Publicidade

O desafio de Milei

Presidente argentino sabe que não ganhará no grito e percebeu que, se não entregar alguma melhoria, será devorado pela opinião pública

O desafio de Milei
Milei ainda tem apoio de parte da população, mas tem pouco espaço para errar | Instagram/casarosadaargentina
Publicidade

Javier Milei já percebeu que não vai ganhar no grito. Desde que assumiu, tentou emparedar o parlamento para aprovar, de uma só vez, um conjunto de mais de 600 artigos conhecidos como "Lei Ônibus".

Ao perceber que passou do ponto, desidratou o projeto, convenceu os deputados, mas perdeu no Senado.

Nesta terça-feira (30), uma versão ainda mais enxuta do pacote passou de novo pela câmara baixa, mas ainda vai exigir uma negociação dura com os senadores.

Milei quer levar a cabo a privatização de empresas como as Aerolíneas Argentinas, mas, neste momento, desistiu de leiloar o Banco Nación.

O presidente talvez tenha se valido da ideia de que todo recém-eleito tem um período de lua de mel com os eleitores em que o Congresso procura demonstrar boa vontade para evitar conflitos com um líder de popularidade alta.

O problema é que essa suposta lua de mel tem sido cada vez mais curta na história recente. Milei tem a seu favor o estado de mobilização permanente que transforma parte dos eleitores em seguidores fieis quando se trata da direita radical. Mas isso não garante apoio majoritário.

Sabemos que, nas campanhas, as promessas e os arroubos são muito mais intensos do que no dia-a-dia de um governo.

Milei, o leão, rugia prometendo vender todas as empresas estatais, fechar o banco central e dolarizar a economia, acabar com a "casta" que, segundo ele, sugava todo o dinheiro e a energia do país. Foi o suficiente para bater um peronismo cansado com um líder já nocauteado.

Agora que é com ele, o libertário sabe que, se não entregar logo alguma melhora, poderá ser devorado por uma opinião pública que não o verá mais como o rei da selva.

Empregos e crescimento da economia estão fora de cogitação neste 2024, com previsões de uma recessão de até 5%, fruto, inclusive, dos cortes do governo.

Inflação desafia Milei

Um dos inúmeros desafios de Milei na Argentina é domar a inflação que estrangula o bolso dos argentinos  SBT.jpg
Um dos inúmeros desafios de Milei na Argentina é domar a inflação que estrangula o bolso dos argentinos SBT.jpg

Se conseguisse segurar a inflação, já teria o que mostrar. É nisso que aposta.

Nas últimas entrevistas, Milei torturou os números para exibir alguns avanços.

Com a inflação oficial acima de 10% ao mês, cita os preços no atacado, que se comportaram mais.

Também bate bumbo para o superávit fiscal de 0,2% do PIB no primeiro trimestre, sem explicar que só chegou a isso com o achatamento dos salários dos aposentados, que receberam aumentos bem abaixo da inflação.

Com o poder de compra lá embaixo, esse pode se transformar em mais um setor de insatisfação contra o governo.

Na semana passada, a marcha estudantil muito maior que a Casa Rosada previa e praticamente apartidária, abraçando extratos heterogêneos da sociedade que incluem eleitores de Milei, foi um recado claro de que não se aceitará fechamento de universidades em nome de manter o superávit.

Recompor o orçamento para que o ensino superior público continue a funcionar vai exigir uma gestão mais sofisticada dos cortes. E, de novo, o problema é tempo.

Historicamente, argentinos têm pavio curto com governantes. E sabem, como ninguém, externar a insatisfação. Pesquisas recentes mostram que Milei ainda tem apoio de metade da população, mas com pouco espaço para errar.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Mundo
América Latina
Argentina
colunistas

Últimas notícias

Dior e Armani são investigadas por explorar trabalhadores em fábricas na Itália

Dior e Armani são investigadas por explorar trabalhadores em fábricas na Itália

Marcas negaram irregularidades, mas disseram que colaborarão com as apurações
MEC divulga edital do Prouni referente ao segundo semestre de 2024; veja cronograma

MEC divulga edital do Prouni referente ao segundo semestre de 2024; veja cronograma

Programa ofertará mais de 243 mil bolsas em universidade privadas do país
EUA: vice de Trump aceita formalmente nomeação para chapa do Partido Republicano

EUA: vice de Trump aceita formalmente nomeação para chapa do Partido Republicano

Em discurso, JD Vance expressou gratidão ao ex-presidente pela indicação e fez críticas à administração Biden
SBT News na TV: Ramagem presta depoimento à PF sobre "Abin paralela"

SBT News na TV: Ramagem presta depoimento à PF sobre "Abin paralela"

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta quinta-feira (18); assista!
Caixa inicia pagamentos do Bolsa Família de julho; veja quem recebe

Caixa inicia pagamentos do Bolsa Família de julho; veja quem recebe

Recurso pode ser sacado em agências bancárias ou movimentado virtualmente
Passageiro de carro envolvido em acidente em SP comprou três garrafas de bebida em bar

Passageiro de carro envolvido em acidente em SP comprou três garrafas de bebida em bar

Comanda do bar mostra que Felipe Gambeta Malheiro, que inicialmente se apresentou como condutor do veículo, comprou duas garrafas de vodka e uma de licor
Vídeo: Idoso de 84 anos é agredido por homem na zona sul de São Paulo

Vídeo: Idoso de 84 anos é agredido por homem na zona sul de São Paulo

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento da discussão e das agressões
Ramagem deixa a Polícia Federal após seis horas de depoimento sobre "Abin paralela"

Ramagem deixa a Polícia Federal após seis horas de depoimento sobre "Abin paralela"

Ex-diretor da Abin é apontado com um dos supostos chefes do núcleo político montado na agência para espionar ilegalmente desafetos do governo Bolsonaro
Procurador de Minas Gerais pede desculpas em vídeo por agressão a funcionária em cinema

Procurador de Minas Gerais pede desculpas em vídeo por agressão a funcionária em cinema

A gravação é parte de um acordo extrajudicial firmado entre o agressor e a vítima, de 25 anos
Lula se reúne com INSS e PF para tratar de ‘pente-fino’ nos benefícios sociais

Lula se reúne com INSS e PF para tratar de ‘pente-fino’ nos benefícios sociais

Encontro será realizado nesta quinta-feira (18), às 9h30, e terá ainda a presença de seis ministros
Publicidade
Publicidade