Publicidade

Biden apostou em guerras que podem lhe custar a reeleição

Com a popularidade no nível mais baixo desde que assumiu a presidência dos Estados Unidos, Joe Biden enfrenta desaprovação maior entre Democratas jovens

Biden apostou em guerras que podem lhe custar a reeleição
Publicidade

Washington DC - A poucos dias do fim de 2023, o presidente americano fez o que desejava e não precisou do Congresso, já em recesso de fim de ano. Joe Biden anunciou, na última semana de Dezembro, um pacote extra de U$ 250 milhões para assistência militar à Ucrânia. Deputados e senadores Democratas e Republicanos já avisaram que o poço tem fundo e que é chegada a hora de investir em problemas internos, que não são poucos. Segundo pesquisa recente da Reuters/Ipsos, 19% dos adultos entrevistados estão preocupados com a economia, 11% com a imigracão ilegal, 10% com os crimes e 7% com o meio ambiente e a desigualdade social. As guerras aparecem em seguida, com 6%, lado a lado com a preocupação pela saúde, que nos Estados Unidos não é fornecida de forma pública mas apenas privada.

Citar guerras em uma pesquisa que trata das preocupações do dia a dia virou rotina ao menos por aqui. No último discurso que fez em cadeia nacional, o presidente americano não falou sobre empregos, controle da inflação ou temas domésticos. Biden focou na ajuda que a Casa Branca tem dado a Kiev e Tel Aviv e justificou dizendo que o envio de milhões de dólares aos dois países é um tema de segurança nacional. Pesquisas recentes demonstram que a maioria dos americanos concorda com o apoio americano à Ucrânia que desde fevereiro de 2022 luta contra a invasão russa. Mas o apoio, dizem os eleitores, não pode ser às custas do aumento dos problemas caseiros vistos como jogados para escanteio.

O número de moradores de rua nos Estados Unidos aumentou 12% no último ano, segundo estimativa do Departamento de Habitação e Desenvolvimento. A inflação que assustou os americanos em 2022 com índices nunca vistos nos últimos quarenta anos retrocedeu, mas o impacto no aumento dos produtos e serviços afetou a vida de milhares de famílias. Dois mil e vinte e três foi também o ano em que imigrantes sem documentação legal foram levados aos milhares para cidades populosas como Nova York. A prefeitura de lá fez contratos milionários com hotéis de luxo para abrigar as famílias, mas agora no fim do ano o benefício venceu e muitos terão que se manter por conta própria.

Em meio a estes desafios, o envio de milhões de dólares para defesa de outros países parece ponto fora da curva. Biden insiste que seu apoio `a Kiev e a Tel Aviv e' incondicional mas esse discurso nao tem aprovacao da maioria dos eleitores. Especialmente os jovens democratas - partido do presidente. Uma pesquisa recente feita pelo New York Times/Siena College apontou que 57% dos entrevistados discordam da forma que Biden conduz o tema da guerra entre Israel e Hamas. O mesmo levantamento concluiu que 46% dos entrevistados disseram que o ex-presidente Donald Trump conduziria melhor o assunto do que Biden. Quando a pergunta foi em quem a pessoa votaria em 2024, 44% responderam Biden e 46% disseram que dariam o voto para Trump. O Republicano é réu em seis processos criminais, sua elegibilidade tem sido discutida nas cortes estaduais mas ainda é o nome mais forte contra Joe Biden que, ao se mostrar intransigente ao apoio a Netanyahu, perde votos.

O balanço de 2023 e os desafios na política americana para 2024

Dois mil e vinte e três foi o ano em que Biden e Lula se encontraram na Casa Branca e depois em Nova York. Foi o ano em que Brasil e Estados Unidos se reaproximaram após um período de isolamento internacional brasileiro na administração passada. Washington e Brasília fecharam acordos nas áreas do meio ambiente, do trabalho e da tecnologia. O Brasil também esteve em destaque no Conselho de Segurança da ONU, onde ocupou a presidência no mês de Outubro justamente quando a guerra entre Israel e Hamas teve início. A diplomacia brasileira se engajou de forma positiva para tentar aprovar uma resolução que pedia pausa nos bombardeios mas encontrou, junto a outros países, resistência americana que fez uso do veto. Os apelos do presidente Lula para o fim dos bombardeios repercutiu em Washington que demonstrou respeito à posição brasileira.

Para dois mil e vinte e quatro, o desafio maior será a continuidade dos projetos conjuntos já costurados entre os dois países e a resolução de questões internas que cabem a cada nação.

Daqui, um dos maiores destaques será a eleição do dia 5 de Novembro do ano que vem. Neste dia, os americanos vão eleger não só o/a presidente e o/a vice, mas também 435 deputados e 34 senadores. Mostrar resultados que impactam a vida do eleitor é o que os candidatos mais desejam e para isso terão que mudar o rumo do foco da política na capital do país.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Estados Unidos
Guerra
Política

Últimas notícias

Astronauta da Nasa compartilha foto noturna de São Paulo registrada do espaço

Astronauta da Nasa compartilha foto noturna de São Paulo registrada do espaço

A imagem foi tirada em 2003, direto da Estação Especial Internacional, quando o astronauta estava na primeira de três viagens com a agência
VÍDEO: Joalheria é invadida por 20 ladrões na Califórnia, nos Estados Unidos

VÍDEO: Joalheria é invadida por 20 ladrões na Califórnia, nos Estados Unidos

Tamanho do prejuízo ainda não foi estimado e invasão foi registrada por câmeras de segurança da loja
Congresso busca alternativas para compensar desoneração da folha de pagamentos

Congresso busca alternativas para compensar desoneração da folha de pagamentos

Quadro "Nos Corredores do Congresso", com a jornalista Iasmin Costa, mostra bastidores da negociação no Brasil Agora desta segunda (17)
Incêndio destrói galpões de empresas na região metropolitana de Salvador

Incêndio destrói galpões de empresas na região metropolitana de Salvador

Chamas foram registradas em Simões Filho; locais armazenavam estofados, argamassa e alimentos
Revisão de gastos: Lula faz reunião com ministros de orçamento e área econômica nesta segunda (17)

Revisão de gastos: Lula faz reunião com ministros de orçamento e área econômica nesta segunda (17)

Após semana difícil, governo federal quer saída para firmar promessa de déficit zero em 2024
Bandidos invadem transportadora e fazem 9 funcionários reféns no ABC Paulista

Bandidos invadem transportadora e fazem 9 funcionários reféns no ABC Paulista

Local abriga veículos de luxo, em São Bernardo do Campo; vítimas foram amarradas e amordaçadas
Homem morre esfaqueado após defender casal gay dentro de ônibus

Homem morre esfaqueado após defender casal gay dentro de ônibus

Crime aconteceu em Curitiba; dois suspeitos foram presos
Caminhão é atingido por 17 tiros em tentativa de roubo no Rio de Janeiro

Caminhão é atingido por 17 tiros em tentativa de roubo no Rio de Janeiro

Veículo transportava carga avaliada em R$ 64 mil; motorista escapou dos disparos
Netanyahu dissolve gabinete de guerra de Israel após renúncia de ex-general

Netanyahu dissolve gabinete de guerra de Israel após renúncia de ex-general

Conselho foi instaurado no início do conflito contra o Hamas, em outubro de 2023
Senado debate resolução do CFM que restringe aborto em casos de estupro

Senado debate resolução do CFM que restringe aborto em casos de estupro

Norma segue sem validade e aguarda decisão final do Supremo Tribunal Federal
Publicidade
Publicidade