Publicidade

Líder indígena encontrado morto era de aldeia que ocupa terreno da Vale

Propriedade da mineradora fica a 20 km de local onde ocorreu a ruptura da barragem que causou a morte de 270 pessoas em 2019

Líder indígena encontrado morto era de aldeia que ocupa terreno da Vale
Lider indígena morto - Celia Xakriabá - X.
Publicidade

O cacique Merong Kamakã Mongoió, assassinado na manhã desta segunda-feira (04), em Brumadinho, Minas Gerais, liderava indígenas que há mais de dois anos vivem em um terreno da mineradora Vale.

+ Líder indígena é assassinado em Brumadinho (MG)

A propriedade da mineradora está localizada em uma área conhecida como Vale do Córrego de Areias e fica a aproximadamente 20 km da Mina Córrego do Feijão, onde ocorreu a ruptura da barragem que causou 270 mortes em 2019. Entre os atingidos pelo episódio, está outra aldeia do povo pataxó-hã-hã-hãe. Situada às margens do Rio Paraopeba, ela se dividiu após a tragédia e muitas famílias acabaram deixando o local.

Quem foi Merong Kamakã Mongoió?

Merong era líder do povo pataxó hã-hã-hãe e articulador do movimento indígena, Sua liderança não se limitava ao seu próprio povo, estendendo-se à defesa dos Kaingang, Xokleng e Guarani, como esclareceu a Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) em nota oficial.

Nascido em Contagem (MG) e radicado na Bahia desde a infância, Merong também desempenhou um papel significativo no Rio Grande do Sul, participando ativamente da Ocupação Lanceiros Negros. Esta iniciativa contribuiu para as retomadas Xokleng Konglui, em São Francisco de Paula (RS), e Guarani Mbya em Maquiné.

"A Funai lamenta profundamente a perda e se solidariza com familiares e amigos neste momento de tristeza", declarou a autarquia.

Defesa do território e contexto de violência

Os pataxó hã-hã-hãe possuem comunidades na Reserva Indígena Caramuru-Paraguassu, nos municípios de Itajú do Colônia, Camacã e Pau-Brasil, e também na Terra Indígena Fazenda Baiana, no município de Camamu. Ambas localizadas no sul e no baixo-sul da Bahia, essas áreas têm sido palco de constantes conflitos, invasões e violência contra os indígenas.

Em dezembro do ano passado, Lucas Kariri-Sapuyá, também cacique, foi executado enquanto retornava à sua comunidade, com seu filho na garupa da motocicleta. A Reserva Indígena Caramuru-Paraguassu é frequentemente alvo de invasões por fazendeiros e posseiros.

+ Lewandowski nomeia Sarrubbo como Secretário Nacional de Segurança Pública

A estrada onde Merong foi emboscado é conhecida por ser o local onde, em 1988, o líder pataxó João Cravim foi executado. Da mesma forma, em janeiro deste ano, a líder pataxó hã-hã-hãe Maria de Fátima Muniz de Andrade, conhecida como Nega Pataxó, foi assassinada durante um ataque de fazendeiros, pertencentes ao grupo Invasão Zero, na retomada do território Caramuru, em Potiraguá, sul da Bahia. O ataque resultou em feridos entre os indígenas.

Apesar do cenário de violência recorrente, a Secretaria de Segurança de Minas Gerais não forneceu informações sobre o caso até o momento.

* Com informações da Agência Brasil

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Brasil
Indígenas
Vale

Últimas notícias

Número de brasileiros com fome cai para 8,4 milhões, diz ONU

Número de brasileiros com fome cai para 8,4 milhões, diz ONU

Apesar da melhora, Brasil continua no Mapa da Fome, com 39,7 milhões em situação de insegurança alimentar moderada ou grave entre 2021 e 23
Wegovy chega às farmácias brasileiras: saiba preços e as diferenças para o Ozempic

Wegovy chega às farmácias brasileiras: saiba preços e as diferenças para o Ozempic

Considerada uma das "canetas" mais potentes contra a obesidade, inicialmente vai ser distribuída nas "grandes cidades", informa a farmacêutica
Apoio de nomes da cultura pop a Kamala Harris pode impactar disputa com Trump? Veja análise

Apoio de nomes da cultura pop a Kamala Harris pode impactar disputa com Trump? Veja análise

Divas como Charli XCX e música de Beyoncé mobilizam campanha da vice-presidente nas redes sociais; artistas de cinema também endossam ex-senadora
Governo abre licitação para reforçar segurança externa da Penitenciária Federal de Mossoró (RN)

Governo abre licitação para reforçar segurança externa da Penitenciária Federal de Mossoró (RN)

Em fevereiro, local foi palco da primeira fuga de um presídio do Sistema Penitenciário Federal brasileiro da história
Ladrão invade casa enquanto família dormia e se arrepende depois

Ladrão invade casa enquanto família dormia e se arrepende depois

Câmera de segurança filmou assaltante dentro do quarto do casal
TSE diz que Boletim de Urna nas eleições brasileiras é "um relatório totalmente auditável”

TSE diz que Boletim de Urna nas eleições brasileiras é "um relatório totalmente auditável”

Manifestação veio após Maduro contestar, sem provas, fiscalização e segurança do pleito nacional
Justiça do Rio torna rés acusadas de matar empresário com brigadeirão

Justiça do Rio torna rés acusadas de matar empresário com brigadeirão

Suspeitas teriam cometido crime para ficar com bens da vítima
SP: Ladrão agride mulher com socos e chutes para roubar celular

SP: Ladrão agride mulher com socos e chutes para roubar celular

Idoso tenta interferir na agressão e ajudar a vítima
Justiça do Rio decide soltar filha do bicheiro Piruinha

Justiça do Rio decide soltar filha do bicheiro Piruinha

Monalliza Escafura estava presa desde o dia 18 de junho pelo crime de extorsão
Superior Tribunal de Justiça determina absolvição de jovem apontado como criminoso por reconhecimento fotográfico

Superior Tribunal de Justiça determina absolvição de jovem apontado como criminoso por reconhecimento fotográfico

Desembargador argumentou que recurso não deve ser o único indício para levar alguém à prisão "em razão de sua fragilidade”
Publicidade
Publicidade