Publicidade

Crescimento da economia surpreende e leva a revisões das contas para o ano

Volta potente de atividades presenciais reafirma serviços como motor do PIB; setor cresce 1,3% no 2º tri

Crescimento da economia surpreende e leva a revisões das contas para o ano
Economia brasileira
Publicidade

A surpresa foi até pequena -- numericamente --, mas não deixa de ser surpresa. A média do mercado calculava uma alta para o Produto Interno Bruto (PIB) no 2º trimestre do ano ao redor de 0,9%. Isso quando comparado ao período de janeiro a março de 2022. Esse 0,3 ponto percentual a mais, para alguns observadores da economia, ainda pode ser considerado dentro das expectativas. Mas há um clima de mais otimismo não explícito que em alguns casos caminha junto com a frieza dos números. E aponta até para revisões para cima das estimativas do fechamento do ano. 

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

"Alguns indicadores antecedentes davam sinais [vendas no varejo, desemprego caindo, indicações sobre crédito melhores] e o número acabou vindo dentro do esperado, pouca coisa melhor", aponta Gustavo Loyola, sócio da Tendências Consultoria e ex-presidente do Banco Central. Ele avalia que a recuperação da atividade no pós-pandemia ainda tem efeitos benignos sobre o crescimento, sobretudo quando se considera o setor de serviços. Viagens aéreas e terrestres, reabertura de hotéis e restaurantes amparadas pelo retorno presencial dos consumidores em grande proporção são exemplos concretos. Não à toa, este segmento subiu 1,3% de abril a junho, sobre 1% que já havia crescido de janeiro a março deste ano. E serviços responde hoje por seguros dois terços da economia brasileira. Daí o impulso. Inclusive por acelerar a retomada do emprego. "Ele [o setor de serviços] emprega mais gente, emprega mais pessoas informais ou por conta propria do que a indústria, e é uma dinâmica que ainda continua. Provavelmente no terceiro tri para essa onda. Aí pode haver uma desaceleração no crescimento do setor", calcula Loyola. 

Daqui para frente

A apreensão e a dúvida quanto ao segundo semestre estão mesmo colocadas. A força do setor de serviços, que retoma as atividades presenciais, divide opiniões entre os que acreditam que ainda há contribuição para o crescimento e aqueles que entendem que esse potencial está se esgotando. A conferir. Mais concretamente, o que a economia já propiciou em termos de geração de empregos e os reflexos desta recuperação tendem a ser mais duradouros. Ou seja, mais gente está empregada e, a se imaginar que continue empregada, isto terá efeito sobre a economia, mesmo que o volume de novos contratados ou de gente ocupada não cresça tão expressivamente. E é gente empregada o fator que muitos analistas enxergam como decisivo para o impulso à economia, via serviços.

"O setor de serviços permaneceu em trajetória de recuperação bastante sólida no trimestre passado, puxado especialmente pela reabertura econômica e recuperação do mercado de trabalho. O PIB do setor terciário situa-se cerca de 3,7% acima dos níveis pré-pandemia", aponta Caio Megale, economista-chefe da XP. Pelas contas da casa de investimentos, o segundo semestre não deve espelhar os primeiros seis meses do ano quanto à intensidade do crescimento. Mas terá como colaborar. "Continuamos a esperar desaceleração da atividade doméstica no semestre corrente. No entanto, a recuperação firme das condições do mercado de trabalho, combinada a estímulos fiscais de curto prazo, deve permitir um arrefecimento econômico suave", pondera Megale. Para a XP, o 3º tri cresce 0,4% sobre o resultado de agora. Ou seja, o período vai assistir a uma desaceleração mais suave do ritmo, em lugar do tombo que chegou a ser previsto antes.  

Destaques 

Pela ótica dos analistas, vai ainda pesar para o bem o pacote de benefícios sociais viabilizado pelo governo. Auxílio Brasil, vale-gás e etc darão amparo exatamente aos segmentos econômicos que se valem em boa parte do poder de compra da camada da sociedade diretamente beneficiada pelos programas. E ainda há a gasolina e demais combustíveis que, baixando, trazem a inflação para baixo com impostos reduzidos. É a muito provável continuidade do movimento que levou, já no resultado do 2º tri, a demonstrar um crescimento forte do consumo das famílias (2,6%) sobre o trimestre anterior. E mais. Do lado das pessoas jurídicas há um paralelo a ser considerado. A Formação Bruta de Capital Fixo, que pode ser entendida como investimentos das empresas para aumentar a produção, subiu nada menos que 4,8% entre abril e junho, na comparação com o 1º tri. Na observação da XP, "tanto o consumo de bens de capital quanto o setor de construção civil cresceram no período". Aqui vale o destaque: no ramal indústria, o segmento da construção civil teve mesmo um aumento mais forte do que o esperado (2,7%) no 2º tri em comparação com os primeiros três meses do ano. O PIB da indústria, no geral, subiu e bem (2,2%), com expansão em todos os segmentos internos.

Continuidade

"Não é pouca coisa um crescimento 0,3 ponto percentual acima do esperado", pontua Luiz Fernando Figueiredo, CEO da Mauá Capital. Primeiro porque é um trimestre de crescimento sobre outro igualmente positivo. Essa " esteira" de resultados positivos acaba constituindo um "todo" ainda mais robusto, comentam os analistas. A rigor, diante de estimativas que, inicialmente, apontavam para desempenho até negativo ao longo de 2022, as contas voltam à mesa. Não são poucas as instituições que já falam em revisar as projeções inclusive para o fechamento de 2022 como um todo. A XP, que tem nas contas uma alta de 2,2% para o PIB no final do ano, divulgou relatório após o resultado do 2º tri, assumindo explícitamente que os cálculos têm viés de alta e que uma revisão dos números se dará proximamente. A Mauá Capital, que trabalhava com crescimento de 2,6% para o ano até o presente momento, também já está se movimentando.

" A gente já já vai revisar nossos números. Pode bancar que nossa estimativa para este ano vai girar em torno de 3%", diz Luiz Fernando Figueiredo, da Mauá Capital.  

Gustavo Loyola, da Tendências, revela que a consultoria também já está olhando para os dados e os números para revisar as estimativas de crescimento do ano, o que deve acontecer nos próximos dias. Até a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) já botou as contas na mesa. Após o resultado do 2º tri, a federação ampliou sua expectativa do ano de 1,3% para nada menos do que 2,6%. 

Aposta certa

"A perspectiva de crescimento econômico desde o início deste ano tem sido subdimensionada pelos analistas", afirma um gestor que simplesmente cravou a alta de 1,2% de agora. Nem mais nem menos. Jason Vieira, economista chefe da Infinity Asset, vê uma fila de fatores a considerar para enxergar a recuperação econômica pelo ângulo mais otimista. "Uma série expressiva de investimentos foram contratados em 2021 e executados em 2022. Unindo a recuperação econômica inercial aos auxílios, era natural que o PIB continuasse a performar positivamente no período."

Ainda que em meio a alguma surpresa mais positiva do que o mercado imaginava, o tema do equilíbrio das contas reaparece. Atenção redobrada ainda mais para um período pós-eleitoral que imagina-se difícil para o próximo governo, seja ele qual for. "Os excessos de agora e as previsões de continuidade, por exemplo do pagamento dos R$ 600 de auxílio no ano que vem, abrem um buraco nas contas que vão refletir em estados e municípios também", posiciona Gustavo Loyola. É dos pontos mais salientes a provocar debate entre os observadores. Mas também já há opiniões mais animadoras. "A percepção tem sido pior do que a própria realidade", diz Luiz F. Figueiredo. "O fiscal é muito menos desafiador do que se pensa: sim, vai haver necessidade de acomodar os R$ 600 [do auxílio], algum aumento no funcionalismo público... mas isto não significa que vai haver um déficit necessariamente maior. Sim, é possível, mas não é obrigatório", finaliza.

Leia também

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
economia
pib
guto abranches
inflação
juros
serviços
pandemia

Últimas notícias

Detran apreende mais de 100 dedos de silicones que eram usados por autoescolas

Detran apreende mais de 100 dedos de silicones que eram usados por autoescolas

Moldes eram utilizados para fraudar o sistema de controle biométrico no processo de emissão da carteira de habilitação
VÍDEO: Influencer americana é surpreendida por sons de tiros e descobre execução de irmão nos EUA

VÍDEO: Influencer americana é surpreendida por sons de tiros e descobre execução de irmão nos EUA

Rebecca Olugbemi ouviu o tiroteio que tirou a vida de seu irmão, o boxeador Isaiah Olugbemi, de 27 anos
Piloto de avião morre durante voo e copiloto avisa passageiros antes de pousar

Piloto de avião morre durante voo e copiloto avisa passageiros antes de pousar

O caso aconteceu na última quarta-feira (12), enquanto o avião sobrevoava a Arábia Saudita
Universidades federais começam a encerrar greve

Universidades federais começam a encerrar greve

Segundo levantamento do SBT News, pelo menos 37 das 62 universidades federais paralisadas decidiram retomar as aulas
Anatel determina medidas de combate à venda de celulares sem homologação em sites brasileiros

Anatel determina medidas de combate à venda de celulares sem homologação em sites brasileiros

Empresas têm até 15 dias para realizar mudanças e estão sujeitas a multa diária de até R$ 6 milhões
Tarcísio confirma coronel Mello como vice na chapa de Nunes

Tarcísio confirma coronel Mello como vice na chapa de Nunes

Governador e prefeito participaram de agenda oficial nesta sexta-feira (21), onde foi feito o anúncio do nome, preferido de Jair Bolsonaro (PL)
Poder Expresso: entenda os detalhes do julgamento do STF sobre o porte de maconha

Poder Expresso: entenda os detalhes do julgamento do STF sobre o porte de maconha

Discussão no Supremo Tribunal Federal (STF) acende novamente tensão com o Congresso Nacional
Eleições Municipais 2024: Pré-candidato do PT à Prefeitura de Teresina ganha apoio de Lula em caravana

Eleições Municipais 2024: Pré-candidato do PT à Prefeitura de Teresina ganha apoio de Lula em caravana

Presidente da República passou pelo Piauí para fortalecer Fábio Novo (PT), em empate técnico com ex-prefeito Silvio Mendes (União), de acordo com pesquisa
Lula diz estar feliz com trabalho de ministro indiciado pela PF: "Inocente até provarem ao contrário"

Lula diz estar feliz com trabalho de ministro indiciado pela PF: "Inocente até provarem ao contrário"

Juscelino Filho foi indiciado por desvio de emendas parlamentares, quando era deputado federal; Lula respondeu pergunta sobre ministros maranhenses
Baggio é agredido com coronhada durante assalto: "Agora é superar o medo"

Baggio é agredido com coronhada durante assalto: "Agora é superar o medo"

Ex-jogador italiano teve casa invadida por ladrões, que levaram joias e dinheiro, durante confronto entre Espanha e Itália, pela Eurocopa
Publicidade
Publicidade