Publicidade

MPF pede que Ricardo Salles seja afastado do Ministério do Meio Ambiente

Ministro é considerado responsável por diminuir leis de proteção que geraram o aumento do desmatamento e outros crimes ambientais

MPF pede que Ricardo Salles seja afastado do Ministério do Meio Ambiente
MPF pede que Ricardo Salles seja afastado do Ministério do Meio Ambiente
Publicidade
O Ministério Público Federal (MPF) pediu que Ricardo Salles seja afastado do cargo de ministro do Meio Ambiente nesta segunda-feira (06). Segundo procuradores, ele atua com objetivo de diminuir a proteção do meio ambiente no país, cometendo improbidade administrativa, ato ilegal ou contrário aos princípios básicos da Administração Pública no Brasil.

O processo irá ocorrer na 1ª Instância da Justiça Federal, em Brasília. Procuradores do Distrito Federal e membros da Força-Tarefa Amazônia, do MPF, que movem a ação.

O MPF indicou alguns atos feitos por Salles como ministro que favoreceriam o desmantelamento de políticas ambientais no Brasil. Essas ações foram organizadas em quatro categorias: desestruturação dos órgãos de transparência e participação (como quando houve o esvaziamento de conselhos consultivos); desestruturação normativa (que seriam episódios que Salles assinou decisões contribuintes para enfraquecer a estrutura de leis ambientais); desestruturação fiscalizatória (desmonte de órgãos cujo objetivo era fiscalização ambiental, como o Ibama) e a desestruturação orçamentária.

A ação ainda faz um pedido cautelar de afastamento do ministro, ou seja, que ele seja retirado do cargo pela Justiça antes mesmo que o mérito do caso seja julgado. A justificativa do pedido é que, segundo os procuradores do MPF, as consequências para o meio ambiente podem ser irreparáveis caso Salles permaneça à frente do ministério. 

O pedido, que conta com 126 páginas e foi assinado por 12 procuradores, pede que Salles tenha os direitos políticos retirados durante cinco anos, além de indenizar os danos feitos e pagar multas. Os procuradores ainda requisitam para que o ministro não possa celebrar contratos com o poder público.

Segundo o texto, o desmatamento da Floresta Amazônica é a prova de que a permanência de Ricardo Salles é prejudicial para o meio ambiente. "A permanência do requerido Ricardo de Aquinno Salles no cargo de Ministro do Meio Ambiente tem trazido, a cada dia, consequências trágicas à proteção ambiental, especialmente pelo alarmante aumento do desmatamento, sobretudo na Floresta Amazônica", diz o pedido.

O MPF ainda adicionou que a fala de Ricardo Salles durante a reunião ministerial, que aconteceu no dia 22 de abril de 2020, demonstra que o ministro tinha interesse de se aproveitar da situação da quarentena, provocada pelo novo coronavírus, para alterar leis, que poderia prejudicar o meio ambiente. "As declarações apenas expõem, de forma clara, o que diversos atos já confirmavam: existe um verdadeiro encadeamento premeditado de atuar contrário à proteção ambiental, caracterizando o dolo, elemento subjetivo dos atos de improbidade. Analisando os fatos concretos, desde o início de sua gestão à frente do MMA, o ministro tem adotado inúmeras iniciativas em flagrante violação ao dever de tutela do meio ambiente, como a desconsideração de normas, critérios científicos e técnicos, em desrespeito aos princípios ambientais da precaução, da prevenção e da vedação do retrocesso", explica o MPF.
Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

política
mpf
ricardo salles
ministério do meio ambiente
improbidade administrativa
desmatamento
floresta amazônica
afastamento
sbt
sbt brasil
sbt jorn

Últimas notícias

Apoio de nomes da cultura pop a Kamala Harris pode impactar disputa com Trump? Veja análise

Apoio de nomes da cultura pop a Kamala Harris pode impactar disputa com Trump? Veja análise

Divas como Charli XCX e música de Beyoncé mobilizam campanha da vice-presidente nas redes sociais; artistas de cinema também endossam ex-senadora
Governo abre licitação para reforçar segurança externa da Penitenciária Federal de Mossoró (RN)

Governo abre licitação para reforçar segurança externa da Penitenciária Federal de Mossoró (RN)

Em fevereiro, local foi palco da primeira fuga de um presídio do Sistema Penitenciário Federal brasileiro da história
Ladrão invade casa enquanto família dormia e se arrepende depois

Ladrão invade casa enquanto família dormia e se arrepende depois

Câmera de segurança filmou assaltante dentro do quarto do casal
TSE diz que Boletim de Urna nas eleições brasileiras é "um relatório totalmente auditável”

TSE diz que Boletim de Urna nas eleições brasileiras é "um relatório totalmente auditável”

Manifestação veio após Maduro contestar, sem provas, fiscalização e segurança do pleito nacional
Justiça do Rio torna rés acusadas de matar empresário com brigadeirão

Justiça do Rio torna rés acusadas de matar empresário com brigadeirão

Suspeitas teriam cometido crime para ficar com bens da vítima
SP: Ladrão agride mulher com socos e chutes para roubar celular

SP: Ladrão agride mulher com socos e chutes para roubar celular

Idoso tenta interferir na agressão e ajudar a vítima
Justiça do Rio decide soltar filha do bicheiro Piruinha

Justiça do Rio decide soltar filha do bicheiro Piruinha

Monalliza Escafura estava presa desde o dia 18 de junho pelo crime de extorsão
Superior Tribunal de Justiça determina absolvição de jovem apontado como criminoso por reconhecimento fotográfico

Superior Tribunal de Justiça determina absolvição de jovem apontado como criminoso por reconhecimento fotográfico

Desembargador argumentou que recurso não deve ser o único indício para levar alguém à prisão "em razão de sua fragilidade”
RJ: idosa de 65 anos é espancada por assaltantes após dizer que não tinha dinheiro

RJ: idosa de 65 anos é espancada por assaltantes após dizer que não tinha dinheiro

Ela foi socorrida e levada para o hospital municipal de Nova Iguaçu em estado grave
Polícia prende golpista que usava antena para invadir o celular das vítimas

Polícia prende golpista que usava antena para invadir o celular das vítimas

Homem ficava entre 8 e 12 horas dentro de carro em São Paulo para aplicar os golpes
Publicidade
Publicidade