Publicidade

União Brasil, MDB, PSDB, PSB e Novo condenam tentativa de golpe

Segundo Luciano Bivar, "o Estado Democrático de Direito sofreu um gravíssimo e inadmissível ataque"

União Brasil, MDB, PSDB, PSB e Novo condenam tentativa de golpe
Bolsonaristas sobre o telhado do Congresso (Reprodução)
Publicidade

Vários partidos se manifestaram, neste domingo (8.jan), contra a tentativa de golpe de Estado que foi praticada por bolsonaristas em Brasília. O União Brasil, o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), a federação entre o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) e Cidadania, o Partido Socialista Brasileiro (PSB) e o Novo publicaram mensagens nas redes sociais sobre a invasão dos prédios dos Três Poderes.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

"O Estado Democrático de Direito sofreu um gravíssimo e inadmissível ataque neste domingo. A invasão de golpistas ao Congresso Nacional, ao Supremo Tribunal Federal e ao Palácio do Planalto provam que a irresponsabilidade e a conspiração contra a democracia não podem ser toleradas. O União Brasil condena esta ação terrorista e cobrará das autoridades competentes a punição de todos os criminosos envolvidos. A democracia é soberana e inegociável, e isso jamais deve retroceder no Brasil", afirmou o presidente do união Brasil e primeiro-secretário da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, Luciano Bivar (PE).

Já a Executiva Nacional do MDB pontuou: "Basta! Nada justifica o vandalismo contra prédios dos Poderes da República em Brasília. A turba irracional abandonou os xingamentos das redes sociais para violentar a Nação Brasileira. O que assistimos hoje foi um ataque a cada cidadão e cidadã que foi às urnas escolher deputados, senadores, governadores e presidente da República em outubro passado". O PSDB disse que as instituições invadidas representam a democracia brasileira, e "os infratores devem ser punidos com o rigor da lei: a prisão imediata para que nunca se repita". Além disso, segundo o presidente da federação PSDB-Cidadania, Bruno Araújo, "as cenas que o Brasil presenciou hoje são inaceitáveis".

"Provam que existe uma minoria criminosa, violenta e autoritária que precisa ser contida com todos os meios legais, não só dos que participaram diretamente, mas também dos que financiaram ou apoiaram de alguma maneira esses atos de vandalismo. É o mínimo que precisa ser feito", complementou. O líder da bancada do PSDB na Câmara, Adolfo Viana (BA), também criticou o ataque contra as instituições: "A invasão e a destruição de prédios que representam a democracia brasileira são inadmissíveis. Não irão alterar o resultado do processo eleitoral e tampouco contribuir para a pacificação tão necessária para o Brasil seguir em frente. Os responsáveis por esses atos criminosos precisam ser identificados e punidos".

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, afirmou que "Brasília vive o seu Capitólio com a invasão do Congresso, STF e Palácio do Planalto por baderneiros que cometem crime contra o patrimônio e a democracia". "Os vândalos não aceitam o resultado da eleição democrática e defendem atos golpistas. Devem sofrer punição da lei, com rigor". A mensagem de Siqueira foi compartilhada pela conta oficial do PSB no Twitter também.

O partido Novo, por sua vez, disse condenar "veementemente os atos de vandalismo em Brasília". "Quando protesto deve ser pacífico e democrático. E existem caminhos institucionais para transformar a política e a sociedade, sem apelar ao caos e à barbárie", acrescentou.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
brasil
política
congresso
partidos
psdb
mdb
união brasil
novo
psb
cidadania
invasão
tentativa de golpe
bolsonaristas
condenação
guilherme-resck
justica
governo
palácio do planalto

Últimas notícias

Forças de Defesa de Israel interceptam míssil lançado do Iêmen

Forças de Defesa de Israel interceptam míssil lançado do Iêmen

Caças israelenses atacarem alvos houthis na área do porto de Hodeida, no Iêmen, no sábado (20)
Novo oficializa candidatura de Marina Helena à prefeitura de São Paulo

Novo oficializa candidatura de Marina Helena à prefeitura de São Paulo

Convenção do partido aconteceu no centro da capital paulista neste domingo
Melody recebe alta e faz show depois de acidente de trânsito no Rio

Melody recebe alta e faz show depois de acidente de trânsito no Rio

"Está todo mundo bem", disse a cantora nas redes sociais; acidente aconteceu no sábado (20)
Ministério da Agricultura descarta três casos suspeitos de doença de Newcastle no RS

Ministério da Agricultura descarta três casos suspeitos de doença de Newcastle no RS

Amostras foram analisadas no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de São Paulo
Homem-aranha é agredido e joga passageiro no trilho do metrô de Belo Horizonte

Homem-aranha é agredido e joga passageiro no trilho do metrô de Belo Horizonte

Super-herói relatou à polícia que agressor achou que ele o havia ofendido: "se você é o Homem-Aranha, eu sou o Batman"
Ator Iran Lima, o seu Candinho da Escolinha do Professor Raimundo, morre no Rio

Ator Iran Lima, o seu Candinho da Escolinha do Professor Raimundo, morre no Rio

Corpo do ator será cremado na segunda-feira (22), no Cemitério Vertical Memorial do Carmo, no Caju
Imagens mostram acidente de Thommy Schiavo, ator de Pantanal, em sacada de Cuiabá

Imagens mostram acidente de Thommy Schiavo, ator de Pantanal, em sacada de Cuiabá

Circuito de segurança foi obtido com exclusividade pela equipe de reportagem do MT Play, portal de notícias SBT Cuiabá
Polícia Federal apreende 77 kg de droga em embarcação comercial de passageiros no AM

Polícia Federal apreende 77 kg de droga em embarcação comercial de passageiros no AM

Entorpecente estava com uma mulher, que foi presa em flagrante e está à disposição da Justiça
Policial é baleado de raspão na cabeça após reagir a assalto no Rio

Policial é baleado de raspão na cabeça após reagir a assalto no Rio

Uma guarda municipal, de 53 anos, ficou ferida, mas já recebeu alta do Hospital Municipal Souza Aguiar
Serviço Secreto dos EUA diz que negou pedidos de Trump para mais segurança

Serviço Secreto dos EUA diz que negou pedidos de Trump para mais segurança

Segundo porta-voz, os pedidos negados não eram especificamente para o comício em que o político sofreu uma tentativa de assassinato no dia 13 de julho
Publicidade
Publicidade