Publicidade

ONU pede "corredores seguros" para levar ajuda humanitária à Ucrânia

Subsecretário-geral disse que chegada de alimentos e remédios às zonas de conflito é "obrigação" dos dois países

ONU pede "corredores seguros" para levar ajuda humanitária à Ucrânia
Martin Griffiths
Publicidade

O subsecretário-geral das Nações Unidas (ONU) para Assuntos Humanitários e Coordenação de Operações de Emergência, Martin Griffiths, defendeu, nesta 2ª feira (07.mar), a criação de "corredores seguros" para a chegada de ajuda humanitária às zonas de conflito da Ucrânia. Segundo Griffiths, a ONU teme que comboios de assistência à população sejam alvos de ataques da Rússia.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

"Civis em zonas como Mariupol, Kharkiv, Melitopol e outros locais precisam desesperadamente de ajuda, especialmente suplementos médicos que salvam vidas", declarou o subsecretário-geral em reunião do comitê de Operações de Emergência, em mais um encontro do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Griffiths argumentou ainda que a garantia do fornecimento de ajuda humanitária é obrigação de russos e ucranianos e deve se feita "em conformidade com as obrigações das partes sob as leis de guerra". Para o representante da ONU, essa diretriz inclui ainda o compromisso de "ambas as partes" em "poupar, a todo momento, os civis, as casas de civis e a infraestrutura" das cidades para essa população, durante as operações militares.

Além disso, o subsecretário-geral reforçou que, enquanto durarem as hostilidades, as negociações entre os governos da Rússia e da Ucrânia devem priorizar acordos que permitam "a passagem segura de civis que deixam áreas de conflitos ativos de forma voluntária, naquilo que são as suas escolhas", destacando que a população deve buscar refúgio em países que lhe pareça seguro, e não necessariamente em território russo ou bielorrusso, como planeja o Kremlin.

Para Griffiths, o fornecimento da ajuda humanitária "na escala necessária" aos ucranianos também demanda um fluxo atualizado de informações a respeito da situação das zonas mais afetadas pela guerra. Por isso, enfatizou a urgência de "um sistema de comunicação constante com as partes em conflito e de garantias para permitir a entrega" dos suprimentos.

Durante a sessão, a embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfiel, denunciou ainda a morte de crianças ucranianas nos ataques russos, além do impacto psicológico da invasão nos pequenos. "Também as crianças pequenas ficaram gravemente traumatizadas pela violência e destruição que testemunharam ao ponto de terem parado de falar. As feridas físicas e psicológicas desta guerra vão ser duradouras", observou a diplomata, afirmado ser "claro que Putin tem um plano para brutalizar a Ucrânia".

Uma segunda reunião reunião, desta vez, a portas fechadas, foi realizada na sequência. Atendendo a um pedido apresentado por França e México, os 15 países membros do Conselho de Segurança da ONU discutiu uma proposta de garantia de auxílio à população local e uma possível solução diplomática para os embates entre russos e ucranianos.

Leia também:

+ Rússia anuncia cessar-fogo para evacuação de cidades ucranianas

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
guerra-na-ucrania
guerra na ucrânia
diario da guerra
ucrania
russia
europa
guerra
vladimi putin
volodymyr zelensky
eua
otan
uniao europeia
kiev
moscou
kremlin
onu
nações unidas
martin griffiths
ajuda humanitária
corredor humanitári

Últimas notícias

Passageiro de carro envolvido em acidente em SP comprou três garrafas de bebida em bar

Passageiro de carro envolvido em acidente em SP comprou três garrafas de bebida em bar

Comanda do bar mostra que Felipe Gambeta Malheiro, que inicialmente se apresentou como condutor do veículo, comprou duas garrafas de vodka e uma de licor
Vídeo: Idoso de 84 anos é agredido por homem na zona sul de São Paulo

Vídeo: Idoso de 84 anos é agredido por homem na zona sul de São Paulo

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento da discussão e das agressões
Ramagem deixa a Polícia Federal após seis horas de depoimento sobre "Abin paralela"

Ramagem deixa a Polícia Federal após seis horas de depoimento sobre "Abin paralela"

Ex-diretor da Abin é apontado com um dos supostos chefes do núcleo político montado na agência para espionar ilegalmente desafetos do governo Bolsonaro
Procurador de Minas Gerais pede desculpas em vídeo por agressão a funcionária em cinema

Procurador de Minas Gerais pede desculpas em vídeo por agressão a funcionária em cinema

A gravação é parte de um acordo extrajudicial firmado entre o agressor e a vítima, de 25 anos
Lula se reúne com INSS e PF para tratar de ‘pente-fino’ nos benefícios sociais

Lula se reúne com INSS e PF para tratar de ‘pente-fino’ nos benefícios sociais

Encontro será realizado nesta quinta-feira (18), às 9h30, e terá ainda a presença de seis ministros
Senado aprova uso de vale-cultura para pagar ingressos esportivos

Senado aprova uso de vale-cultura para pagar ingressos esportivos

Projeto permite novo fim para benefício de R$ 50 a trabalhadores que ganham até cinco salários mínimos
Rei Charles III realiza o tradicional discurso no Parlamento

Rei Charles III realiza o tradicional discurso no Parlamento

Monarca leu as principais propostas redigidas pelo novo governo trabalhista
TSE vai enviar representantes para acompanhar eleições na Venezuela

TSE vai enviar representantes para acompanhar eleições na Venezuela

Pleito presidencial acontece no dia 28 de julho e é alvo de preocupação do Brasil
Para analista político, eleitor de Bolsonaro não vê Ramagem como traidor

Para analista político, eleitor de Bolsonaro não vê Ramagem como traidor

Aryell Calmon falou ao Poder Expresso sobre o apoio bolsonarista ao candidato à prefeitura do Rio de Janeiro (RJ). Deputado gravou conversa com ex-presidente
Dólar fecha em alta de 1,02% com impacto de falas de Lula e juros nos EUA

Dólar fecha em alta de 1,02% com impacto de falas de Lula e juros nos EUA

Moeda americana encerrou o pregão desta quarta-feira (17) cotada a R$ 5,48
Publicidade
Publicidade