Publicidade

Ex-presidente da Argentina critica decreto de Milei: "República está em risco"

Alberto Fernández diz que medidas violam regras do estado de direito, desregulamenta o sistema de saúde e precariza o trabalho

Ex-presidente da Argentina critica decreto de Milei: "República está em risco"
Alberto Fernandez | ESTEBAN COLLAZO
Publicidade

O ex-presidente da Argentina, Alberto Fernández, criticou o decreto anunciado pelo presidente Javier Milei e afirmou que "a República está em risco". Milei, anunciou, na noite de 4ª feira (20.dez), um decreto para desregulamentar a economia do país. O texto, apresentado após milhares de moradores protestarem contra o pacote de reforma, modifica ou revoga mais de 300 normas e entrará em vigor nesta 5ª feira (21.dez), conforme publicação no Diário Oficial.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

"A República está em risco devido à insensatez demonstrada pelo Presidente ao ditar medidas contrárias à Constituição e aos interesses do nosso povo", escreveu Fernández em suas redes sociais. "Ele tem a responsabilidade de violar grosseiramente as regras do Estado de Direito."

"Quando a democracia comemora 40 anos de continuidade, o nosso país assiste a um acontecimento de extrema gravidade institucional nunca antes visto. O Poder Executivo, num ato de claro abuso de poder, avançou sobre as atribuições exclusivas do Poder Legislativo", disse Fernández. "O espírito que rege o decreto ilegal ditado terá graves efeitos económicos e sociais: abre indiscriminadamente as importações, põe em risco o meio-ambiente e os nossos recursos naturais, desregulamenta o sistema de saúde, precariza o trabalho e restringe direitos."

Segundo o ex-presidente argentino, Milei atingiu o sistema republicano de governo e adotou medidas em detrimento da indústria nacional, dos bens e recursos do Estado e dos direitos dos trabalhadores.

"Tal mudança revela a gravidade institucional do abuso presidencial. Os problemas da Argentina podem e devem ser resolvidos através dos canais legais e institucionais previstos na nossa Constituição Nacional", comentou Fernández. O ministro da Economia de Fernández, Sergio Massa, perdeu as eleições para Milei em novembro.

"Embora não se saiba quem é o autor intelectual e quem é o redator da norma, os requisitos de necessidade e urgência exigidos pela Constituição não são atendidos. Desde a sua posse, o Presidente e o seu Ministro da Economia têm repetido dados falsos tentando criar um cenário de caos para justificar a destruição do Estado e dos direitos dos trabalhadores. Com essa lógica assinaram o decreto que está questionado."

Entenda o decreto

Apelidado de Decreto de Necessidade e Urgência (DNU), o pacote moderniza o regime de trabalho para facilitar o processo de emprego e reforma o Código Aduaneiro para descomplicar o comércio internacional. O texto também revoga a regulamentação que impede a privatização de empresas públicas, bem como do regime de empresas estatais.

Segundo Milei, a intenção da reforma é combater a crise econômica instaurada no país. “O país estava a caminho de um colapso com inflação de 15.000%. Assinei um DNU para desmantelar o quadro jurídico opressivo que trouxe a decadência ao nosso país. Hoje iniciamos formalmente o caminho da reconstrução. É apenas o primeiro passo”, disse.

Medidas anunciadas por Milei:

  • 1. Revogação da Lei do Aluguel (que regulamentava o mercado imobiliário)
  • 2. Revogação da Lei de Abastecimento;
  • 3. Revogação da Lei das Gôndolas (que obrigava os supermercados a expor produtos fabricados por pequenas empresas e com menor preço);
  • 4. Revogação da Lei Nacional de Compras;
  • 5. Revogação do Observatório de Preços do Ministério da Economia;
  • 6. Revogação da Lei de Promoção Industrial;
  • 7. Revogação da Lei de Promoção Comercial;
  • 8. Revogação da regulamentação que impede a privatização de empresas públicas;
  • 9. Revogação do regime das empresas estatais;
  • 10. Transformação de todas as empresas do Estado em sociedades anônimas para sua subsequente privatização;
  • 11. Modernização do regime de trabalho para facilitar o processo de geração de emprego;
  • 12. Reforma do Código Aduaneiro, para facilitar o comércio internacional;
  • 13. Revogação da Lei de Terras para promoção de investimentos;
  • 14. Modificação da Lei de Combate ao Fogo;
  • 15. Revogação das obrigações das usinas de açúcar em relação a produção;
  • 16. Liberação do regime jurídico aplicável ao setor vitivinícola;
  • 17. Revogação do sistema nacional de comércio mineiro e do Banco de Informação Mineração;
  • 18. Autorização para transferência do pacote total ou parcial de ações da companhias aéreas argentinas;
  • 19. Implementação da política de céu aberto;
  • 20. Modificação do Código Civil e Comercial para reforçar o princípio da liberdade contratual entre as partes;
  • 21. Modificação do Código Civil e Comercial para garantir que as obrigações contratuais em moeda estrangeira devam ser pagas na moeda acordada;
  • 22. Modificação do marco regulatório de medicamentos e obras pré-pagas social
  • 23. Eliminação de restrições de preços na indústria pré-paga;
  • 24. Incorporação de empresas de medicamentos pré-pagos ao regime de obras sociais;
  • 25. Estabelecimento da prescrição eletrônica para agilizar o atendimento e minimizar custos;
  • 26. Modificações ao regime das empresas farmacêuticas para promover concorrência e reduzir custos;
  • 27. Modificação da Lei das Sociedades por Ações, para que os clubes de futebol possam se tornar corporações se assim o desejarem;
  • 28. Desregulamentação dos serviços de Internet via satélite;
  • 29. Desregulamentação do setor de turismo através da eliminação do monopólio das agências de viagens;
  • 30. Incorporação de ferramentas digitais para procedimentos de registro automotivo.
Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Mundo

Últimas notícias

Barbeiro transforma ponto de taxi em barbearia após perder comércio em Porto Alegre

Barbeiro transforma ponto de taxi em barbearia após perder comércio em Porto Alegre

No dia 4 de maio deste ano, Laio viu tudo o que tinha ficar embaixo d'água, inclusive sua residência
Com hospitais alagados, gestantes e recém-nascidos são atendidos em abrigos no RS

Com hospitais alagados, gestantes e recém-nascidos são atendidos em abrigos no RS

Uma das crianças atendidas tem 11 dias de vida e nem chegou a usar o enxoval, que foi totalmente perdido nas enchentes
Imposto de renda: 17 milhões de contribuintes ainda não entregaram declaração; veja dicas

Imposto de renda: 17 milhões de contribuintes ainda não entregaram declaração; veja dicas

No dia 31 de maio, encerra-se o prazo para declarar o IRPF 2024; escritórios de contabilidade têm ampliado a capacidade de atendimento
Enquanto o Sul do Brasil enfrenta os efeitos da chuva, outras partes do mundo sofrem com a seca

Enquanto o Sul do Brasil enfrenta os efeitos da chuva, outras partes do mundo sofrem com a seca

No México, por exemplo, mais de 22 milhões de pessoas podem ficar sem água nas próximas semanas
Santa Catarina recebe mais de 400 famílias afetadas pelas chuvas no RS

Santa Catarina recebe mais de 400 famílias afetadas pelas chuvas no RS

Estado vem fazendo um mapeamento para distribuir auxílios conforme a demanda de cada um dos gaúchos
Irã mata 7 pessoas na forca; ONG denuncia aumento de execuções

Irã mata 7 pessoas na forca; ONG denuncia aumento de execuções

Penas teriam sido aplicadas neste sábado (18); das 7 vítimas, 2 seriam mulheres
Flores são projetadas no Cristo para lembrar combate ao abuso sexual de crianças

Flores são projetadas no Cristo para lembrar combate ao abuso sexual de crianças

Ação faz parte da campanha de mobilização nacional. Do início de 2024 até agora, o Disque 100 recebeu mais de 11 mil denúncias
Chuvas no RS: Força-tarefa encontra galão de água sendo vendido a R$ 80

Chuvas no RS: Força-tarefa encontra galão de água sendo vendido a R$ 80

Ação do Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS) contra preços abusivos autuou 65 estabelecimentos
Municípios do RS discutem plano para dar novas moradias aos afetados pelas chuvas

Municípios do RS discutem plano para dar novas moradias aos afetados pelas chuvas

Relatório da Confederação Nacional dos Municípios aponta que mais de 100 mil casas foram danificadas ou completamente destruídas
Cantor Arlindinho denuncia que filha de 9 anos foi vítima de racismo em escola

Cantor Arlindinho denuncia que filha de 9 anos foi vítima de racismo em escola

Filho de Arlindo Cruz relatou o fato nas redes sociais; escola se manifestou por meio de nota
Publicidade
Publicidade