Publicidade

Haddad anuncia medidas para compensar rombo no orçamento com manutenção da desoneração da folha

Ministro da Fazenda diz que déficit zero e queda de inflação continuam meta para 2024; limites a benefícios fiscais buscam equilibrar contas

Haddad anuncia medidas para compensar rombo no orçamento com manutenção da desoneração da folha
Publicidade

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que o governo quer reduzir a inflação e o desemprego no Brasil, ao anunciar na manhã desta 5ª feira (28.dez) medidas para compensar as perdas de receita, em 2024, com a prorrogação da desoneração da folha de pagamentos para 17 setores da economia.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

"Queremos queda de inflação e de desemprego em 2024", disse Haddad, ao apresentar as medidas compensatórias de perda de receita da União, em entrevista coletiva a jornalistas.

As medidas anunciadas por Haddad são para reduzir o saldo negativo nas contas do governo federal em 2024, após o Congresso prorrogar a desoneração por mais quatro anos.

O governo contava com o fim dos benefícios em 31 de dezembro ao elaborar o Orçamento do próximo ano. O objetivo ainda é atingir o "déficit zero" em 2024.

A prorrogação gera, segundo o governo, um rombo de pelo menos R$ 18 bilhões, em relação ao que era estimado pela Fazenda.

Segundo ele, "economista sério não defende a prorrogação da desoneração da folha para os 17 setores".

A medida adotada pelo governo é a de "reoneração" gradual da folha, com a prorrogação pelo Congresso até 2027. "Encaminhamos ao Congresso uma reoneração gradual, com análise setor a setor, gradual, não necessariamente volta aos 20%, de cota patronal, pode ficar abaixo disso e ficará abaixo disso em alguns casos e com um ingrediente novo que queremos testar, que é a ideia de você isentar de pagamento de cota patronal o primeiro salário mínimo que o trabalhador receber."

Ordem

Haddad afirma que o governo procura "colocar ordem" no Orçamento da União, "que virou uma bagunça". Foram três medidas apresentadas.

O ministro afirmou que "as medidas são de Estado", não do governo, e afirmou que elas são parecidas como as adotadas por empresas. "Estamos adotando um critério muito similar à compensação de prejuízos de uma empresa."

Uma das medidas foi acabar com um programa prorrogado por cinco anos no fim do governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) para empresas de eventos. Segundo ele, a renuncia anual estimada era de R$ 4 bilhões. "2023 fechou o ano com R$ 16 bilhões de renuncia fiscal, só com dados da parte informada pelo contribuinte."

Outra medida anunciada é a limitação a um teto de 30% do valor do crédito das compensações tributárias feitas por empresas, quando é abatido valor pago em compensação a tributos pagos indevidamente em anos anteriores.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Economia

Últimas notícias

Cantor sertanejo é assassinado a tiros após ter casa invadida no interior de São Paulo

Cantor sertanejo é assassinado a tiros após ter casa invadida no interior de São Paulo

Polícia Civil investiga homicídio do integrante da dupla 'Wesley e Gustavo'; suspeito foi capturado em Minas Gerais
Musk quer concorrer com serviço de email Gmail e sugere Xmail

Musk quer concorrer com serviço de email Gmail e sugere Xmail

Anuncio aconteceu em meio a uma onda de desinformação contra o serviço de mensagens do Google
Pai acusa creche de omissão após bebê voltar para casa com marcas de mordida no Rio

Pai acusa creche de omissão após bebê voltar para casa com marcas de mordida no Rio

Ele afirma que a menina foi mordida e machucada por pelo menos dois colegas e monitora não prestou socorro
Aliados de Bolsonaro chamam ato na Paulista de “momento histórico”; Base de Lula avalia como afronta à democracia

Aliados de Bolsonaro chamam ato na Paulista de “momento histórico”; Base de Lula avalia como afronta à democracia

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann fez duras críticas ao ex-presidente; já Coronel Telhada chamou Bolsonaro de estadista
Convidados jogam lixo em modelos durante desfile da marca Avavav, em Milão

Convidados jogam lixo em modelos durante desfile da marca Avavav, em Milão

Diretora criativa Beate Karlsson convocou a plateia para jogar papel, copos, latas, plástico, café, suco e até comida na passarela durante a apresentação da nova coleção
Navalny estava prestes a ser libertado em troca de prisioneiros, diz aliada

Navalny estava prestes a ser libertado em troca de prisioneiros, diz aliada

Negociações estavam em fase final um dia antes do opositor russo ser encontrado morto na prisão
Investidores apostam em robôs semelhantes aos humanos; entenda

Investidores apostam em robôs semelhantes aos humanos; entenda

Formada por ex-engenheiros do Google, Figure AI quer robôs que realizem tarefas perigosas, tediosas ou complexas para humanos
Integrante da Força Aérea americana ateia fogo ao corpo em frente embaixada de Israel

Integrante da Força Aérea americana ateia fogo ao corpo em frente embaixada de Israel

Ato foi realizado para criticar ataques israelenses na Faixa de Gaza; homem foi levado ao hospital
Ministro Fernando Haddad, da Fazenda, testa positivo para covid-19

Ministro Fernando Haddad, da Fazenda, testa positivo para covid-19

De acordo com a pasta, ele vai cumprir agenda de forma virtual, o que inclui participação no G20
Ato de Bolsonaro na Paulista reuniu 600 mil, diz SSP; levantamento da USP fala em 185 mil

Ato de Bolsonaro na Paulista reuniu 600 mil, diz SSP; levantamento da USP fala em 185 mil

Secretário de Segurança apontou presença de 750 mil pessoas na manifestação, contando ruas adjacentes
Publicidade
Publicidade