Publicidade

Mulheres vão às ruas no 8/3 contra a violência e com pedidos de igualdade

São Paulo, Rio e Brasília contaram com atos em defesa de direitos; mães afetadas pela guerra também foram citadas: conheça as reivindicações

Mulheres vão às ruas no 8/3 contra a violência e com pedidos de igualdade
Fernando Frazão/Agência Brasil
Publicidade

Capitais brasileiras registraram protestos em defesa dos direitos das mulheres ao longo deste 8 de março. A data que internacionalmente simboliza o Dia das Mulheres contou com manifestações em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, além de outras dezenas de cidades. As ações se colocaram contra a violência, que atinge ao menos oito mulheres a cada 24 horas no país.

+ Ao menos 8 mulheres foram vítimas de violência a cada dia de 2023, diz levantamento

Os atos, de sexta-feira (8), também pediram por igualdade de direitos e oportunidades. Ao todo, foram previstas 26 manifestações. Outros movimentos também são planejados para este sábado (9).

Em São Paulo, mulheres foram até a Avenida Paulista com demandas para mais acesso a serviços gratuitos e de qualidade, como educação, água e saúde. Elas também levantaram a pauta de que o aborto não deveria ser criminalizado no país. Atualmente, mulheres podem ser presas em casos de interrupção da gravidez sem autorização.

A demanda veio no mesmo dia em que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso, afirmou ser necessária uma maior discussão a respeito do tema e defendeu a descriminalização, com avaliação de que prender mulheres não resolve o problema.

“É preciso explicar para a sociedade que o aborto não é uma coisa boa. O aborto deve ser evitado e, portanto, o estado deve dar educação sexual, contraceptivos e amparar a mulher que queria ter filho e explicar para as pessoas que ser contra o aborto, não querer que ele aconteça, tentar evitá-lo, não significa que se queira prender a mulher que passe por esse infortúnio, porque é isso que a criminalização faz”, declarou.

As mesmas demandas foram destaque no protesto do Rio de Janeiro. Mulheres na capital fluminense também destacaram pedidos contra a violência e pela igualdade no mercado de trabalho. "As mulheres são atingidas de várias formas. O sexismo e o patriarcado fragmentam a nossa vida de uma forma, que temos uma lista enorme de bandeiras de luta. Mas uma síntese é a luta pela vida, e uma vida com dignidade", afirma a cientista social Carolina Otávio, que participou do ato.

+ França é o primeiro país no mundo a tornar aborto um direito constitucional

Em Brasília, além do destaque para a desigualdade entre homens e mulheres, as manifestantes também fizeram uma ação em lembrança das mães afetadas pela guerra entre Israel e Hamas. Ao menos 240 cruzes foram pregadas para representar mães palestinas. Segundo divulgações da ONU, ao menos 17 crianças em Gaza perderam os pais ou ficaram separadas as famílias. As mulheres ainda destacaram casos de feminício na capital federal.

*Com informações da Agência Brasil

Publicidade
Publicidade

Últimas notícias

Faixa de Gaza: mais de oito mil crianças estão em situação de desnutrição aguda

Faixa de Gaza: mais de oito mil crianças estão em situação de desnutrição aguda

Das 32 mortes pela doença no território, 28 eram crianças menores de cinco anos
Senadores sugerem medidas para compensar desoneração da folha e Jaques Wagner vai levar à Fazenda

Senadores sugerem medidas para compensar desoneração da folha e Jaques Wagner vai levar à Fazenda

Congresso e governo tentam encontrar solução para compensar medida, após devolução de parte da "MP do Fim do Mundo"
"Estou anestesiada. Nos vimos ontem", lamenta ex-esposa do cantor Nahim

"Estou anestesiada. Nos vimos ontem", lamenta ex-esposa do cantor Nahim

Sucesso nos anos 80, artista foi encontrado morto em sua casa na manhã desta quinta-feira (13)
Ciro Nogueira atribui derrota de Bolsonaro nas eleições de 2022 também a aliados

Ciro Nogueira atribui derrota de Bolsonaro nas eleições de 2022 também a aliados

Sem citar Roberto Jefferson e Carla Zambelli, ex-ministro da Casa Civil diz que casos midiáticos a uma semana do pleito prejudicaram ex-presidente
Albinismo nem sempre afeta a cor da pele; entenda o que é condição rara

Albinismo nem sempre afeta a cor da pele; entenda o que é condição rara

Exposição ao sol pode causar queimaduras no corpo e, em alguns casos, apenas a região dos olhos é atingida
Suspeito de matar jovem e ocultar cadáver em casa é preso no Rio

Suspeito de matar jovem e ocultar cadáver em casa é preso no Rio

"Amigo" da vítima estava foragido; Já Caio da Silva Rendão, de 21 anos, estava desaparecido desde o dia 9 de fevereiro
Nahim gravou "Qual é a Música", do "Programa Silvio Santos, com Patrícia Abravanel"; exibição será em breve

Nahim gravou "Qual é a Música", do "Programa Silvio Santos, com Patrícia Abravanel"; exibição será em breve

Cantor esteve nos estúdios do SBT em São Paulo no começo deste mês, onde gravou o famoso quadro musical
Urgência de PL sobre aborto foi demonstração de força de Lira em semana ruim do governo; veja análise

Urgência de PL sobre aborto foi demonstração de força de Lira em semana ruim do governo; veja análise

Jornalista Nathalia Fruet traz bastidores políticos sobre aprovação relâmpago de urgência de projeto que iguala aborto a homicídio na Câmara dos Deputados
El Niño chega ao fim, com previsão de La Niña; entenda o que pode mudar no clima

El Niño chega ao fim, com previsão de La Niña; entenda o que pode mudar no clima

Inmet aponta que novo fenômeno climático, associado à diminuição da temperatura e aumento das chuvas, deve começar no próximo semestre
Pastor da igreja Bola de Neve é afastado após medida protetiva concedida à esposa

Pastor da igreja Bola de Neve é afastado após medida protetiva concedida à esposa

Rinaldo Seixas, conhecido como “apóstolo Rina”, é líder da instituição; ele responde por denúncias de lesão corporal, violência psicológica e outros
Publicidade
Publicidade