Publicidade

Plano de vacinação de 2023 pode sair até 31 de dezembro, diz Queiroga

"Trabalharemos até 31 de dezembro à meia-noite", indicou o ministro em balanço de ações da pasta durante o governo Bolsonaro

Plano de vacinação de 2023 pode sair até 31 de dezembro, diz Queiroga
Ministro da saúde Marcelo Queiroga
Publicidade

Com o fim do governo Jair Bolsonaro (PL), no próximo dia 31 de dezembro, o Ministério da Saúde apresentou, nesta 4ª feira (21.dez), um balanço das ações da pasta nos quatro anos de gestão do governo. Na coletiva, no edifício-sede do Ministério da Saúde em Brasília, o ministro da pasta, Marcelo Queiroga, afirmou que a pasta vai seguir trabalhando até o dia 31 de dezembro, "à meia-noite", e que o plano de vacinação será apresentado até lá.

"Trabalharemos até 31 de dezembro, à meia-noite. O plano de vacinação está sendo elaborado e será apresentado. Ainda assinaremos contratos, forneceremos informações e publicaremos todo o plano nacional de vacinação, incluindo o de Covid, para 2023", disse Queiroga.

Queiroga reforçou que nenhum dos seus antecessores enfrentaram situação similar ao que ele passou durante sua gestão na pasta, referindo-se de forma mais expressiva a situação da Covid-19.

"Neste momento, em que assumimos o Ministério da Saúde, nós estávamos praticamente sozinhos. Nós fomos construindo nossa equipe no dia a dia. É como trocar os pneus do carro com o carro andando", disse o ministro. "Nenhum dos meus antecessores, e eu digo sem medo, enfrentaram situação nem de perto similar ao que eu enfrentei", ressaltou.

Leia mais:

Na sequência, Queiroga também questionou críticas feitas pela equipe do grupo técnico de Saúde do gabinete de transição, que apontou "cenário caótico" no Ministério da Saúde durante a gestão do governo Bolsonaro.

"Hoje, eu vejo, com certa tristeza, alguns dizerem que há uma terra arrasada no ministério da Saúde. Quem diz isso cospe nos servidores públicos do ministério da saúde. E são a sua essência, são a sua alma, não aqueles que vem pra cá ocupar cargos por indicação política sem critério, como nós bem sabemos", aponta. "Não há terra arrasada nenhuma no Ministério da Saúde, absolutamente nenhuma. Quem disse que tem terra arrasada no ministério da Saúde, bom sujeito não é", reforçou.

Queiroga deixará o cargo no dia 31 de dezembro com o fim do governo Bolsonaro. Como 50° ministro de estado da saúde, Queiroga foi o que ficou mais tempo no cargo: 1 ano e 9 meses. O médico cardiologista assumiu a pasta em março de 2021, quando a vacinação da covid-19 ainda estava lenta. Quatro pessoas diferentes ocuparam o cargo de ministro da Saúde na gestão Bolsonaro. Antes de Queiroga, passaram pelo Ministério: Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello.

*Estagiário com supervisão de Cezar Camilo

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

sbtnews
portalnews
saúde
queiroga
bolsonaro
ministério

Últimas notícias

Caso Marielle: defesas pedem ao STF rejeição de denúncia e atacam falta de provas e delação inválida

Caso Marielle: defesas pedem ao STF rejeição de denúncia e atacam falta de provas e delação inválida

Ministros da 1ª Turma decidem na terça (18) se irmãos Brazão, delegado do Rio e dois ligados à milícia do Rio sentam no banco dos réus como mandantes do crime
PL que cria cadastro nacional de agressores deve ser analisado pelo Senado

PL que cria cadastro nacional de agressores deve ser analisado pelo Senado

Previsão é de que avaliação seja realizada nos próximos dias
Comidas típicas de Festa Junina estão mais caras com inflação

Comidas típicas de Festa Junina estão mais caras com inflação

Levantamento do Instituto de Economia da Fundação Getúlio Vargas, divulgado com exclusividade para o SBT, analisou 27 itens tradicionais juninos
Procedimentos estéticos respondem por mais de 50% das queixas de serviços de saúde

Procedimentos estéticos respondem por mais de 50% das queixas de serviços de saúde

Nos últimos 12 anos, foram registrados cerca de dez mil boletins de ocorrência e processos judiciais motivados pelo crime de exercício ilegal da profissão
Policial morre após ser baleado com a própria arma depois de briga em SP

Policial morre após ser baleado com a própria arma depois de briga em SP

Segundo a investigação, o assassino disparou pelo menos 12 vezes
Lula conversa com diretor-geral da Enel, que promete investimento bilionário no Brasil

Lula conversa com diretor-geral da Enel, que promete investimento bilionário no Brasil

Reunião aconteceu após encontro do G7, na Itália, com participação e negociações bilaterais do presidente brasileiro
Chileno é preso por filmar partes íntimas de crianças na praia da Urca, no Rio

Chileno é preso por filmar partes íntimas de crianças na praia da Urca, no Rio

Javier Eduardo López Órdenes foi levado para a delegacia de Copacabana; caso foi encaminhado à Justiça
RJ: menina baleada com tiro de fuzil quando voltava de balé segue em estado grave

RJ: menina baleada com tiro de fuzil quando voltava de balé segue em estado grave

Parentes e amigos de Ana Beatriz Barcelos, de 14 anos, marcaram uma missa neste sábado (15) para pedir pela recuperação da adolescente
Oito militares israelenses morrem após explosão de veículo em Rafah

Oito militares israelenses morrem após explosão de veículo em Rafah

Em Tel Aviv, milhares de manifestantes protestaram contra o governo, pedindo o fim da guerra
Trio paulista especializado em roubar casas no Rio é preso após cerco policial

Trio paulista especializado em roubar casas no Rio é preso após cerco policial

Com os bandidos, foram apreendidos uma chave de fenda, luvas, joias e aproximadamente R$ 2 mil em espécie
Publicidade
Publicidade