Publicidade

VaideBet e Corinthians: polícia tenta localizar testemunha chave do caso

Segundo a polícia, Adriana Ramuno, de 53 anos, esteve na casa da mulher, usada como laranja no repasse de comissão da VaideBet, antes do caso ir à imprensa

VaideBet e Corinthians: polícia tenta localizar testemunha chave do caso
A casa de apostas investiu R$ 360 milhões pra estampar a camisa do clube por três temporadas | Jozzu/ Agência Corinthians
Publicidade

A Polícia Civil tenta localizar há três dias, Adriana Ramuno, de 53 anos, considerada testemunha chave no escândalo que levou o fim do contrato de patrocínio entre o Corinthians e a casa de apostas VaideBet.

Segundo a polícia, Adriana esteve na casa Edna Oliveira do Santos, usada como laranja no repasse de comissão da VaideBet, dia antes do caso ir à imprensa.

Adriana mora em São Bernardo do Campo e segundo vizinhos, há uma semana que não é vista no local. De acordo com a polícia, Adriana avisou Edna que uma empresa registrada no nome da amiga, tinha recebido R$ 1 milhão.

Edna Oliveira, que foi vítima de golpe e teve o nome usado para a abertura de uma suposta empresa fantasma, prestou depoimento a polícia na última terça-feira (11). Ela aparece como dona da Neoway Soluções e teria recebido dinheiro de uma comissão paga na assinatura do contrato de patrocínio.

Em conversa com o SBT, Edna disse que está assustada e com medo. Por orientação de um advogado, ela não gravou entrevista, mas contou que ficou sabendo que teve o nome usado em uma notícia publicada na internet. Perguntada sobre a empresa e o dinheiro, ela respondeu mostrando as condições em que vive.

Relembre o caso

A casa de apostas VaideBet anunciou na semana passada que rescindiu o contrato de patrocinador máster com o Corinthians. O motivo é a denúncia de existência de um possível "laranja" nos repasses do valor pago à Rede Social Media Design Ltda, que atuou na intermediação do contrato.

Ao mesmo tempo em que a principal patrocinadora do Corinthians rompia o contrato com o clube, a Polícia Civil de São Paulo passava a investigar as denúncias de irregularidades que motivaram a rescisão.

Investigadores foram ao quarto andar do prédio de número 171 da Avenida Paulista e constataram que a Neoway Soluções Integradas em serviços não existe. Os policiais não encontraram ninguém na sede da empresa.

A Neoway é suspeita de ter recebido dinheiro de uma comissão paga na assinatura do contrato de patrocínio entre o Corinthians e a VaideBet. A casa de apostas investiu R$ 360 milhões pra estampar a camisa do clube por três temporadas.

A denúncia que agora é investigada pela polícia afirma que a empresa Rede Social Media Design foi quem intermediou a assinatura do contrato entre o Corinthians e a VaideBet. O sócio da Rede Social, Alex Fernando André, conhecido como Alex Cassundé, teria recebido R$ 1,4 milhão de comissão. Parte desse dinheiro foi repassado para a empresa fantasma Neoway. Segundo a Polícia Civil, Cassundé é dono de outras 35 empresas, todas no estado do Ceará. Ele será investigado.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Corinthians
apostas esportivas
Crime
empresas

Últimas notícias

Pagamentos do Bolsa Família começam nesta semana; veja datas

Pagamentos do Bolsa Família começam nesta semana; veja datas

Benefício é destinado a famílias com renda per capita de até R$ 218
SBT News na TV: Nego Di é preso por golpe de R$ 5 milhões em rifa virtual

SBT News na TV: Nego Di é preso por golpe de R$ 5 milhões em rifa virtual

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta segunda-feira (15); assista!
Vídeo: Nego Di chega algemado ao Palácio da Polícia em Porto Alegre após ser preso por estelionato

Vídeo: Nego Di chega algemado ao Palácio da Polícia em Porto Alegre após ser preso por estelionato

Ele é suspeito de aplicar um golpe de rifa virtual que causou prejuízo de R$ 5 milhões a clientes
Após identificar atirador, FBI busca informações sobre a motivação do atentado contra Trump

Após identificar atirador, FBI busca informações sobre a motivação do atentado contra Trump

O diretor da polícia dos Estados Unidos declarou que as autoridades “não deixarão pedra sobre pedra” na investigação sobre a tentativa de assassinato
Jornalismo ambiental e de dados e pautas sociais foram destaques no Congresso da Abraji

Jornalismo ambiental e de dados e pautas sociais foram destaques no Congresso da Abraji

19º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo terminou neste domingo (14), em São Paulo
Vítima de atentado contra Trump morreu tentando proteger sua família

Vítima de atentado contra Trump morreu tentando proteger sua família

Corey Comperatore, de 50 anos, era bombeiro e tinha duas filhas. Ele morreu pelos disparos de Thomas Crooks. Outros dois homens foram feridos gravemente
Lula lamenta morte do pai do ex-governador do Rio Sergio Cabral

Lula lamenta morte do pai do ex-governador do Rio Sergio Cabral

Em nota de pesar, o presidente da República ressaltou, entre outros atributos, a “irreverência” na carreira do jornalista, que faleceu aos 87 anos
Atentado a Trump eleva valor do bitcoin, que supera o patamar de US$ 60 mil

Atentado a Trump eleva valor do bitcoin, que supera o patamar de US$ 60 mil

Segundo analistas, chance de retorno do ex-presidente ao poder aumentou, e ele é a favor da desregulamentação do mercado financeiro
Responsável por atentado contra Trump agiu sozinho, afirma FBI

Responsável por atentado contra Trump agiu sozinho, afirma FBI

Thomas Matthew Crooks, de 20 anos, foi o atirador que tentou assassinar Donald Trump
Presidente da Itália, Sergio Mattarella, chega ao Brasil neste domingo

Presidente da Itália, Sergio Mattarella, chega ao Brasil neste domingo

Esta é a primeira visita de um chefe de Estado italiano ao país em 24 anos
Publicidade
Publicidade