Publicidade

Golpistas podem pegar até 30 anos de prisão. Entenda

Especialista ouvido pelo SBT News apontou possíveis crimes, como atos terroristas e tentativa de golpe de Estado

Golpistas podem pegar até 30 anos de prisão. Entenda
vandalismo e destruição deixada por manifestantes golpistas
Publicidade

Diante dos atos de vandalismo praticados por manifestantes golpistas no Congresso Nacional, no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Palácio do Planalto, neste domingo (8.jan), em Brasília, o ministro Alexandre de Moraes determinou a identificação dos envolvidos. Ele também determinou a desocupação dos acampamentos nas imediações dos quartéis generais e prisões dos participantes. 

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Segundo o ministro, todos serão responsabilizados civil, política e criminalmente pelos atos atentatórios à democracia, ao Estado de Direito e às instituições. Eles podem responder por atos terroristas, associação criminosa, abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, ameaça, perseguição e incitação ao crime, além de dano ao patrimônio público.

O SBT News conversou com o advogado criminalista João Ibaixe Júnior sobre os possíveis crimes cometidos na invasão e quais penas os envolvidos podem pegar. 

Para o especialista, é possível caracterizar a invasão como crime de golpe de Estado, definido como a tentativa de "tentar depor, por meio de violência ou grave ameaça, o governo legitimamente constituído", com pena de 12 anos. Na avaliação dele, a motivação do grupo era provocar uma ruptura ao Estado Democrático de Direito e incitar um golpe com apoio militar.

Ainda segundo Ibaixe, também ficaram claros os indícios de atos terroristas, da Lei n° 13.260/2016, art. 1°, inc. IV, com pena de 12 a 30 anos.

"O ministro cita o crime de terrorismo, que é uma lei recente, de 2016, na qual podemos encontrar o crime apontado no art. 1º, que fala 'de apoderar-se com violência ou grave ameaça do controle total ou parcial, ainda que de modo temporário, de instalações públicas'", explica o advogado. 

Os danos extensivos registrados também caracterizam dano ao patrimônio público, Código Penal, art. 163, com detenção de até três anos. Segundo Ibaixe, nesse caso, ocorre o agravante de ser tratar de patrimônio da União.

+ MPF cria canal para receber informações sobre vândalos

"O dano ao patrimônio público é um crime que existe há muitos anos, previsto no parágrafo único do art. 163, inciso III, que ocorre quando é realizado contra o patrimônio da União, entre outros entes. Como eles invadiram imóveis que pertencem à União e destruíram vários objetos, a gente tem com clareza esse crime."

+ Invasores do Palácio do Planalto danificaram obra estimada em R$ 8 milhões

O especialista é cauteloso ao comentar sobre o crime de associação criminosa, que prevê pena de um a três anos. Segundo o ex-delegado, será necessário provar que o grupo se constituiu exclusivamente para praticar os atos registrados no domingo (8.jan).

As agressões a nove profissionais de imprensa e um policial militar também podem acrescentar mais um crime à lista: lesão corporal

Presos desde à noite de domingo (8.jan), os invasores devem passar, a partir desta 2ª feira (9.jan), por audiência de custódia no Núcleo de Audiência de Custódia, unidade subordinada à da Justiça do DF (TJDFT).

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

sbtnews
portalnews
governo
ataque
crime
atos golpistas
brasil
penas
brasília
stf
alexandre de moraes

Últimas notícias

Fila de espera no INSS para concessão de benefícios cai em 2024, diz relatório da Previdência Social

Fila de espera no INSS para concessão de benefícios cai em 2024, diz relatório da Previdência Social

Ao todo, os processos a espera de resposta inicial somam quase 1 milhão e 400, diminuição de 600 mil em relação a 2023
Mega-Sena acumula e chega a R$ 53 milhões; veja os números sorteados

Mega-Sena acumula e chega a R$ 53 milhões; veja os números sorteados

Quina teve 67 apostas ganhadoras, que vão receber mais de R$ 52 mil cada
Vídeo: homem morre e bebê é baleado em tiroteio em praça de Fortaleza

Vídeo: homem morre e bebê é baleado em tiroteio em praça de Fortaleza

Imagens mostram correria no local; estado de saúde da criança é grave
Produção de cinema na Argentina está praticamente paralisada

Produção de cinema na Argentina está praticamente paralisada

Trabalhadores da área acusam Javier Milei de ter um plano para prejudicar o setor
Divertida Mente 2: saiba tudo sobre o filme que chega aos cinemas na quinta-feira (20)

Divertida Mente 2: saiba tudo sobre o filme que chega aos cinemas na quinta-feira (20)

SBT Brasil visitou os estúdios da Pixar, em Los Angeles, para mostrar como a continuação foi produzida
Verão fora de época preocupa lojistas que contam com a venda de roupas de frio

Verão fora de época preocupa lojistas que contam com a venda de roupas de frio

Último inverno rigoroso que garantiu boas vendas foi em 2022. No ano passado, houve queda de 20%
Pré-candidata a vereadora e filho são mortos a tiros no RJ

Pré-candidata a vereadora e filho são mortos a tiros no RJ

Juliana Silva, conhecida como Nega Juh, foi morta em Nova Iguaçu, na noite deste sábado (15)
Número de acidentes em estradas federais tem aumentado

Número de acidentes em estradas federais tem aumentado

Só no ano passado, foram mais de 65 mil casos, três mil a mais do que em 2022
Novos temporais ameaçam a região metropolitana de Porto Alegre

Novos temporais ameaçam a região metropolitana de Porto Alegre

Marinha montou base de operações na região das ilhas de Porto Alegre para auxiliar rapidamente a população
Caso Marielle: defesas pedem ao STF rejeição de denúncia e atacam falta de provas e delação inválida

Caso Marielle: defesas pedem ao STF rejeição de denúncia e atacam falta de provas e delação inválida

Ministros da 1ª Turma decidem na terça (18) se irmãos Brazão, delegado do Rio e dois ligados à milícia do Rio sentam no banco dos réus como mandantes do crime
Publicidade
Publicidade