Publicidade

Pazuello desagrada senadores e deve ser ainda mais pressionado nesta 5ª

Ex-ministro da Saúde deu declarações controversas sobre crise de Manaus e recomendação da cloroquina

Pazuello desagrada senadores e deve ser ainda mais pressionado nesta 5ª
Eduardo Pazuello
Publicidade

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello enfrentará nesta 5ª feira (19.mai) mais uma longa sessão de depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia. Após oito horas de perguntas na sessão de 4ª feira (18.mai), senadores ainda estão insatisfeitos com as respostas do general sobre a crise de oxigênio em Manaus, da recomendação do Ministério da Saúde para o uso da cloroquina e das negociações pelas vacinas da Pfizer. 

Apesar de estar protegido por um habeas corpus, concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a prisão do ex-ministro ainda é aventada por parlamentares. A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) o acusou de mentir em suas respostas, e disse querer discutir com colegas sobre quais medidas tomar em relação às supostas falsas alegações. A avaliação de congressistas, contudo, é que o fato de Pazuello ser um general do Exército causa intimidação entre os membros do colegiado, além do fato de ele ter respaldo jurídico da Corte sobre "constrangimentos" durante a oitiva.

+ Lewandowski decide que Pazuello pode ficar em silêncio na CPI da Covid

O depoimento do ex-ministro foi suspenso depois que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), deu início à ordem do dia no plenário da Casa. Pazuello também teria passado mal com uma crise de vasovagal. O senador Otto Alencar (PSD-BA), que é médico, afirmou que fez o atendimento, mas o general negou que tenha se sentido mal. "Não, eu não passei mal", disse o ex-titular da Saúde a jornalistas. 

+ Pazuello passa mal em CPI e depoimento é adiado

O relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), assim como a senadora Eliziane, alegou que o ex-ministro não foi verdadeiro nas respostas e disse que o general não está contribuindo com as investigações. O emedebista, que não tem tempo definido para fazer questionamentos, gastou aproximadamente cinco horas para interrogar Pazuello. Nesta 5ª feira, o general enfrentará ainda perguntas de 23 senadores. 

Vacinas da Pfizer

Durante o depoimento, Pazuello negou que tenha ignorado ao menos cinco ofertas da Pfizer em 2020 e disse que assinou, em dezembro do ano passo, o memorando de entendimento da farmacêutica sem a autorização de órgãos de controle, como a Advocacia-Geral da União (AGU), a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU).

+ Pazuello justifica recusa de ofertas da Pfizer com cláusulas "assustadoras"
+ Governo rejeitou seis ofertas de vacinas, diz executivo da Pfizer

No entanto, o TCU disse, em nota, que em "nenhum momento seus ministros se posicionaram de forma contrária à contratação da empresa Pfizer para o fornecimento de vacinas contra a covid, e tampouco o tribunal desaconselhou a imediata contratação em razão de eventuais cláusulas contratuais". Após confrontado, Pazuello admitiu que teria se confundido em relação ao TCU. 

Crise de Manaus e cloroquina

O ex-ministro também disse que o estoque de oxigênio hospitalar em Manaus ficou negativo por apenas três dias em janeiro deste ano. A declaração de Pazuello causou revolta nos senadores e o líder do MDB na Casa, Eduardo Braga (AM), alegou que foram ao menos 20 dias de colapso no sistema de saúde. "É só ver o número de mortos. É só ver o desespero", completou o senador. 

Questionado sobre a plataforma TrateCov, lançada durante sua gestão no Ministério da Saúde, o general atribuiu à secretária de Gestão do Trabalho da pasta, Mayra Pinheiro, conhecida como "capitã cloroquina", a idealização do aplicativo. Segundo o general, a ferramenta foi desenvolvida para diagnosticar pacientes com covid-19. 

+ CPI: Senadores pressionam Pazuello sobre crise de oxigênio em Manaus
+ Pazuello culpa governadores e prefeitos de liberarem carnaval em 2020
+ Lewandowski nega pedido da "Capitã Cloroquina" para ficar calada na CPI

"A secretária Mayra, trouxe como sugestão, quando voltou de Manaus dia 6, que poderia utilizar uma plataforma, já desenvolvida para isso, para facilitar o diagnóstico clínico feito pelo médico, e que iria iniciar esse trabalho para fechar a plataforma", disse. De acordo com o ex-ministro, a plataforma foi mostrada em 11 de janeiro, em Manaus, ainda em fase de desenvolvimento.

O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), interrompeu a fala de Pazuello para afirmar que o ex-ministro apresentou o aplicativo na cidade em 4 de janeiro, em uma coletiva de imprensa. Segundo o senador, Manaus foi feita de "cobaia" e o general teria cometido crime contra um estado. "E o grande problema do estado aconteceu uma semana depois. E chegar aqui e dizer... tudo pode se falar, negar cloroquina. Só não pode negar aquelas imagens das pessoas sem oxigênio no meu estado".

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
congresso
cpi da covid
cpi da pandemia
eduardo pazuello
senado
depoimento
cloroquina
pfizer
manaus
gabriela-vinhal

Últimas notícias

Fóssil de dinossauro com mais de 233 milhões de anos é encontrado após enchente no RS

Fóssil de dinossauro com mais de 233 milhões de anos é encontrado após enchente no RS

Ossada foi achada parcialmente exposta em São João do Polêsine, no Rio Grande do Sul
Em protesto contra o uso de IA, Disney sofre ataque hacker e dados são vazados

Em protesto contra o uso de IA, Disney sofre ataque hacker e dados são vazados

Ação foi manifestação contra arte produzida com inteligência artificial na empresa; informações foram roubadas
MDB x PT nas eleições: Lula não cobra de estarmos contra candidato do nosso partido, diz Jader Filho

MDB x PT nas eleições: Lula não cobra de estarmos contra candidato do nosso partido, diz Jader Filho

Ministro das Cidades defende pragmatismo em campanhas municipais e disse que não estará "em palanque de alguém que faça oposição radical a Lula"
Meta retira restrições das redes sociais de Trump

Meta retira restrições das redes sociais de Trump

Em 2023, os perfis do republicano foram restabelecidos no Instagram e no Facebook
Lula defende regulação das redes sociais e diz que big techs ganham dinheiro com mentiras

Lula defende regulação das redes sociais e diz que big techs ganham dinheiro com mentiras

Com o PL das fake news travado, presidente disse que governo pode enviar ao Congresso outro projeto para regular a atuação de big techs
Google pode comprar startup de cibersegurança por R$ 124 bilhões

Google pode comprar startup de cibersegurança por R$ 124 bilhões

Aquisição da Wiz pode ser a maior aquisição da história da empresa de tecnologia, segundo jornal Wall Street Journal
Turista que estava na Bahia pode ter morrido por picada de aranha-marrom

Turista que estava na Bahia pode ter morrido por picada de aranha-marrom

Suspeita é que jornalista paulista tenha sido picado em restaurante
Astros de "Wolverine" e "Deadpool" estão no Rio de Janeiro

Astros de "Wolverine" e "Deadpool" estão no Rio de Janeiro

Chegada do elenco faz parte da divulgação de novo filme
PF mira extração ilegal de madeira em terra indígena no Maranhão e investiga envolvimento de povos originários

PF mira extração ilegal de madeira em terra indígena no Maranhão e investiga envolvimento de povos originários

Um indígena da TI Geralda/Toco Preta foi preso; um dos alvos de mandado de prisão está foragido
Minha Casa, Minha Vida: meta de 2 milhões de unidades até 2026 será superada, diz Jader Filho

Minha Casa, Minha Vida: meta de 2 milhões de unidades até 2026 será superada, diz Jader Filho

Ministro das Cidades informou que edital para escolha de famílias do Rio Grande do Sul que vão receber casas novas deve ser finalizado na próxima semana
Publicidade
Publicidade