Publicidade

"Exploração e ameaça", dizem ambientalistas sobre projetos no Congresso

Textos envolvendo fiscalização de agrotóxicos e terras indígenas estão em pauta entre parlamentares

"Exploração e ameaça", dizem ambientalistas sobre projetos no Congresso
Textos em debate são defendidos sobretudo pela chamada bancada ruralista | Pixabay
Publicidade

Entre centenas de projetos que tramitam na Justiça e no Congresso Nacional, dois em especial estão chamando a atenção e provocando alarde entre ambientalistas e pesquisadores. São eles: a tese do Marco Temporal, que segue em análise no Supremo Tribunal Federal (STF), e o Projeto de Lei (PL) 1.459/2022, que flexibiliza as regras para fiscalização e utilização de agrotóxicos no Brasil, já aprovado pela Câmara dos Deputados e atualmente em discussão no Senado Federal.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Ambos os textos, defendidos sobretudo pela bancada ruralista, são considerados pelos ambientalistas como uma ameaça para o meio ambiente e um possível retrocesso nos direitos humanos. Com isso, diversos abaixo assinados pela rejeição das propostas estão circulando na internet, apontando as principais consequências da aprovação dos projetos para a população.

Em julgamento no STF, a tese que defende que os povos indígenas só poderiam reivindicar os territórios em que estavam a partir de 5 de outubro de 1988, data em que foi promulgada a Constituição Brasileira, é considerada institucional pelos críticos. "Essa ideia é inconstitucional, considerando que a própria Constituição Federal, no artigo 231, reconhece aos povos indígenas os 'direitos originários' sobre seus territórios ancestrais", afirma o porta-voz da Campanha Amazônia do Greenpeace, Danicley de Aguiar.

Ele ressalta que "negar o reconhecimento dos territórios indígenas é negar aos povos a reprodução de um modo de vida que, além de garantirem a sobrevivência física e cultural, colaboram para a conservação de 1,6 milhões de quilômetros quadrados de vegetação nativa no Brasil". Além disso, um eventual reconhecimento do Marco Temporal também poderia implicar em risco ao equilíbrio ecológico e à proteção ambiental, bem como contribuir para o agravamento da crise climática global.

"Estamos abrindo um precedente perigoso. Hoje, o que está sob ameaça são os direitos indígenas. Mas amanhã, quais direitos serão? Essa relativização é inaceitável, e coloca em risco nossa democracia", ressalta Aguiar, acrescentando que a tese atende somente aqueles interessados na "exploração predatória" das terras indígenas, como garimpo e desmatamento.

Apesar de ser discutida no STF desde agosto do ano passado, o julgamento da tese foi adiado mais uma vez. O recurso estava previsto para ser analisado no dia 23 deste mês, mas foi retirado de pauta pelo presidente da Corte, ministro Luiz Fux, que não apresentou uma nova data para a audiência. Atualmente, o placar do julgamento está empatado em 1 a 1. O ministro Nunes Marques, por exemplo, votou a favor da tese, alegando que os interesses dos indígenas não devem se sobrepor aos interesses da defesa nacional. 

Agrotóxicos

Ao mesmo tempo, no Senado Federal, o projeto envolvendo a fiscalização de agrotóxicos é chamado de "pacote do veneno" pelos críticos. Apesar de prometer cautela na tramitação do texto, o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco, o distribuiu para análise apenas na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), para, posteriormente, seguir para aprovação no Plenário. A decisão foi repudiada pelos ambientalistas, que defendem que a proposta também deveria ser distribuída para outros colegiados.

"Essa decisão é absurda. Como um projeto que poderá afetar diretamente o meio ambiente e a saúde da população será analisado exclusivamente sob a ótica do agronegócio?", questiona Luiza Lima, assessora de Políticas Públicas do Greenpeace Brasil. "A decisão de Pacheco ignora requerimentos apresentados por diversos senadores para a distribuição do projeto para as comissões de Meio Ambiente, Direitos Humanos e Comissão de Assuntos Sociais", acrescenta.

+ Amazônia tem maior número de focos de incêndio desde 2004, diz Inpe

O presidente da CRA, Acir Gurgacz, no entanto, afirma que promoverá duas audiências públicas para analisar a proposta. Apesar de se apresentar favorável à flexibilização das regras para o uso de agrotóxicos, o senador disse que poderia rever o texto a partir dos debates. "Acho que este é o nosso papel: debater, dar oportunidade para que todos possam nos ajudar. Então, vamos fazer as audiências públicas, vamos ouvir todas as informações, todas as sugestões, para que depois a gente possa fazer um relatório", disse.

Leia também

+ Após denúncias, Câmara fará audiência pública sobre "CPI do sertanejo"

+ STF decide que negociação coletiva é obrigatória para demissões em massa

+ MTST faz protesto contra a fome dentro de shopping de luxo em São Paulo

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

sbt
sbtnews
portalnews
congresso
exploraçao
ameaça
ambientalistas
projetos
agrotoxicos
terras indigenas
stf
senado
marco temporal
meio ambiente
camila stucaluc
justica
camila-stucaluc

Últimas notícias

Sul, Norte e Nordeste têm previsão de chuva forte nesta sexta-feira

Sul, Norte e Nordeste têm previsão de chuva forte nesta sexta-feira

Também pode chover durante todo o dia em São Paulo e no Rio de Janeiro, mas com menor intensidade
FMI sobe para 2,5% a projeção de crescimento médio da economia brasileira

FMI sobe para 2,5% a projeção de crescimento médio da economia brasileira

Relatório aponta reforma tributária e transformação ecológica como fatores que ajudam o desenvolvimento econômico e ao PIB do Brasil
Filho de Nicolas Cage agride a própria mãe e é preso

Filho de Nicolas Cage agride a própria mãe e é preso

Weston Cage teria cometido agressão após transtornos; astro pagou fiança do filho para tirá-lo da cadeia
Recém-chegado da Bahia é morto durante assalto em SP

Recém-chegado da Bahia é morto durante assalto em SP

Jovem foi cercado por quatro criminosos; vítima usava calça de empresa semelhante à de policiais, provável motivo para disparos
ENGANOSO: É enganoso que fundação de Bill Gates tenha financiado pesquisa para tornar gripe aviária transmissível para humanos

ENGANOSO: É enganoso que fundação de Bill Gates tenha financiado pesquisa para tornar gripe aviária transmissível para humanos

Confira a verificação realizada pelos jornalistas integrantes do Projeto Comprova
Brasil Agora: "Abin paralela" e Bolsonaro no alvo da PF; as gafes de Biden

Brasil Agora: "Abin paralela" e Bolsonaro no alvo da PF; as gafes de Biden

Confira essas e outras notícias desta sexta-feira (12) nas primeiras horas da manhã, com apresentação de Murilo Fagundes e comentários de Iasmin Costa
Sexting: o que é a prática que pode ter levado ao fim namoro de Iza

Sexting: o que é a prática que pode ter levado ao fim namoro de Iza

Pivô da separação diz que não houve encontro, só troca de mensagens entre os dois
Eleições EUA: Trump aparece na frente em relação a Joe Biden nas casas de apostas

Eleições EUA: Trump aparece na frente em relação a Joe Biden nas casas de apostas

Mesmo sendo voltadas, em sua maioria, para apostas esportivas, a disputa entre presidentes tem despertado o interesse de diversos apostadores
Das deepfakes à cobertura colaborativa: desafios do jornalismo na era digital são destaques em Congresso da Abraji

Das deepfakes à cobertura colaborativa: desafios do jornalismo na era digital são destaques em Congresso da Abraji

19º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo começou nesta quinta-feira (11), em São Paulo, com presença do SBT News
Incêndios no Pantanal foram zerados e continuarão sob monitoramento, diz governo no MS

Incêndios no Pantanal foram zerados e continuarão sob monitoramento, diz governo no MS

Satélites do Inpe não registraram novos focos durante as últimas 24 horas
Publicidade
Publicidade