Publicidade

Lula critica riqueza de bilionários e programas espaciais privados: 'não precisamos ir para Marte'

Na Suíça, presidente diz ainda que "mão invisível" do mercado agrava desigualdades sociais no mundo

Lula critica riqueza de bilionários e programas espaciais privados: 'não precisamos ir para Marte'
Lula em reunião na OIT | Foto: Ricardo Stuckert.jpg
Publicidade

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a defender a taxação de bilionários ao criticar a concentração de riqueza desses empresários, nesta quinta-feira (13). Ele participou da 112ª Conferência Internacional do Trabalho (CIT - OIT), um fórum sobre justiça social realizado em Genebra, na Suíça.

Segundo Lula, as 3 mil pessoas mais ricas do mundo concentraram fortuna de US$ 15 trilhões, o que representa a soma do Produto Interno Bruto de Japão, da Alemanha, da Índia e do Reino Unido. Essa quantia, de acordo com o brasileiro, é mais do que o necessário para os países em desenvolvimento lidarem com as mudanças climáticas.

“A concentração e renda é tão absurda que alguns indivíduos possuem seus próprios programas espaciais. Certamente tentando encontrar um planeta melhor que a Terra, para não ficar no meio dos trabalhadores que são responsáveis pela riqueza deles. Não precisamos buscar saída em Marte, é a Terra que precisa do nosso cuidado, ela é a nossa casa”, disse.

Durante o discurso, Lula ainda voltou a criticar o setor financeiro mundial e disse que a “mão invisível do mercado” é responsável por gerar desigualdades sociais.

“É preciso recuperar o papel do estado como planejador do desenvolvimento é uma tarefa urgente. A mão invisível do mercado só agrava a desigualdade, e o crescimento da produtividade não tem sido acompanhado da melhoria dos salários, gerando insatisfação e polarização”, disse Lula, que foi ovacionado na entrada do evento e em diversos trechos do discurso.

“Não se pode discutir economia e finanças sem discutir emprego e renda. Precisamos de uma nova globalização, de face humana. A justiça social e a luta contra as desigualdades são uma das prioridades da presidência do Brasil no G20 (no Rio de Janeiro, em novembro). Fiz questão de convidar a OIT (Organização Internacional do Trabalho) para contribuir com as discussões do grupo”, afirmou.

A fala de Lula sobre a arquitetura financeira mundial é semelhante a outra declaração feita por ele, nesta quarta-feira (12), em outro fórum internacional, realizado no Rio de Janeiro. O mercado não reagiu bem, o que levou a uma alta do dólar.

Ocupar o espaço da extrema-direita

Lula também falou que os setores progressistas e populares – ligados às esquerdas – e democráticos de modo geral devem recuperar o discurso “anti-hegemônico”, hoje dominado, segundo ele, pela extrema-direita.

“A contestação à ordem vigente não pode ser privilégio da extrema-direita a bandeira anti-hegemônica precisa ser recuperada pelos setores populares, progressistas e democráticos”, disse.

O presidente já havia discursado de forma semelhante, nesta quarta-feira (12), mas as declarações foram mal recebidas pelo mercado, impactando na alta do dólar. No entanto, Lula voltou a falar sobre o assunto durante reunião na OIT.

Lula também mencionou o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro como contrário à democracia e lembrou que a gestão anterior foi investigada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) por violar regras da entidade. Segundo o presidente da República, os setores radicais que atacam as instituições democráticas implicaram, historicamente, “perdas de direitos”.

“Não é mera coincidência que meu país foi investigado por violar normas desta organização no governo anterior. O extremismo político ataca e silencia minorias, negligencia os mais vulneráveis e vende muita ilusão. A negação da política deixa vácuo a ser preenchido por aventureiros que espalham mentiras e ódio”, concluiu.

Amazônia

O presidente da República também voltou a defender que países ricos precisam pagar a conta para manter as florestas de pé e que a COP30, que será realizada em Belém em 2025, marcará a oportunidade de a Amazônia falar ao mundo o que ela deseja.

"Embaixo de cada copa de árvore existem indígenas, pescadores, seringueiros e uma pessoa precisando de salário. Por isso os países ricos precisam pagar a conta para que os pobres possam cudiar da Amazônia. As florestas tropicais não são um santuário para o deleite da elite global. Tampouco pode ser tratada de depósito de riquezas a ser exportada. Debaixo de cada árvore alguma pessoa precisa de salário, renda e saúde. É isso que, nós, governantes, precisamos pensar quando a gente quer preservar a Amazônia".

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Lula
Governo Lula
Terra
missão espacial
Desigualdade social
bilionário

Últimas notícias

Eleições Municipais 2024: Em Belém, Edmilson Rodrigues tenta reeleição mas enfrentará bolsonarista e divisão de votos

Eleições Municipais 2024: Em Belém, Edmilson Rodrigues tenta reeleição mas enfrentará bolsonarista e divisão de votos

Além de vieses ideológicos, disputa na capital do Pará soma oito pré-candidatos e deve ter projeção nacional pela COP 30
"Ainda Estou Aqui", novo filme de Walter Salles, concorre ao Leão de Ouro no Festival de Veneza; veja lista

"Ainda Estou Aqui", novo filme de Walter Salles, concorre ao Leão de Ouro no Festival de Veneza; veja lista

Longa reúne novamente diretor e estrela de "Central do Brasil", Fernanda Montenegro; elenco ainda traz Selton Mello e Fernanda Torres
Tabata Amaral, pré-candidata do PSB  à prefeitura de São Paulo, é sabatinada

Tabata Amaral, pré-candidata do PSB à prefeitura de São Paulo, é sabatinada

Deputada federal é a terceira a participar de rodada de entrevistas promovida pelo SBT News, em parceria com a rádio Novabrasil
ENGANOSO: Vídeo enganoso sugere imposto de 26,5% sobre todo autônomo; reforma tributária cria exceções

ENGANOSO: Vídeo enganoso sugere imposto de 26,5% sobre todo autônomo; reforma tributária cria exceções

Confira a verificação realizada pelos jornalistas integrantes do Projeto Comprova
Funcionária é demitida por justa causa após difamar empresa no LinkedIn

Funcionária é demitida por justa causa após difamar empresa no LinkedIn

Trabalhadora tentou recorrer, mas decisão foi mantida pela Justiça de Minas Gerais
Brasil Agora: Fazenda anuncia bloqueios no Orçamento; Kamala sobe tom contra Trump

Brasil Agora: Fazenda anuncia bloqueios no Orçamento; Kamala sobe tom contra Trump

Confira essas e outras notícias que serão destaque nesta terça-feira (23)
Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 61 milhões nesta terça-feira (23)

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 61 milhões nesta terça-feira (23)

Apostas podem ser feitas em casas lotéricas ou pela internet até as 19h
Presidente da Colômbia assina projeto de lei que proíbe touradas no país

Presidente da Colômbia assina projeto de lei que proíbe touradas no país

Medida atende pedidos de ativistas dos direitos dos animais; implementação será gradual até 2027
Servidores rejeitam proposta de reajuste do governo e anunciam greve geral

Servidores rejeitam proposta de reajuste do governo e anunciam greve geral

Paralisação acontecerá entre 31 de julho e 1 de agosto; serviços de fiscalização e de abastecimento de luz e água podem ser afetados
Ataque israelense deixa 70 mortos e 200 feridos na Faixa de Gaza

Ataque israelense deixa 70 mortos e 200 feridos na Faixa de Gaza

Exército alegou que integrantes do Hamas estavam se escondendo em zona humanitária
Publicidade
Publicidade