Publicidade

Tarcísio exalta governo Bolsonaro e diz que ex-presidente 'representa movimento'; Michelle ora

Governador chama ex-presidente de "amigo". Ex-primeira-dama discursa e Malafaia critica Lula e ministros do STF

Tarcísio exalta governo Bolsonaro e diz que ex-presidente 'representa movimento'; Michelle ora
O ex-presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, em ato na Avenida Paulista neste domingo (25/2). Foto: André Ribeiro/The News2/Estadão Conteúdo
Publicidade

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), participou de ato com Jair Bolsonaro (PL) e outros políticos aliados do ex-presidente na tarde deste domingo (25), na Avenida Paulista. Ex-ministro da Infraestrutura de Bolsonaro, Tarcísio exaltou feitos do governo passado e disse que o ex-chefe do Executivo "representa um movimento".

Também presente, a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro orou, se emocionou e discursou para milhares de pessoas. O pastor Silas Malafaia, um dos organizadores do ato, fez um discurso inflamado, em que sugeriu, sem provas, que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) soube com antecedência que haveria um quebra-quebra em Brasília em 8 de janeiro de 2023.

CONFIRA COMO FOI O ATO: Bolsonaro se defende de acusações e relativiza 'minuta do golpe'

Tarcísio de Freitas disse que Bolsonaro apostou em pessoas que não eram "ninguém" para a composição de seu governo. "Sempre entregou o crédito para quem trabalhava", afirmou o governador, enaltecendo feitos da gestão do ex-presidente, como distribuição de água na região Nordeste, auxílio emergencial, Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) e obras em rodovias. Também creditou a criação do Pix ao político do PL.

"Meu amigo Bolsonaro, você não é mais um CPF, não é mais uma pessoa. Você representa um movimento", disse o governador de SP.

"Muito obrigado, Bolsonaro. Deus te abençoe. Nós sempre estaremos juntos", concluiu Tarcísio.

+ Aliados de Bolsonaro tentam atrair votos na manifestação deste domingo (25)

Michelle chora e faz oração

A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro fez um discurso de cerca de 15 minutos com tom religioso e críticas aos "ataques e injustiças" sofridos por ela e sua família. Emocionada, chamou os participantes do evento de "exército de Deus nas ruas" e "homens e mulheres patriotas que não desistem da sua nação".

A ex-primeira-dama defendeu que o propósito do evento não era o poder, mas sim a "libertação da nação". Relembrou o episódio da facada contra Bolsonaro e disse que, desde 2017, a família sofre "por exaltar o nome do Senhor".

+ Manifestantes começam a chegar na Avenida Paulista para ato pró-Bolsonaro

Michelle aproveitou o momento para defender a presença dos valores e princípios cristãos na política. "Por um bom tempo fomos negligentes a ponto de falarmos que não poderia misturar política com religião, e o mal tomou o espaço. Chegou o momento da libertação", disse.

Segundo ela, o povo brasileiro "sabe a diferença de um governo justo e de um governo ímpio". "Nós abençoamos o Brasil, nós abençoamos Israel em nome de Jesus", finalizou.

Malafaia ataca Lula e critica ministros do STF

Um dos organizadores do ato na Avenida Paulista, o pastor evangélico Silas Malafaia fez o discurso mais contundente contra aqueles que são vistos como opositores de Bolsonaro. Malafaia atacou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e criticou falas dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Roberto Barroso e Alexandre de Moraes.

O pastor começou o discurso manifestando "repúdio" ao presidente Lula. Com uma bandeira de Israel no ombro, Malafaia disse que Lula "fez o Brasil ser vergonha no mundo inteiro" ao apontar que Israel conduz um genocídio na Palestina.

Sem provas, Malafaia sugeriu que Lula soube com antecedência do que aconteceria em Brasília em 8 de janeiro de 2023, quando centenas de bolsonaristas invadiram e depredaram as sedes dos Três Poderes.

O pastor disse não concordar com os "baderneiros" que "quebraram Brasília" e apontou que foi depois de 8 de janeiro que começou uma "narrativa de golpe" contra Bolsonaro.

"O povo tem que saber quem está por trás daquela baderna. É uma narrativa vergonhosa. Golpe contra mandatário tem arma, tem bomba", disse o pastor. "Donas de casa, idosos, jovens que estavam em frente ao QG do Exército viraram golpistas."

Para Malafaia, a alcunha de "golpista" só é usada contra militantes de direita, enquanto os de esquerda são chamados de "manifestantes".

Pastor fala sobre eventual prisão de Bolsonaro

Silas Malafaia comentou no discurso sobre a possibilidade de Bolsonaro ser preso. O ex-presidente é investigado, entre outros motivos, por tentativa de golpe de Estado e teve, em fevereiro, o passaporte apreendido pela Polícia Federal.

"Se eles te prenderem, você vai sair de lá exaltado", disse Malafaia a Bolsonaro, a quem chamou de "o maior perseguido político da história do Brasil".

O pastor afirmou que "o supremo poder da nação é o povo" e criticou os ministros Barroso e Moraes por terem falado contra a extrema direita e o bolsonarismo.

"Alexandre de Moraes não tem de combater nem a extrema direita nem a extrema esquerda. Ele é guardião da Constituição", disse o pastor.

Mulher cai de árvore durante ato bolsonarista

Uma idosa que participava da manifestação pró-Bolsonaro na Avenida Paulista caiu de uma árvore e teve o pulmão perfurado na tarde deste domingo (25).

Manifestante cai de árvore na Avenida Paulista durante ato pró-Bolsonaro | Reprodução
Manifestante cai de árvore na Avenida Paulista durante ato pró-Bolsonaro | Reprodução

A vítima recebeu os primeiros socorros no local e foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento Vergueiro. O estado de saúde ainda não foi divulgado.

Governo Tarcísio diz que 600 mil pessoas foram à Paulista

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), do governo Tarcísio, divulgou nota à noite informando que aproximadamente 600 mil pessoas foram à Avenida Paulista para o ato de apoio a Bolsonaro.

"A manifestação ocorreu de forma pacífica, sem o registro de incidentes", informou a SSP.

Entenda a operação Tempus Veritatis, que mira Bolsonaro

A operação Tempus Veritatis foi deflagrada em 8 de fevereiro pela Polícia Federal. Ela apura a existência de uma organização criminosa que atuou na tentativa de golpe de Estado e abolição do Estado Democrático de Direito por parte do ex-presidente Jair Bolsonaro e aliados dele.

Além de Bolsonaro, são investigados na operação o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, e militares de alta patente do núcleo duro bolsonarista.

Na lista de alvos estão os ex-ministros general Walter Souza Braga Netto (Casa Civil e Defesa), Paulo Sérgio Nogueira (Defesa e ex-comandante do Exército), general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional - GSI) e Anderson Torres (Justiça e Segurança Pública).

As investigações têm como base a delação do ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, o tenente-coronel Mauro Cid.

Em setembro de 2023, o tenente-coronel do Exército recebeu liberdade provisória, com o uso de tornozeleira eletrônica, após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes homologar seu acordo de delação premiada com a Polícia Federal.

Braço direito do ex-presidente, Cid está envolvido em uma série de irregularidades apuradas pela PF. O ex-ajudante de ordens é investigado por envolvimento no suposto esquema de venda ilegal de joias recebidas por Bolsonaro do governo da Arábia Saudita.

O nome de Cid também aparece nas investigações como parte da organização dos atos antidemocráticos de 8 de janeiro. Ele ainda é apontado como um dos responsáveis pela inserção de dados falsos sobre vacinação contra a covid-19 no sistema do Ministério da Saúde.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Tarcísio de Freitas
Bolsonaro
Política

Últimas notícias

Buscas por presidente do Irã: drone localiza fonte de calor; vice diz que resgate fez contato com vítimas

Buscas por presidente do Irã: drone localiza fonte de calor; vice diz que resgate fez contato com vítimas

Líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, discursou e tentou tranquilizar população sobre ausência de informações concretas
Tony Ramos passa por mais uma cirurgia no cérebro

Tony Ramos passa por mais uma cirurgia no cérebro

Ator de 75 anos foi submetido ao segundo procedimento neste domingo (19)
Processo que pode cassar mandato de Chiquinho Brazão deve ser concluído na Câmara até julho

Processo que pode cassar mandato de Chiquinho Brazão deve ser concluído na Câmara até julho

Apontado como mandante do caso Marielle, deputado será notificado no presídio em Campo Grande e terá dez dias para se defender no Conselho de Ética
Rio Grande do Sul alcança a marca de 135 prisões em meio às enchentes

Rio Grande do Sul alcança a marca de 135 prisões em meio às enchentes

48 ocorrências foram de roubos e furtos de pessoas afetadas pelos temporais, afirma Secretaria de Segurança Pública do estado
Neblina e montanhas dificultam localização do helicóptero do presidente do Irã

Neblina e montanhas dificultam localização do helicóptero do presidente do Irã

Agência oficial do país chegou a afirmar que aeronave havia sido localizada, mas mudou versão
Sobe para 157 o número de mortos pelas chuvas no Rio Grande do Sul

Sobe para 157 o número de mortos pelas chuvas no Rio Grande do Sul

88 pessoas seguem desaparecidas e 806 foram resgatadas feridas; mais de 2,3 milhões foram afetadas em todo o estado
Propostas que colocam meio ambiente em risco avançam no Congresso, alerta Observatório

Propostas que colocam meio ambiente em risco avançam no Congresso, alerta Observatório

Coordenadora da ONG afirma que, se aprovados, projetos resultarão em “mais emissões de gases de efeito estufa”
Tribunal julga nesta segunda (20) ação decisiva contra Assange

Tribunal julga nesta segunda (20) ação decisiva contra Assange

Corte britânica analisa garantias dos EUA para extradição. Lula defende ativista nas redes sociais
Justiça determina vistoria de pet shop em que animais morreram afogados em Porto Alegre

Justiça determina vistoria de pet shop em que animais morreram afogados em Porto Alegre

Decisão tem como objetivo verificar existência de animais ainda vivos no local; loja disse que animais não sobreviveram à enchente
Elenco do SBT recebe pessoalmente doações para o Rio Grande do Sul

Elenco do SBT recebe pessoalmente doações para o Rio Grande do Sul

Patrícia Abravanel e Ratinho estiveram neste domingo (19) na sede da emissora para campanha de ajuda às vítimas das enchentes
Publicidade
Publicidade