Publicidade

Oito em cada dez brasileiros consideram notícias falsas um problema grave

SBT News De Fato aponta estudos que avaliam relação de consumo de desinformação no país

Oito em cada dez brasileiros consideram notícias falsas um problema grave
um boneco de papel que imita um homem cercado de papeis com informações falsas
Publicidade

Não é de hoje que o mundo se preocupa com a propagação de notícias falsas. Os estudiosos se debruçam sobre dados para entender esse fenômeno. Já em 1921, Marc Bloch, um historiador francês, escreveu um artigo sobre como a desinformação se espalhava na sociedade. Na obra "Reflexões de um historiador sobre as notícias falsas da guerra", Bloch alertava a sociedade europeia do pós 1ª Guerra Mundial e que as notícias falsas, se propagam, amplificam e vivem sob a condição de encontrar uma forma de se expandir dentro da sociedade. 

Saiba mais:

De lá para cá, muita tecnologia foi criada e repassar adiante algum conteúdo ficou bem mais fácil e rápido. Cresceu também o interesse dos cientistas no assunto.

O SBT News De Fato elenca abaixo alguns dados sobre desinformação no Brasil e ao final números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a respeito de conteúdos maliciosos nas eleições de 2022. 

  • O Projeto de Pesquisa de Propaganda Computacional do Oxford Internet Institute estudou como se organiza a desinformação em 81 países. O Brasil foi categorizado entre os países com média capacidade de desinformação industrializada. Isso quer dizer que as redes que propagam notícias falsas por aqui empregam pessoas em tempo integral e fazem ações para manipular as mídias sociais, por exemplo. O relatório, publicado em janeiro de 2021, mostrou que há no Brasil tropas cibernéticas empenhadas em divulgar mensagens pró-governo, ataques à oposição e em aumentar a polarização na sociedade. 
     
  • Oito em cada dez brasileiros consideram que a disseminação de notícias falsas é um problema grave, mostrou, em julho de 2021, uma pesquisa dos institutos IDEIA e Vero.  Preocupante é o número de pessoas que admitiram ter compartilhado uma notícia política mesmo suspeitando que a informação não fosse verdadeira: 21% dos entrevistados. Entre os que repassaram conteúdos e só depois descobriram que eram falsos, 68% não corrigiram a informação para os destinatários.
Pesquisa de uma empresa de cibersegurança mostra que mais da metade dos brasileiros não reconhecem uma notícia falsa | Unsplash
  • Um relatório do projeto Digitalização e Democracia no Brasil analisou postagens com acusações de fraude na urna eletrônica e defesa de voto impresso auditável publicadas no Facebook entre novembro de 2020 e janeiro de 2022. No total, foram localizados 394.370 posts publicados por 27.840 contas que resultaram em mais de 111 milhões de interações. Os pesquisadores descobriram que 40 postagens foram responsáveis por quase 7 milhões de interações e que elas foram realizadas por apenas 11 contas. Os autores do material eram figuras públicas em sua maioria. O estudo concluiu que as publicações mais populares sobre o assunto eram as postagens que falavam sobre não aceitação do resultado eleitoral e sobre a ocorrência de fraudes em eleições anteriores e riscos futuros.
     
  • O estudo Iceberg Digital, desenvolvido pela empresa de cibersegurança Kaspersky, concluiu que 62% dos brasileiros não sabem reconhecer uma notícia falsa. E só 42% dos entrevistados no Brasil revelaram que, ocasionalmente, questionavam o que liam na web, ficando em último numa lista de seis países da América Latina. Outro dado levantado é o de que 45% das mulheres brasileiras confiam nos conteúdos que acessam na internet.
     
  • Em março, uma pesquisa do Datafolha perguntou aos brasileiros se a circulação de notícias falsas poderia influenciar muito o resultado das eleições deste ano. 60% dos entrevistados afirmaram que sim. Os jovens de 16 a 24 anos são os que mais usam redes sociais, segundo o estudo, e também os que mais acham que o pleito vai ser afetado pela desinformação. Os entrevistados também foram questionados se as redes sociais deveriam excluir postagens falsas sobre o pleito, a maioria respondeu que sim.

Denúncias de desinformação nas eleições

TSE tem um serviço que agrega informações de agências de checagem brasileiras | Reprodução/TSE

Dados do TSE, de 17 de agosto deste ano, revelam que o Sistema de Alerta de Desinformação Contra as Eleições já recebeu 1.909 denúncias, sendo 1.744 no YouTube, 64 no Twitter, 50 no Facebook, 23 disparos em massa pelo WhatsApp, 13 no Instagram, 8 no Tik Tok, 4 no Telegram e 3 no Kwai. 

Faz parte desse mesmo sistema, um acordo do Tribunal com iniciativas de checagem de dados e informações no Brasil. A chamada "Coalizão para Checagem Eleições 2022" inclui:


>> Mônica Rossi é jornalista do SBT RS e SBT News


Você também pode se interessar por:

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

desinformação
eleições
notícias falsas
checagem
sbtnews
sbt
check
dados
desinforma
fakes
fake news
brasil
estudos
noticias
falsas
de fato
defato
de-fato
portalnews

Últimas notícias

Brasil ultrapassa marca de 6 milhões de casos de dengue em 2024

Brasil ultrapassa marca de 6 milhões de casos de dengue em 2024

SP e MG seguem liderando ranking de infecções; número de mortes confirmadas chega a 4 mil
Ataques contra igrejas e sinagogas deixam mais de 15 mortos na Rússia

Ataques contra igrejas e sinagogas deixam mais de 15 mortos na Rússia

Homens armados invadiram os locais na tarde de domingo (23); autoridades investigam o caso
Caixa libera Bolsa Família de junho para beneficiários com NIS final 6

Caixa libera Bolsa Família de junho para beneficiários com NIS final 6

Valor pode ser sacado em agências bancárias ou movimentado virtualmente; calendário também conta com Auxílio Gás
SBT News na TV: Professores das universidades federais decidem encerrar greve

SBT News na TV: Professores das universidades federais decidem encerrar greve

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta segunda-feira (24); assista!
Netanyahu diz que combate intenso contra o Hamas está perto do fim, mas que guerra continuará

Netanyahu diz que combate intenso contra o Hamas está perto do fim, mas que guerra continuará

Primeiro-ministro israelense concedeu entrevista a uma emissora do país pela primeira vez desde o início da guerra
Universidades federais: professores decidem encerrar greve

Universidades federais: professores decidem encerrar greve

Paralisação nacional começou em abril. Retorno às aulas depende de decisão interna de cada instituição
Professores de ensino básico e técnico de instituições federais aceitam acordo e anunciam fim da greve

Professores de ensino básico e técnico de instituições federais aceitam acordo e anunciam fim da greve

Propostas de reajuste para as duas categorias foram aprovadas por 89 votos a 15
Testado na África, novo medicamento contra HIV alcança 100% de eficiência

Testado na África, novo medicamento contra HIV alcança 100% de eficiência

Ensaio clínico apontou que uma injeção semestral de lenacapavir deu proteção total contra o vírus
Número de peregrinos mortos na Arábia Saudita passa de 1.300

Número de peregrinos mortos na Arábia Saudita passa de 1.300

O ministro da Saúde saudita, Fahd bin Abdurrahman Al-Jalajel, disse que 83% das mortes são de peregrinos não autorizados
CNJ vai apurar esquema alvo da Polícia Federal de venda de sentenças no TJ paulista

CNJ vai apurar esquema alvo da Polícia Federal de venda de sentenças no TJ paulista

Luis Felipe Salomão, corregedor nacional de Justiça, abriu processo disciplinar contra desembargador Ivo de Almeida, afastado pelo STJ
Publicidade
Publicidade