Publicidade

MP das apostas: tributação excessiva pode inviabilizar mercado competitivo, diz representante das bets

Presidente do Instituto Brasileiro de Jogo Responsável (IBJR), André Gelfi afirma que "pouquíssimos operadores" terão condições arcar com as taxas

MP das apostas: tributação excessiva pode inviabilizar mercado competitivo, diz representante das bets
apostas
Publicidade

Os valores de tributos e taxas fixados na Medida Provisória (MP) apresentada pelo governo federal para regulamentar as apostas esportivas no Brasil podem "inviabilizar o mercado competitivo", de acordo com o presidente do Instituto Brasileiro de Jogo Responsável (IBJR), André Gelfi.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Em entrevista ao SBT News, Gelfi destacou que "pouquíssimos operadores" terão condições arcar com as taxas (de licenciamento e de fiscalização) e com o recolhimento de 18% sobre o chamado "Gross Gaming Revenue" (GGR), que é a receita obtida com todos os jogos após o pagamento dos prêmios aos jogadores e imposto de renda (IR) sobre a premiação.

"Teríamos um mercado concentrado, a partir do momento em que os tributos são muito altos. E isso prejudica a concorrência, prejudica um mercado saudável", disse. 

A previsão é de que a taxa de licenciamento, paga no momento da abertura da empresa, seja de R$ 30 milhões. Já o valor recolhido a título de fiscalização será, de acordo com as contas preliminares, pode chegar a R$ 2 milhões por mês. 

A expectativa, segundo o governo, é de uma arrecadação de até R$ 2 bilhões em 2024, valor que pode alcançar até R$ 12 bilhões nos demais anos. De acordo com Gelfi 

Para Gelfi, diante dos números, operadores de apostas podem optar pela informalidade. "Uma consequência dos impostos elevados é a informalidade. Se a questão é proteger a sociedade, arrecadar para sociedade e programas que combatam a compulsão, nada melhor que um mercado regulamentado, formalizado e competitivo", argumentou. 

No Congresso 

Publicada no dia 25 de julho, a MP das Apostas recebeu 244 emendas no Congresso Nacional. A maior parte das propostas dos parlamentares busca garantir a destinação de parte dos recursos arrecadados com o setor para áreas específicas. 

Pela lei atual, já com as modificações da MP, os recursos que ficam após o pagamento dos prêmios e do Imposto de Renda sobre a premiação são divididos da seguinte maneira: 82% para as empresas de apostas; 10% para a contribuição destinada à seguridade social; 3% para o Ministério do Esporte; 2,55% para o Fundo Nacional de Segurança Pública; 1,63% para clubes e atletas que tiverem nomes e símbolos ligados às apostas; e, por fim, 0,82% à educação básica.

Há também emenda que  busca regularizar o jogo do bicho, sistema popular de apostas que atualmente é considerado contravenção penal. 

Para Gelfi, o número de propostas parlamentares para a MP é um sinal da importância da discussão. "O engajamento do assunto ser alto é positivo. É um tema que, de fato, interessa a sociedade brasileira", disse. O representante das bets, no entanto, destaca que a maior crítica do setor ao texto do governo é a taxação. 

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbt news
mp das apostas
medida provisória
bets
futebol
noticias
gabriella furquim

Últimas notícias

Miss Buenos Aires de 60 anos fica sem coroa na etapa nacional

Miss Buenos Aires de 60 anos fica sem coroa na etapa nacional

Modelo viralizou nas redes sociais ao vencer o Miss Universo em abril; prêmio foi para a Magalí Benejam, da província de Córdoba
SBT lança "live da transparência" em tenda de doações

SBT lança "live da transparência" em tenda de doações

Iniciativa transmitirá a movimentação ao vivo na tenda de doações e conferência dos itens no galpão da Jequiti
Histórias Inspiradoras de Adoção: amor e acolhimento transformam vidas

Histórias Inspiradoras de Adoção: amor e acolhimento transformam vidas

No Dia Nacional da Adoção, conheça relatos emocionantes de crianças e adolescentes que encontraram lares repletos de carinho e dedicação
Cachorros resgatados das enchentes do RS são colocados para adoção em feira de Florianópolis

Cachorros resgatados das enchentes do RS são colocados para adoção em feira de Florianópolis

Feira contou com cerca de 40 animais que precisam de um novo lar
Sala Lilás: entenda a função desse espaço de atendimento a mulheres que são vítimas de violência

Sala Lilás: entenda a função desse espaço de atendimento a mulheres que são vítimas de violência

Desde final de abril, Unidades Básicas de Saúde são obrigadas a ter salas. Humanização do atendimento é apontada por especialistas e vítimas como fundamental
Fiéis lotam a Praça da Apoteose durante a Marcha para Jesus, no Rio de Janeiro

Fiéis lotam a Praça da Apoteose durante a Marcha para Jesus, no Rio de Janeiro

Estimativa é de que cerca de 40 mil pessoas participaram da 17ª edição do evento
Desastres naturais forçaram 26 milhões de deslocamentos internos em 2023, diz relatório

Desastres naturais forçaram 26 milhões de deslocamentos internos em 2023, diz relatório

Refúgio climático, que também acontece no Brasil, alerta para a necessidade de uma política nacional de amparo às vítimas de impactos ambientais
Cidades do Vale do Taquari seguem arrasadas pelas inundações no RS

Cidades do Vale do Taquari seguem arrasadas pelas inundações no RS

Moradores contabilizam o caos causado pelas enchentes; Exército vai refazer travessias levadas pelas cheias
Pescadores de Pelotas lamentam perdas pelas chuvas: “Imensidão horrível de água”

Pescadores de Pelotas lamentam perdas pelas chuvas: “Imensidão horrível de água”

Região do Rio Grande do Sul lida com dificuldades por aumento do nível das águas. Em outros locais, população enfrenta situação de frio
Israel ignora decisão da Corte Internacional de Justiça e bombardeia sul de Gaza

Israel ignora decisão da Corte Internacional de Justiça e bombardeia sul de Gaza

Órgão máximo da ONU para deliberar sobre disputas entre Estados havia determinado fim de ataques a Rafah
Publicidade
Publicidade