Publicidade

Guilherme Boulos se projeta como um dos principais nomes da esquerda

Saiba mais sobre o líder político do PSOL que é candidato à Prefeitura de São Paulo

Guilherme Boulos se projeta como um dos principais nomes da esquerda
Publicidade

Guilherme Boulos é considerado como um dos principais nomes na renovação da esquerda brasileira. Foto: Redes sociais 


Guilherme Boulos venceu. A frase está na boca e na cabeça de integrantes da campanha do candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo. E isso não tem nada a ver com o resultado do segundo turno. Eleito ou não, Boulos passa a ocupar o espaço de principal nome da esquerda no que se pode chamar de período 'pós-eleição' de Jair Bolsonaro. "Ele sabe disso, do valor que ele tem a partir de agora. Mas nosso primeiro foco continua sendo a votação deste domingo", disse um dos assessores.

As pesquisas do segundo turno, que mostram claramente o crescimento da campanha, legitimaram o discurso de Boulos que se apresentou como a "chance de mudança". "Segundo turno as coisas ficam muito claras. Quem quer a continuidade, quem acha que a cidade tá muito boa desse jeito, que a propaganda encantada do Bruno Covas na televisão expressa a realidade da cidade, tem o candidato da continuidade. Quem quer mudar, quem quer se abrir pro novo, quem acha que São Paulo ficou numa situação de abandono, quem acha que a Prefeitura não agiu bem, inclusive agora durante a pandemia, tem a oportunidade de mudança, que é comigo e com a Luiza Erundina", disse o candidato do PSOL, no último evento público antes de ser diagnosticado com a Covid-19.

Mas pra entender exatamente a mudança, é preciso voltar um pouco no tempo. Guilherme Boulos, tem trinta e oito anos. Em 2018, ele já ganhou destaque por ser o candidato mais novo a concorrer à Presidência da República. Teve 617 mil votos, com pouquíssimo tempo na propaganda no rádio e na tv. Boulos se formou em Filosofia na Universidade de São Paulo (USP) e se especializou em Psicanálise, na PUC/SP. Também fez mestrado em Psiquiatria, na Faculdade de Medicina da USP. É professor e escritor. Deu aula em escola pública. Mas, segundo o pai, o médico infectologista Marcos Boulos, "Guilherme não era um CDF".  "Era um moleque normal em termos de brincadeira, brincava muito, jogava muito, fazia muita coisa... Queria ir ao estádio... Inclusive os temas dele nas lições eram sobre futebol", disse o pai do candidato ao SBT News.

E o curioso é que foi na arquibancada que a família percebeu os caminhos que Boulos seguiria. "Até com a ida aos estádios de futebol em que ele via todo aquele pessoal diferente se congraçando, se abraçando. Ele se interessava mais pela torcida do que pelo jogo propriamente dito", disse o pai.  "Até o momento em que ele começa a ver o que estava acontecendo no mundo ao redor... Ele não conseguia compreender porque tinham pessoas que dormiam na rua, quando nós estávamos muito bem ou parte das pessoas estava muito bem. Não conseguia entender porque tinham pessoas nos faróis de carro, buscando dinheiro e comida", completou.

A mãe de Boulos, Maria Ivete Castro Boulos, que também é médica infectologista, recorda do passado com um largo sorriso no rosto. Especialmente, quando o filho passou a frequentar os acampamentos dos MTST, o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto. "Ele ficava impressionado, as pessoas tinham lá um assentamento, que saíam lá 4 horas da manhã, 3 e meia da manhã, porque ainda tinham que caminhar um bom pedaço pra economizar o dinheiro do transporte, pra pegar ainda dois transportes pro trabalho. E que não tinham ainda uma casa pra morar, mesmo trabalhando dessa maneira, passando as horas do dia só dedicado ao seu trabalho, nem sempre conseguia colocar a comida na mesa."
 
Daí a fazer parte da coordenação do MTST foi um caminho natural. "Apesar de começo a gente achar que era apenas um discurso, que isso podia mudar com as amizades. Mas, de fato, quem mudou foram os amigos que estavam do lado dele, que começaram a trabalhar com ele neste setor também", recordou o pai de Boulos. Os muitos inimigos que o filho passou a ter por defender a causa da falta de moradia, preocuparam os pais. Mas o filho idealista dos médicos ganhou muitos 'pais' dentro do MTST. "Eu chegava e fazia fila de mulheres pra me abraçar, abraçar a mãe do Guilherme. E algumas cochichavam: Olha, pode deixar que a gente cuida bem dele. Às vezes ele chega aqui cansado, com fome... Sempre tem um feijãozinho gostoso pra ele aqui", contou a mãe.

Casa na Periferia - Boulos é casado com Natalia Szermeta, coordenadora do MTST. Há sete anos, ele vive em uma casa simples no bairro do Campo Limpo, na zona sul, com a mulher e as duas filhas: Sofia, de 10 anos, e Laura, de 9. As meninas bombaram nas redes sociais todas as vezes que apareceram ao lado do pai. O ponto alto foi Boulos e as meninas participaram de um jogo via internet com o youtuber Felipe Melo. "Vou apanhar em casa se a Laurinha e a Sofia não derem um oi pra você", disse Boulos, pouco antes do início do jogo. Mais de quinhentas mil pessoas acompanharam pelas redes e se divertiram com a naturalidade das crianças. Sofia ajudou o pai na rodada do 'Among Us', em que jogadores são astronautas que devem realizar diversas atividades em uma nave espacial. Mas entre os jogadores há um impostor, que deve sabotar as atividades e matar outros tripulantes.

Para encerrar, vale voltarmos à entrevista dos pais de Guilherme Boulos ao SBT News. Em especial, quando o pai do candidato falou sobre coragem: "Ele tem a coragem que nós não tivemos na vida. Eu, como médico, podia até querer tudo isso que ele quer fazer pelos outros, mas eu não tinha coragem. Tinha a sensibilidade, mas não a coragem. Ele tinha a sensibilidade... E além de sentir a dor do outro, como os médicos e outras pessoas sentem, também começou a sentir a dor do mundo dentro dele."
 
 
Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
eleições
eleicoes
municipais
cidades
brasil
sbt news
guilherme boulos
são paulo
boulos
psol
história
bio
trajetória

Últimas notícias

RJ: Acidente com ônibus deixa 25 feridos na Baixada Fluminense

RJ: Acidente com ônibus deixa 25 feridos na Baixada Fluminense

Bombeiros afirmam que cinco pessoas estão em estado grave; Vítimas foram levadas para unidades municipais em Itaguaí
Crise Americanas: Empresa tem prejuízo de R$ 4,6 bi em nove meses de 2023

Crise Americanas: Empresa tem prejuízo de R$ 4,6 bi em nove meses de 2023

Apesar dos resultados negativos, companhia disse que superou o momento mais difícil desde que entrou em recuperação judicial. Relembre o caso
Policiais são investigados por tráfico de armas em Salvador

Policiais são investigados por tráfico de armas em Salvador

Eles apreenderam quatro fuzis que estavam de posse de criminosos, mas não apresentaram os armamentos em unidade da Polícia Civil
Helicóptero faz resgate cinematográfico no Rio; veja

Helicóptero faz resgate cinematográfico no Rio; veja

Mulher havia quebrado a perna na Pedra do Telégrafo; local é de difícil acesso
Cantor sertanejo é assassinado a tiros após ter casa invadida no interior de São Paulo

Cantor sertanejo é assassinado a tiros após ter casa invadida no interior de São Paulo

Polícia Civil investiga homicídio do integrante da dupla 'Wesley e Gustavo'; suspeito foi capturado em Minas Gerais
Musk quer concorrer com serviço de email Gmail e sugere Xmail

Musk quer concorrer com serviço de email Gmail e sugere Xmail

Anuncio aconteceu em meio a uma onda de desinformação contra o serviço de mensagens do Google
Pai acusa creche de omissão após bebê voltar para casa com marcas de mordida no Rio

Pai acusa creche de omissão após bebê voltar para casa com marcas de mordida no Rio

Ele afirma que a menina foi mordida e machucada por pelo menos dois colegas e monitora não prestou socorro
Aliados de Bolsonaro chamam ato na Paulista de “momento histórico”; Base de Lula avalia como afronta à democracia

Aliados de Bolsonaro chamam ato na Paulista de “momento histórico”; Base de Lula avalia como afronta à democracia

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann fez duras críticas ao ex-presidente; já Coronel Telhada chamou Bolsonaro de estadista
Convidados jogam lixo em modelos durante desfile da marca Avavav, em Milão

Convidados jogam lixo em modelos durante desfile da marca Avavav, em Milão

Diretora criativa Beate Karlsson convocou a plateia para jogar papel, copos, latas, plástico, café, suco e até comida na passarela durante a apresentação da nova coleção
Navalny estava prestes a ser libertado em troca de prisioneiros, diz aliada

Navalny estava prestes a ser libertado em troca de prisioneiros, diz aliada

Negociações estavam em fase final um dia antes do opositor russo ser encontrado morto na prisão
Publicidade
Publicidade