Publicidade

Grande produtor de tecnologia, por que o Japão é resistente à modernização?

País produz muita tecnologia exportada mundo afora e internamente se prende às tradições e aos equipamentos considerados obsoletos no Ocidente

Grande produtor de tecnologia, por que o Japão é resistente à modernização?
Japoneses resistem ao uso de novas tecnologias e se apegam a tradições | Unsplash
Publicidade

O Japão, que possui a quarta maior economia do mundo, perdendo o posto para a Alemanha, no começo de 2024, tem forte apego às suas tradições. Mesmo com suas evidentes e impressionantes conquistas tecnológicas, o país mantém internamente o uso de tecnologias ultrapassadas.

+ Japão vence a guerra contra o uso de disquetes

Segundo o relatório do banco Santander, publicado em 2023, o país tem uma indústria robusta, sendo o terceiro maior produtor mundial de automóveis, com a líder Toyota, e a terceira maior fabricante de navios em 2022.

O setor dos serviços representa cerca de 69,9% do PIB, soma de todas as riquezas do país, e empregam mais de 73% da mão de obra.

Finanças, seguros e o mercado imobiliário se destacam, assim como as tecnologias de informação e os serviços digitais.

No entanto, internamente o cenário é outro. Segundo o jornal The Japan Times, há uma escassez crítica de habilidades digitais, onde há forte resistência às mudanças e uma tendência à aversão ao risco para adotar novas tecnologias, políticas e processos.

Queda na competitividade

Serviços públicos no Japão ainda usam tecnologias arcaicas, como a máquina de escrever | Unsplash
Serviços públicos no Japão ainda usam tecnologias arcaicas, como a máquina de escrever | Unsplash

Segundo o Ranking de Competitividade Digital Mundial de 2023, do Institute for Management Development (IMD), o Japão está na posição 32 entre as 64 economias, onde o Brasil está na 57ª posição, no ranking de competitividade que tem a capacidade de adotar e explorar novas tecnologias digitais para fazer a transformação econômica e nos negócios e na sociedade.

Este é o pior desempenho japonês desde que a lista foi anunciada pela primeira vez em 2017, ficando bem distante dos seus vizinhos asiáticos Coreia do Sul (6º), Taiwan (9º) e China (19º).

+ Confira as últimas notícias de Tecnologia

Isso se reflete na escassez de mão de obra de mais de 11 milhões de trabalhadores, principalmente entre os profissionais digitais, que tem apenas 1 milhão de trabalhadores ativos nesta área, atrasando a transformação digital do Japão.

O governo japonês estima que o país tem necessidade de 2,3 milhões de trabalhadores até 2026, para atender a demanda de serviços em nuvem, análise de big data e outras tecnologias.

Hanko, fax, máquina de escrever...

Hanko é como se fosse uma autenticação da assinatura do indivíduo. Uso é comum no Japão  | YouTube/Gohitsu Shodo Kai
Hanko é como se fosse uma autenticação da assinatura do indivíduo. Uso é comum no Japão | YouTube/Gohitsu Shodo Kai

O governo venceu o desafio dos disquetes, mas ainda enfrenta outras resistências dos seus funcionários, como o uso da máquina de escrever e a recusa do armazenamento em nuvem nos sistemas administrativos.

Em 2020, o Japão deixou de exigir o selo pessoal hanko, que é um carimbo esculpido que pode ser usado em qualquer situação em que um indivíduo ou um indivíduo em nome de uma empresa possa usar uma assinatura.

O carimbo é como uma autenticação da pessoa, um selo pessoal, e na sociedade japonesa é bem comum seu uso para assinatura de contratos, realização de operações bancárias em uma agência bancária, até mesmo para receber uma encomenda e entre outras finalidades.

++ JOÂO KEPLER: A decadência do Japão é uma ressurgência necessária e uma revitalização inovadora

O editorial do jornal The Japan Times, publicado, em fevereiro deste ano, definiu por "ritmo glacial" o fim dos carimbos hanko no país.

"O sucesso da transformação digital depende da incorporação profunda da tecnologia em todas as dimensões da vida diária. Isso exige confiança na segurança, e integridade desses produtos e nas informações que eles transmitem e usam", diz a publicação japonesa.
O fax é o novo alvo do governo japonês, trabalhadores resistem ao uso do email e preferem o equipamento para se comunicar | Divulgação/Samsung
O fax é o novo alvo do governo japonês, trabalhadores resistem ao uso do email e preferem o equipamento para se comunicar | Divulgação/Samsung

Além disso, muitos locais de trabalho no Japão optaram por usar aparelhos de fax em vez de e-mails. O governo tentou remover os aparelhos de fax em 2021, mas não conseguiu devido à resistência dos funcionários.

Formação de profissionais e a participação de mulheres

Aos olhos do mundo, o Japão transmite inovação e tecnologia. Internamente vive um paradoxo tecnológico com resistência ao uso de novas tecnologias e processos | Unsplash
Aos olhos do mundo, o Japão transmite inovação e tecnologia. Internamente vive um paradoxo tecnológico com resistência ao uso de novas tecnologias e processos | Unsplash

Outra dificuldade está também no baixo número na formação de profissionais de ciência, tecnologia, matemática e engenharia (STEM) e na dificuldade de atrair trabalhadores digitais de outros países, devido à demora de até seis meses na emissão de vistos.

No entanto, o país adotou aos poucos a estratégia de atrair trabalhadoras, em um ambiente dominado por homens, para assumir os postos de trabalho na área de digital, e vem estimulando as mulheres a participar da força de trabalho do país, aumentando de 63% para 74% entre 2012 e 2022.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Tecnologia
Economia
Japão
digital
transformação digital

Últimas notícias

Pagamentos do Bolsa Família começam nesta semana; veja datas

Pagamentos do Bolsa Família começam nesta semana; veja datas

Benefício é destinado a famílias com renda per capita de até R$ 218
SBT News na TV: Nego Di é preso por golpe de R$ 5 milhões em rifa virtual

SBT News na TV: Nego Di é preso por golpe de R$ 5 milhões em rifa virtual

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta segunda-feira (15); assista!
Vídeo: Nego Di chega algemado ao Palácio da Polícia em Porto Alegre após ser preso por estelionato

Vídeo: Nego Di chega algemado ao Palácio da Polícia em Porto Alegre após ser preso por estelionato

Ele é suspeito de aplicar um golpe de rifa virtual que causou prejuízo de R$ 5 milhões a clientes
Após identificar atirador, FBI busca informações sobre a motivação do atentado contra Trump

Após identificar atirador, FBI busca informações sobre a motivação do atentado contra Trump

O diretor da polícia dos Estados Unidos declarou que as autoridades “não deixarão pedra sobre pedra” na investigação sobre a tentativa de assassinato
Jornalismo ambiental e de dados e pautas sociais foram destaques no Congresso da Abraji

Jornalismo ambiental e de dados e pautas sociais foram destaques no Congresso da Abraji

19º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo terminou neste domingo (14), em São Paulo
Vítima de atentado contra Trump morreu tentando proteger sua família

Vítima de atentado contra Trump morreu tentando proteger sua família

Corey Comperatore, de 50 anos, era bombeiro e tinha duas filhas. Ele morreu pelos disparos de Thomas Crooks. Outros dois homens foram feridos gravemente
Lula lamenta morte do pai do ex-governador do Rio Sergio Cabral

Lula lamenta morte do pai do ex-governador do Rio Sergio Cabral

Em nota de pesar, o presidente da República ressaltou, entre outros atributos, a “irreverência” na carreira do jornalista, que faleceu aos 87 anos
Atentado a Trump eleva valor do bitcoin, que supera o patamar de US$ 60 mil

Atentado a Trump eleva valor do bitcoin, que supera o patamar de US$ 60 mil

Segundo analistas, chance de retorno do ex-presidente ao poder aumentou, e ele é a favor da desregulamentação do mercado financeiro
Responsável por atentado contra Trump agiu sozinho, afirma FBI

Responsável por atentado contra Trump agiu sozinho, afirma FBI

Thomas Matthew Crooks, de 20 anos, foi o atirador que tentou assassinar Donald Trump
Presidente da Itália, Sergio Mattarella, chega ao Brasil neste domingo

Presidente da Itália, Sergio Mattarella, chega ao Brasil neste domingo

Esta é a primeira visita de um chefe de Estado italiano ao país em 24 anos
Publicidade
Publicidade