Publicidade

"Se o senhor é da Swat, eu sou dos Vingadores", diz Dino a Marcos do Val

Discussão entre senadores e ministro da Justiça marcaram audiência pública desta 3ª feira; assista

"Se o senhor é da Swat, eu sou dos Vingadores", diz Dino a Marcos do Val
Publicidade

A audiência com o ministro da Justiça, Flávio Dino, na Comissão de Segurança Pública do Senado, nesta 3ª feira (9.mai), foi marcada por uma discussão entre os senadores Eliziane Gama (PSD-MA) e Marcos do Val (Podemos-ES) e crítica do ex-ministro Sergio Moro (União-PR) a resposta de Dino, entre outros acontecimentos.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

O titular da pasta foi à comissão, inicialmente, para prestar informações sobre os planos e agenda estratégica do ministério. Ele foi questionado, por exemplo, sobre o que este, sob sua gestão, pretende em relação ao sistema prisional do Brasil; qual o principal desafio a ser enfrentado por sua gestão; e como está o andamento das políticas públicas em defesa das mulheres brasileiras. Fizeram perguntas os senadores Magno Malta (PL-ES), Flávio Bolsonaro (PL-RJ), Marcos do Val, Jorge Kajuru (PSB-GO), Leila Barros (PDT-DF) e Ana Paula Lobato (PSB-MA), entre outros.

Eliziane e Marcos do Val discutiram após o senador afirmar que Dino está "toda hora se contradizendo" ao falar sobre o 8 de janeiro e que espera que ele seja "afastado e se possível preso como o ministro André Mendonça, aliás, André Mendonça, não, Anderson Torres" - fazendo uma confusão entre os nomes do magistrado do Supremo Tribunal Federal (STF) e o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Jair Bolsonaro (PL).

Eliziane depois, então, pediu aos parlamentares participantes da comissão para se aterem ao objeto da audiência e criticou que Magno, Flávio e Marcos haviam falado por mais de dez minutos, enquanto o regimento prevê três minutos, e o presidente da comissão, Sérgio Petecão (PSD-AC), deu cinco. Além disso, atacou Do Val: "aliás, o Marcos [não falou] coisa com coisa, a gente não entende nada do que ele está falando aqui. Tergiversando".

+ Tebet diz que inflação de abril será um pouco abaixo da expectativa

De acordo com ela ainda, apesar de ele ter pedido em sua fala para Dino olhar para ele, o próprio senador não olha para o ministro. Marcos do Val rebateu a declaração da parlamentar sobre tergiversar: "Ela sabe da minha carreira e não há questionamento sobre o meu conhecimento a respeito".

Eliziane também acusou o senador do Podemos de querer "monopolizar a comissão", por, de acordo com ela, não respeitar o tempo de fala. Posteriormente, Do Val falou esperar que a senadora lhe pedisse desculpa por ter colocado ele "como uma pessoa louca". Segundo Petecão, porém, ela não o chamou de louco.

Em resposta à afirmação de Do Val sobre se contradizer em relação ao 8 de janeiro, Dino disse que o senador faz "construções mentais", e construções estas "muito singulares" e que não têm "suporte nos fatos". "Esse seu olhar criminalizador, agressivo. O senhor tem se dedicado nas suas redes sociais a vídeos difamatórios, agressivos contra mim, obsessivos. É bom o senhor refletir sobre isso, porque eu sou senador da República, sou ministro de Estado e estou disposto a enfrentar esse debate em qualquer lugar", pontuou. 

"Não precisa o senhor ir para a porta do Ministério da Justiça fazer vídeo de internet. Porque se o senhor é da Swat, eu sou dos Vingadores. O senhor conhece Capitão América, Homem-Aranha? Então é assim que a gente faz o debate democrático e assim que a verdade sempre vence", complementou, gerando risos entre os senadores da comissão.

"Deboche"

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública e senador pelo Paraná, Sergio Moro (União), entendeu como deboche uma fala de Dino e, por isso, o interrompeu. O ministro havia afirmado, em resposta ao parlamentar: "Em relação às ações do Ministério da Justiça, também volta ao princípio da legalidade. Existe uma lei. O senhor lembra. Eu acredito que o senhor lembra. Que o senhor não pode ter esquecido".

Moro, então, pontuou: "Esse tipo de deboche eu não concordo. Desculpe, senador Petecão. Aí eu tenho que interromper. 'Lembra, legalidade', eu conheço muito bem a lei, ministro. Eu sei que, na minha gestão do Ministério da Justiça, a gente reduziu os assassinatos em 20%".

Moro acrescentou que não aceita "ser tratado com deboche". Eliziane Gama disse que isso não havia ocorrido e que o senador tratou Dino com deboche. Ao retomar a fala, o ministro ressaltou: "Se o senhor me faz perguntas, eu tenho que lhe responder com a lei, é o meu dever. Então se o senhor me faz perguntas esquisitas, eu tenho que lembrar ao senhor a lei". O integrante do União Brasil se defendeu: "Perguntas esquisitas? Eu acho que é uma agressividade do ministro". Marcos do Val apoiou Moro, criticando Dino: "Ele vai provocando isso para depois sair".

+ Relator do arcabouço fiscal diz que espera "votação tranquila"

Antes da confusão, o senador pelo Paraná havia dito que o titular do MJSP tratara Do Val com deboche na comissão e que, em sua visão, isso não pode acontecer. O ex-governador do Maranhão respondeu o ex-juiz. "Eu vim aqui como ministro e como senador da República para ser respeitado. Se um senador acha que pode cercear a minha palavra, se um senador diz que eu tenho que ser preso, isto é respeito? Pense bem, pense com a sua consciência se isso acontecer com o senhor. De alguém interpelar o senhor e dizer. Eu sou uma pesoa honesta, eu sou ficha limpa. Eu fui juiz, nunca fiz conluio com o Ministério Público, eu nunca tive sentença anulada", iniciou.

"E por ter sido um juiz honesto, por ter sido um governador honesto é que eu não admito que ninguém venha dizer que eu tenho que ser preso. Isso é desrespeito. Quem tem honra, age assim. E, portanto, eu repilo veementemente qualquer ofensa à minha honra", prosseguiu. Conforme Dino, "debate parlamentar que desbordar do decoro parlamentar, vai ter a resposta devida".

"É um direito e obrigação minha. Eu tenho família, eu tenho ficha limpa, currículo, eu tenho trajetória nos três Poderes do Estado. E e por isso que às vezes eu sou incisivo diante da proporcionalidade da ofesa. O que esse colega seu tem feito, reiteradamente todos os dias, é me chamar de lixo, bandido, mal caráter, que eu tenho que ser preso".

Outros temas

Dino abordou na audiência também o tema da regulação das plataformas digitais. "Por que só as plataformas não podem ter regulação? Se todas as atividades humanas, lucrativas ou não, tem regulação jurídica. Quem deu essa imunidade jurídica para cinco empresas que querem controlar o pensamento, a arte, a cultura, a política, a economia, os negócios? Que imunidade é essa? Imunidade do poder financeiro, que quer inclusive ameaçar esse parlamento?", falou Dino. Para ele, "é claro que precisa de uma regulação".

De acordo com o ministro, "a liberdade de expressão, como qualquer valor constitucional, é regrada, ou seja, não é um valor em si absoluto". Em suas palavras, "não existe liberdade de expressão para quem comete crimes".

Ele falou ainda sobre os CACs. "Criminosos viraram CACs e CACs também se associaram a práticas criminosas, e por isso tem ocorrido as prisões", pontuou. Porém, acrescentou, a maioria dos  colecionadores, atiradores desportivos e caçadores não cometem crimes.

+ Federação Psol/Rede escolhe deputados Henrique Vieira e Erika Hilton para CPMI

Em outro momento, Dino citou uma proposta em discussão no governo sobre a cadeia do ouro no Brasil: "O Ministério da Justiça elaborou uma proposta, tramita hoje no âmbito do governo, na Casa Civil, e com certeza muito em breve aportará aqui no Congresso Nacional um novo Projeto de Lei ou Medida Provisória, é uma definição do presidente da República, tratando desse tema do rastreamento, origem do ouro, cadeia do ouro, para saneá-la".

O ministro afirmou ter se deparado com recursos empossados quando chegou no ministério. "Quando nós chegamos, havia dinheiro empossado. Significa dinheiro que não era utilizado efetivamente na segurança pública, por conta de marcos normativos errados, preteritamente editados. Então nós tínhamos, aproximadamente, do Fundo Nacional de Segurança Pública, R$ 2,4 bilhões empossados, ou seja, que não estavam e não estão ainda sendo efetivamente utilizados". Uma portaria foi editada para permitir aos estados gastarem o dinheiro. A audiência pública com Dino durou quase cinco horas.

+ "Não foi por picuinha", diz Lira sobre derrubada de decretos de Lula

+ Ex-deputado federal David Miranda morre aos 37 anos

+ Agenda do Poder: Torres nega interferência na PRF e PF nas eleições

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
congresso
flávio dino
audiência pública
comissão
senado
senadores
sergio moro
eliziane gama
marcos do val
deboche
vingadores
ouro
dinheiro
segurança
guilherme-resck
swat

Últimas notícias

Flagra: Macaco foge de zoológico e vai parar em presídio no RJ

Flagra: Macaco foge de zoológico e vai parar em presídio no RJ

Caso foi registrado na zona norte da capital; bichinho circulou pela penitenciária até ser resgatado
Rendimento mensal do 1% mais rico é quase 40 vezes maior que dos 40% mais pobres no Brasil, diz IBGE

Rendimento mensal do 1% mais rico é quase 40 vezes maior que dos 40% mais pobres no Brasil, diz IBGE

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) aponta aumento no valor médio recebido em 2023, mas desigualdade segue alta
EXCLUSIVO: Gilmar Mendes rebate relatório dos EUA e defende Moraes: "Nenhum excesso"

EXCLUSIVO: Gilmar Mendes rebate relatório dos EUA e defende Moraes: "Nenhum excesso"

"O que mostram como irregular são processos de caráter sigiloso, como a quebra de sigilo. Absolutamente normal", disse o decano ao SBT
Com doença cônica, menino corre risco de perder movimentos do corpo

Com doença cônica, menino corre risco de perder movimentos do corpo

Garotinho precisa de remédio injetável semanal e caro, mas medicamento está em falta na rede pública de saúde de São José dos Campos (SP)
Mapa Mundi ao vivo: Israel ataca Irã e homem-bomba em consulado iraniano em Paris

Mapa Mundi ao vivo: Israel ataca Irã e homem-bomba em consulado iraniano em Paris

SBT News também traz entrevista com presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e atualiza informações sobre a invasão russa
Temos prendido muito e prendido mal, diz Gilmar Mendes

Temos prendido muito e prendido mal, diz Gilmar Mendes

Ao SBT, decano do STF afirma buscar conter assimetria social com julgamento sobre drogas: "Não se trata de permitir o uso para recreação"
Homem em fuga invade casa e faz mulher refém em Salvador

Homem em fuga invade casa e faz mulher refém em Salvador

Região do Subúrbio Ferroviário vive semana de tensão, com mortes e tiroteios; criminoso morreu em confronto
3ª Guerra Mundial? Estamos longe, mas mais perto do que há 20 anos, diz especialista

3ª Guerra Mundial? Estamos longe, mas mais perto do que há 20 anos, diz especialista

Analista político Uriã Fancelli vê uma espécie de Guerra Fria 2.0 entre EUA, China e Rússia e comenta temor de conflito ampliado no Oriente Médio
VÍDEO: Kombi em chamas atropela motociclista no RJ

VÍDEO: Kombi em chamas atropela motociclista no RJ

Caso foi registrado em Nova Iguaçu; veículo pode ter sofrido pane elétrica e piloto se jogou no chão para escapar do pior
Nova espécie de dinossauro identificada homenageia Tieta do Agreste

Nova espécie de dinossauro identificada homenageia Tieta do Agreste

Animal pré-histórico viveu no Recôncavo Baiano cerca de 130 milhões de anos atrás
Publicidade
Publicidade