação de vídeos contendo atos de violência contra mulheres e exposição indevida de crianças e adolescentes.

Procurada, a Kwai não se manifestou até a publicação desta reportagem.

A ação foi aberta por determinação do procurador regional da República Yuri Correa da Luz, da área de Direitos do Cidadão, em São Paulo. Tem como base "uma denúncia anônima que o MPF recebeu pelo canal institucional de atendimento aos cidadãos".

A Joyo Tecnologia Brasil Ltda., que representa a chinesa Kwai, e empresas de publicidade que teriam produzido conteúdos considerados "desinformativos ou apelativos" foram acionadas pelo MPF para prestar esclarecimentos. O procurador pediu dados de contratos, mensagens, gravações, documentos, vídeos postados, entre outros.

Redes sociais. A Kwai passa a integrar o grupo de redes sociais alvos do MPF relativo aos conteúdos e métodos usados. A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, em São Paulo, tem aberto, desde 2021, uma investigação contra outras sete plataformas digitais: YouTube, TikTok, Instagram, Facebook, X (antigo Twitter), Whatsapp e Telegram. Elas são investigadas por possíveis omissões no combate à desinformação e à violência digital.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Redes Sociais
Justiça
MPF

Últimas notícias

Cheias em rios do Acre atingem 19 municípios; Governo decreta emergência

Cheias em rios do Acre atingem 19 municípios; Governo decreta emergência

Segundo dados do governo local, cerca de 11 mil pessoas estão desabrigadas
Torcedora flagra criança chamando Vinicius Jr de macaco durante jogo

Torcedora flagra criança chamando Vinicius Jr de macaco durante jogo

Ofensa racista aconteceu durante jogo entre Valencia x Real Madrid; mãe da criança tentou impedir gravação
Esquerda convoca ato para se contrapor ao de Bolsonaro, mas descarta pedido de prisão

Esquerda convoca ato para se contrapor ao de Bolsonaro, mas descarta pedido de prisão

Diferentes cidades deverão ter manifestações em 23 de março; divulgação de que atos exigiriam prisão de Bolsonaro foi criticada
Morre o jornalista Claudio Tognolli, aos 60 anos

Morre o jornalista Claudio Tognolli, aos 60 anos

Também músico e escritor, o profissional venceu os prêmios Esso e Jabuti
Fiocruz indica que vacina BCG é ineficaz quando aplicada em adultos

Fiocruz indica que vacina BCG é ineficaz quando aplicada em adultos

Segundo uma pesquisa conduzida pela fundação, o imunizante é mais eficaz quando aplicado em crianças de até 5 anos
FALSO: Vídeo é editado para insinuar falsamente que Magno Malta estava bêbado em ato pró-Bolsonaro

FALSO: Vídeo é editado para insinuar falsamente que Magno Malta estava bêbado em ato pró-Bolsonaro

Confira a verificação realizada pelos jornalistas integrantes do Projeto Comprova
Paciente com câncer consegue congelamento de óvulos pelo plano de saúde

Paciente com câncer consegue congelamento de óvulos pelo plano de saúde

Mulher do Rio Grande do Sul ganhou na justiça o direito de tratamento pago pelo plano de saúde
Papa volta a suplicar por fim de guerras e por desarmamento

Papa volta a suplicar por fim de guerras e por desarmamento

Em reflexão na Praça São Pedro, o pontífice falou sobre o conflito entre Israel e o Hamas e pediu a libertação dos reféns
Apenas 1 em 4 pacientes recebem tratamento adequado contra o câncer

Apenas 1 em 4 pacientes recebem tratamento adequado contra o câncer

Levantamento global aponta para a importância de exames preventivos
2 milhões de árvores nativas foram replantadas na Amazônia

2 milhões de árvores nativas foram replantadas na Amazônia

Venda de crédito de carbono ajuda a manter floresta em pé
Publicidade
Publicidade