Publicidade

Albinismo nem sempre afeta a cor da pele; entenda o que é condição rara

Exposição ao sol pode causar queimaduras no corpo e, em alguns casos, apenas a região dos olhos é atingida

Albinismo nem sempre afeta a cor da pele; entenda o que é condição rara
Albinismo afeta 21 mil pessoas no Brasil | Freepik
Publicidade

Hoje, 13 de junho, é o Dia Internacional de Conscientização do Albinismo. Ao contrário do que muitos pensam, a condição genética, considerada rara, não altera só a cor da pele — em alguns casos, inclusive, ela não é afetada. O albinismo reduz ou elimina a produção de melanina, o pigmento natural do corpo que, além de ser responsável pela coloração da pele, também colore os olhos e o cabelo. Ele pode ser total (oculocutâneo), parcial ou ocular.

Em casos de albinismo ocular, por exemplo, apenas os olhos são atingidos. Elas costumam vir acompanhadas de nistagmo, que é o movimento involuntário dos olhos, quando eles "tremem". Sobre o tema, o influenciador e modelo Mateus Diaz, disse que apesar dos olhos tremerem, a visão não fica tremida. Ele é negro, tem albinismo e publica vídeos descontraídos sobre o tema em suas redes sociais.

A qualidade da visão dos albinos, tanto os oculares, quanto os que são totais, também é afetada, com astigmatismo (quando a pessoa tem a visão borrada e enxerga as imagens com distorções), fotofobia (sensibilidade à luz) e estrabismo (olhos que não ficam e não olham na mesma posição), segundo o Ministério da Saúde.

"Em alguns casos, o albinismo é apenas ocular. Por isso, eles precisam usar lentes corretivas (óculos) desde cedo. A gente sabe que o acesso é difícil, sobretudo para população mais pobre. E isso pode gerar desinteresse na escola, por exemplo", explica Ana Lísia Giudice, médica dermatologista da SBD

No caso dos albinos oculocutâneos, a carência da substância é percebida em todo o corpo do indivíduo. Nesses casos, até mesmo pessoas negras, como Mateus, têm alteração na cor da pele, pela ausência de pigmentação.

Em casos de albinismo parcial, por exemplo, as pessoas só possuem falta de melanina em algumas partes do corpo. Principalmente as extremidades superiores são afetadas, como cabelos e olhos.

“A escassez ou ausência da melanina pode afetar a pele, deixando-a em diferentes tons, do branco ao marrom. Os cabelos também variam de muito brancos até o castanho, loiro ou ruivo. Já nos olhos as cores podem variar do azul muito claro ao castanho e, assim como a cor da pele e do cabelo, podem mudar conforme a idade." explica Carolina Marçon, médica dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Ainda segundo a SBD, o diagnóstico acontece através da história clínica do paciente, avaliação dermatológica e exame da retina.

Albinismo se desenvolve ou a pessoa nasce assim?

O albinismo é congênito. Ou seja, é uma característica genética presente no indivíduo desde seu nascimento. Não tem cura e a única forma de tratamento envolve uma proteção rígida contra o sol e pessoas de todas as idades precisam se prevenir, já que a falta de melanina no corpo facilita a entrada de raios ultravioletas nocivos.

Mateus publicou um vídeo em seu Instagram mostrando pessoas albinas na Angola que tiveram queimaduras na pele após serem expostas aos raios solares.

No Brasil, o projeto “Albinismo em um país tropical: um olhar além da cor da pele”, liderado pela médica dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia Ana Lisía Giudice, tem como objetivo conhecer o perfil epidemiológico, social e econômico dos indivíduos albinos que vivem no Nordeste do Brasil e também identificar pacientes com lesões na pele para abordagem, seja ela cirúrgica ou tópica (uso de pomadas).

Albinismo precisa ser debatido na esfera pública

A psicóloga Natalie Schonwald aponta que a desinformação sobre a condição prejudica a vida das crianças albinas e pode levá-las à exclusão social.

“Este é um assunto que precisa ser muito discutido, não apenas anualmente, mas rotineiramente e em todo tipo de ambiente. A mídia televisiva, com todo seu alcance, aborda o tema em novelas, em que profissionais e pessoas com essa condição levam para a ficção as dificuldades encontradas na vida real, aumentando a propagação da informação. Esta é uma das formas de mostrar como os obstáculos podem ser superados. Assim, crianças e adultos albinos se sentirão melhor onde estiverem”, afirmou psicóloga Natalie Schonwald, à Agência Brasil

No Brasil, cerca de 21 mil pessoas são albinas, segundo a Secretaria de Atenção Primária à Saúde (Saps).

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Brasil

Últimas notícias

Biden volta a se pronunciar sobre atentado contra Trump: "política não deve ser campo de matança"

Biden volta a se pronunciar sobre atentado contra Trump: "política não deve ser campo de matança"

Presidente dos EUA defendeu democracia como arena para debates pacíficos
Pagamentos do Bolsa Família começam nesta semana; veja datas

Pagamentos do Bolsa Família começam nesta semana; veja datas

Benefício é destinado a famílias com renda per capita de até R$ 218
SBT News na TV: Nego Di é preso por golpe de R$ 5 milhões em rifa virtual

SBT News na TV: Nego Di é preso por golpe de R$ 5 milhões em rifa virtual

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta segunda-feira (15); assista!
Vídeo: Nego Di chega algemado ao Palácio da Polícia em Porto Alegre após ser preso por estelionato

Vídeo: Nego Di chega algemado ao Palácio da Polícia em Porto Alegre após ser preso por estelionato

Ele é suspeito de aplicar um golpe de rifa virtual que causou prejuízo de R$ 5 milhões a clientes
Após identificar atirador, FBI busca informações sobre a motivação do atentado contra Trump

Após identificar atirador, FBI busca informações sobre a motivação do atentado contra Trump

O diretor da polícia dos Estados Unidos declarou que as autoridades “não deixarão pedra sobre pedra” na investigação sobre a tentativa de assassinato
Jornalismo ambiental e de dados e pautas sociais foram destaques no Congresso da Abraji

Jornalismo ambiental e de dados e pautas sociais foram destaques no Congresso da Abraji

19º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo terminou neste domingo (14), em São Paulo
Vítima de atentado contra Trump morreu tentando proteger sua família

Vítima de atentado contra Trump morreu tentando proteger sua família

Corey Comperatore, de 50 anos, era bombeiro e tinha duas filhas. Ele morreu pelos disparos de Thomas Crooks. Outros dois homens foram feridos gravemente
Lula lamenta morte do pai do ex-governador do Rio Sergio Cabral

Lula lamenta morte do pai do ex-governador do Rio Sergio Cabral

Em nota de pesar, o presidente da República ressaltou, entre outros atributos, a “irreverência” na carreira do jornalista, que faleceu aos 87 anos
Atentado a Trump eleva valor do bitcoin, que supera o patamar de US$ 60 mil

Atentado a Trump eleva valor do bitcoin, que supera o patamar de US$ 60 mil

Segundo analistas, chance de retorno do ex-presidente ao poder aumentou, e ele é a favor da desregulamentação do mercado financeiro
Responsável por atentado contra Trump agiu sozinho, afirma FBI

Responsável por atentado contra Trump agiu sozinho, afirma FBI

Thomas Matthew Crooks, de 20 anos, foi o atirador que tentou assassinar Donald Trump
Publicidade
Publicidade