Publicidade

Gilmar Mendes contraria Justiça do Trabalho e desconta recreio da jornada de professores

Ministro do STF atende pedido de donos de escolas e faculdades. Tribunal Superior do Trabalho tinha decidido incluir intervalo como período trabalhado

Gilmar Mendes contraria Justiça do Trabalho e desconta recreio da jornada de professores
Gilmar Mendes fala ao microfone (Fellipe Sampaio/SCO/STF)
Publicidade

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes suspendeu a tramitação de todas as ações trabalhistas nas quais professores buscam o reconhecimento do intervalo do “recreio” dos alunos como período trabalhado. A decisão atende a pedido de donos de faculdades insatisfeitos com reiteradas decisões da Justiça do Trabalho em favor dos professores.

Uma enxurrada de ações referentes ao tema explicitou o firme posicionamento da Justiça do Trabalho no sentido de incluir os 15 minutos de intervalo na jornada dos professores. Esse entendimento está, na prática, consolidado na mais alta instância trabalhista, o Tribunal Superior do Trabalho (TST). Um dos fundamentos é o fato de o intervalo ser muito curto, impedindo a saída do professor da escola e o desfrute de atividades que não dizem respeito à docência.

+ "Perco um amigo", diz Gilmar Mendes sobre médico que morreu em acidente no AM

Contrária a esse posicionamento, a Associação Brasileira das Mantenedoras de Faculdades (Abrafi) levou o caso ao STF por meio da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 1.058. A entidade pediu tutela de urgência (liminar) para suspender todas as ações trabalhistas sobre o tema. No mérito, solicitou a declaração de inconstitucionalidade do entendimento firmado nas reiteradas decisões do TST.

Ao conceder a liminar, Gilmar Mendes classificou o entendimento do TST como uma “presunção absoluta” (que não admite prova em contrário) sem previsão legal e em ofensa à autonomia da vontade coletiva de professores e instituições de ensino. Para o ministro, a tese firmada pelo TST viola os princípios da legalidade, da livre iniciativa e da intervenção mínima na autonomia da vontade coletiva.

+ Gilmar Mendes nega novo pedido de liberdade de Silvinei Vasques

Gilmar Mendes acrescentou que a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) já traz as hipóteses expressas em que os intervalos de descanso integrarão necessariamente a jornada de trabalho. Segundo o ministro, é o caso de serviços permanentes de mecanografia, em câmaras frias e nas minas de subsolo, não incluindo os professores. Ainda de acordo com Gilmar, as decisões da Justiça do Trabalho podem afetar a saúde econômica e financeira e provocar profundas alterações na rotina de trabalho das instituições de ensino.

A Advocacia-Geral da União (AGU) e a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifestaram nos autos. Ambas se posicionaram pela rejeição da ADPF e pela improcedência do pedido. A liminar concedida por Gilmar Mendes, contrariando a AGU e a PGR, será submetida a referendo do Plenário do STF, que pode concordar ou derrubar a decisão. Até lá, ficam suspensos os efeitos de decisões que tenham aplicado a tese do TST.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

STF
Escola
Educação
faculdade
Ministro
Justiça
trabalho

Últimas notícias

Dior e Armani são investigadas por explorar trabalhadores em fábricas na Itália

Dior e Armani são investigadas por explorar trabalhadores em fábricas na Itália

Marcas negaram irregularidades, mas disseram que colaborarão com as apurações
MEC divulga edital do Prouni referente ao segundo semestre de 2024; veja cronograma

MEC divulga edital do Prouni referente ao segundo semestre de 2024; veja cronograma

Programa ofertará mais de 243 mil bolsas em universidade privadas do país
EUA: vice de Trump aceita formalmente nomeação para chapa do Partido Republicano

EUA: vice de Trump aceita formalmente nomeação para chapa do Partido Republicano

Em discurso, JD Vance expressou gratidão ao ex-presidente pela indicação e fez críticas à administração Biden
SBT News na TV: Ramagem presta depoimento à PF sobre "Abin paralela"

SBT News na TV: Ramagem presta depoimento à PF sobre "Abin paralela"

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta quinta-feira (18); assista!
Caixa inicia pagamentos do Bolsa Família de julho; veja quem recebe

Caixa inicia pagamentos do Bolsa Família de julho; veja quem recebe

Recurso pode ser sacado em agências bancárias ou movimentado virtualmente
Passageiro de carro envolvido em acidente em SP comprou três garrafas de bebida em bar

Passageiro de carro envolvido em acidente em SP comprou três garrafas de bebida em bar

Comanda do bar mostra que Felipe Gambeta Malheiro, que inicialmente se apresentou como condutor do veículo, comprou duas garrafas de vodka e uma de licor
Vídeo: Idoso de 84 anos é agredido por homem na zona sul de São Paulo

Vídeo: Idoso de 84 anos é agredido por homem na zona sul de São Paulo

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento da discussão e das agressões
Ramagem deixa a Polícia Federal após seis horas de depoimento sobre "Abin paralela"

Ramagem deixa a Polícia Federal após seis horas de depoimento sobre "Abin paralela"

Ex-diretor da Abin é apontado com um dos supostos chefes do núcleo político montado na agência para espionar ilegalmente desafetos do governo Bolsonaro
Procurador de Minas Gerais pede desculpas em vídeo por agressão a funcionária em cinema

Procurador de Minas Gerais pede desculpas em vídeo por agressão a funcionária em cinema

A gravação é parte de um acordo extrajudicial firmado entre o agressor e a vítima, de 25 anos
Lula se reúne com INSS e PF para tratar de ‘pente-fino’ nos benefícios sociais

Lula se reúne com INSS e PF para tratar de ‘pente-fino’ nos benefícios sociais

Encontro será realizado nesta quinta-feira (18), às 9h30, e terá ainda a presença de seis ministros
Publicidade
Publicidade