Publicidade

Comissão de Educação, comandada por Nikolas, tem convite a Camilo Santana, pedido de clima pacífico e bate-boca

Discursos começaram ponderados, mas, ao longo das falas, deputados subiram o tom; outros dois requerimentos foram aprovados por unanimidade

Comissão de Educação, comandada por Nikolas, tem convite a Camilo Santana, pedido de clima pacífico e bate-boca
Publicidade

A Comissão de Educação da Câmara realizou sua 2ª Sessão Legislativa Ordinária, nesta quarta-feira (13), após a eleição do deputado Nikolas Ferreira (PL-MG) como presidente. Fora da pauta, congressistas aprovaram por unanimidade um convite para o ministro da Educação, Camilo Santana, explicar ações da pasta em 2024 — a data ainda não foi definida.

+ "Tiro no pé", diz Nikolas após convite do Planalto para participar de evento sobre institutos federais

De início, Ferreira disse que, apesar da eleição "conturbada", acreditava em um ano de trabalho respeitoso. "Eu vejo que nós temos divergências de ideias, isso é saudável. Eu acredito que todos nós precisamos ter divergência", ponderou, pedindo uma comissão "saudável".

Nikolas, que se denominou “condutor” da Casa, afirmou que o país gasta mal os recursos destinados à educação.

"O Brasil investe 6% de seu PIB na educação, mais inclusive que outros países da OCDE [...] O que gera questionamento: nós gastamos muito e acabamos, muitas vezes, gastando mal", argumentou.

Além do convite a Camilo Santana (Req. 21 de 2024), outros dois requerimentos foram aprovados sem impedimentos:

  • Nº 266 de 2023 — de Delegada Adriana Accorsi (PT-GO), que "requer a realização de Audiência Pública para debater a instituição do Dia Nacional da Robótica";
  • Nº 7 de 2024 — de Adriana Ventura (Novo-SP), que "requer a realização de Reunião de Audiência Pública para debater o estudo de línguas estrangeiras nos currículos de ensino fundamental e médio".

+ Projeto de Lei impede réus de presidirem comissões na Câmara

Clima de paz?

Não demorou para os deputados trocarem farpas. Adriana Ventura (Novo-SP) iniciou as falas afirmando que a presença do ministro no colegiado serviria para solucionar o que chamou de falta de "diálogo", afirmando que o Plano Nacional de Educação deve ser debatido.

Segundo a deputada do Novo, dos 56 indicadores propostos em 2023, apenas 5 foram cumpridos. Também afirmou que havia uma centralidade no poder que dificultava a iniciativa privada. Por fim, declarou que estudantes no Brasil não sabiam ler ou escrever.

Zeca Dirceu (PT-PR) rebateu. Disse que a presença do líder da pasta foi recorrente no ano anterior e defendeu alunos e professores sobre as acusações de que nada funcionava no sistema público de educação.

"Esse país ficou reduzindo o orçamento da educação por seis anos, enquanto a arrecadação batia recorde. Não dá para fazer educação assim, não dá para ter números positivos agora em um primeiro ano, depois de seis anos de retrocesso", argumentou Dirceu.

+ Senado aprova projeto que amplia educação básica em tempo integral

Pastor X farmacêutica

O deputado Marco Feliciano (PL-SP) falou em "conluio" entre o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e o ex-presidente da Casa Baixa Rodrigo Maia, para "sepultar" uma medida provisória que dava ao estudante uma carteirinha no valor de "centavos".

A fala causou reações. A farmacêutica Alice Portugal (PCdoB-BA) solicitou resposta, dizendo que "se a extrema-direita não consegue se expandir, a não ser com fake news a partir de redes sociais, entre os estudantes... é um problema de competência".

Questão de ordem

Quando citado por Feliciano (PL-SP), ao final da sessão, Tarcísio Motta (PSOL-RJ) solicitou direito de resposta. Houve gritaria e bate-boca. Motta disse que se fosse impedido, Nikolas estaria violando o discurso inicial de perenidade.

"Eu irei cair, e não estou dizendo que o senhor está fazendo isso, em nenhum tipo de situação, para me colocar como não estou sendo democrático", rebateu o presidente da Comissão. "Acredito que o debate já se exauriu".

Tarcísio insistiu. Nikolas Ferreira cedeu, mas as discussões prosseguiram de ambos os lados. E foi preciso que o jovem deputado subisse o tom: "Eu concedi a palavra ao deputado Tarcísio, respeite", afirmou ao congressista Abilio Brunini (PL-MT).

+ PL tem vitória política, mas PT vai comandar comissão com recursos bilionários

Líderes apelam

Quando foi passada a fala para as lideranças partidárias, Capitão Alden (PL-BA) usou seu tempo para repudiar falas do governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT), que defendeu a "portaria da aprovação em massa" de alunos da rede pública.

Rodrigues havia afirmado que "a escola que reprova é uma escola autoritária. É uma escola preconceituosa". O projeto segue sendo revisto pelo governo do estado nordestino.

Alden também criticou o incentivo financeiro de permanência nas escolas, dizendo que os espaços parecem "presídios".

Em resposta, Fernando Mineiro (PT-RN) rebateu, afirmando que "independente de qualquer posição, o rumo da educação do Brasil, nos próximos 3 anos, vai ser traçado pelas políticas implementadas pelo governo do presidente Lula, porque assim escolheu a sociedade brasileira".

O programa de bolsa de permanência e de poupança para estudantes de baixa renda que estão no ensino médio, para incentivar a conclusão dos estudos pelos jovens, com aporte de R$ 20 bilhões, foi colocado em prática pela Medida Provisória (MP) nº 1.198 de 2023, assinada pela presidência. Precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional em 120 dias para não perder a validade.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Educação
Câmara

Últimas notícias

Boulos pretende criar "Mais Médicos das especialidades" e defende dobrar efetivo da Guarda Municipal

Boulos pretende criar "Mais Médicos das especialidades" e defende dobrar efetivo da Guarda Municipal

Pré-candidato à prefeitura de São Paulo trouxe planos de campanha pela primeira vez após criação da coligação "Amor Por São Paulo"
Bolsonaro diz que Ramagem "paga preço alto pela ousadia" de querer governar o Rio

Bolsonaro diz que Ramagem "paga preço alto pela ousadia" de querer governar o Rio

Ex-presidente e pré-candidato à prefeitura participaram de ato pré-campanha nesta quinta (18)
Poder Expresso: Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulga dados alarmantes sobre a violência

Poder Expresso: Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulga dados alarmantes sobre a violência

Relatório divulgado nesta quinta mostra que, em 2023, foram registrados 83.988 de estupro, um aumento de 6,5% em relação ao ano anterior
Polícia Federal prende dois suspeitos de matar filho de Mãe Bernadete na Bahia

Polícia Federal prende dois suspeitos de matar filho de Mãe Bernadete na Bahia

Operação investiga morte de mãe e filho no quilombo Pitanga dos Palmares
Empresário que atirou cinco vezes contra carro será indiciado por dupla tentativa de homicídio

Empresário que atirou cinco vezes contra carro será indiciado por dupla tentativa de homicídio

Adriano Domingues Costa foi indiciado por dupla tentativa de homicídio, porte de arma de fogo e receptação de pistola usada em crime
Vítima provoca atirador antes de ser baleada e morrer: "Atira, então"

Vítima provoca atirador antes de ser baleada e morrer: "Atira, então"

Câmeras de segurança flagraram toda a ação do suspeito
Polícia do Rio investiga morte de bebê de 2 anos; família é suspeita de maus-tratos

Polícia do Rio investiga morte de bebê de 2 anos; família é suspeita de maus-tratos

Em entrevista ao SBT Rio, a mãe do menino, Aline Julia, negou que o menino tenha morrido após agressão em casa
Justiça Federal determina prisão do ex-diretor da Petrobras Renato Duque

Justiça Federal determina prisão do ex-diretor da Petrobras Renato Duque

Engenheiro deverá ficar 39 anos, dois meses e 20 dias em regime fechado
Vídeo: jovens são flagrados em bar antes de batida que matou motorista de aplicativo em Guarulhos

Vídeo: jovens são flagrados em bar antes de batida que matou motorista de aplicativo em Guarulhos

De acordo com a comanda dos envolvidos, eles compraram três garrafas de bebidas que passaram de R$ 1 mil
Vídeo mostra tribo isolada na Amazônia peruana perto de área de exploração madeireira

Vídeo mostra tribo isolada na Amazônia peruana perto de área de exploração madeireira

Várias empresas madeireiras detêm concessões dentro do território que pertence aos Mashco Piro; ONG pede que governo peruano revogue as licenças
Publicidade
Publicidade