Publicidade

ONU: China pode ter cometido crimes contra a humanidade em Xinjiang

Michele Bachellet se despede da ACNUDH com relatório histórico sobre abusos sistemáticos de Pequim contra membros da etnia uigur

ONU: China pode ter cometido crimes contra a humanidade em Xinjiang
Muçulmanos da etnia uigur
Publicidade

Um relatório divulgado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), na noite de 4ª feira (1ºset), acusa a China de cometer "graves violações dos direitos humanos" na provincia chinesa de Xinjiang, onde, segundo grupos de Direitos Humanos, Estados Unidos, e alguns países ocidentais, ocorre o genocídio de grupos minoritários majoritariamente muçulmanos, sobretudo da etnia uigur, sob o disfarçe de uma campanha antiterrorismo de Pequim. 

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Eles acusam a China de prender mais de um milhão de uigures, cazaques e membros de outros grupos minoritários em campos de reeducação; trabalho forçado; obrigar mulheres da região a se submeterem a medidas contraceptivas; e separação de famílias. O país asiático sempre negou as acusações, sustentando que as políticas foram destinadas a desradicalizar pessoas influenciadas pelas propaganda jihadista na região, que passou a ser alvo da campanha contra extremismo depois de uma série de ataques em 2014.

Apesar de não confirmar acusação de "genocídio", o relatório há muito esperado da ACNUDH conclui que a China cometeu graves violações de direitos humanos sob suas políticas antiterrorismo e antiextremismo,  o que pode "constituir crimes internacionais, em particular crimes contra a Humanidade.". Também insta o governo chinês a  "cessar imediatamente qualquer prática de discriminação contra a população uigur e quaisquer outros grupos étnicos minoritários, incluindo internação ou prisão por motivos étnicos e religiosos para fins de desradicalização".

Desde 2019, muitos dos campos, chamados de centros de treinamento e educação vocacional por Pequim, foram desativados, mas centenas de milhares de pessoas continuam detidas, muitas sob acusações vagas e secretas. O relatório pediu à China que liberte todos os indivíduos detidos arbitrariamente e esclareça o paradeiro daqueles que desapareceram e cujas famílias estão buscando informações sobre eles.

"O relatório é bastante contundente e uma forte acusação aos crimes da China contra a humanidade", disse Rayhan Asat, advogado uigure cujo irmão está preso em Xinjiang, à Associated Press. "Durante anos, o governo chinês disse que os uigures são terroristas. Agora, podemos apontar para eles e dizer: vocês são os terroristas".

Grupos de direitos humanos, Japão e Alemanha também repercutiram rapidamente o relatório, que se envolveu em um cabo de guerra entre a China e as principais nações ocidentais, bem como grupos de direitos humanos que criticaram os repetidos atrasos na divulgação do documento.

A China reagiu a publicação do relatório, alegando que a "avaliação é uma colcha de retalhos de informações falsas que servem como ferramentas políticas para os EUA e outros países ocidentais usarem estrategicamente Xinjiang para conter a China". "Isso mostra novamente que o Escritório de Direitos Humanos da ONU foi reduzido a um executor e cúmplice dos EUA e de outros países ocidentais.",  declarou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do país, Wang Wenbin, em entrevista à imprensa.

A publicação do relatório ocorreu um dia antes do término do mandato de Michelle Bachelet à frente do Alto Comissário, e é resultado da enorme pressão de diversos órgãos e países. Em entrevista nesta 5ª feira (1ª.set), Bachelet classificou a sua viagem à China, em maio deste ano, como o ponto alto do seu mandato, e reforçou que a defesa dos direitos humanos é uma tarefa que nunca termina. Sem sucessor escolhido, a alta comissária se colocou à disposição do escritório "para dar aconselhamento e compartilhar as "lições aprendidas".

* Com informações da Associated Press

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

sbtnews
portalnews
mundo
onu
michelle bachelet
relatório
etnia uigur
direitos humanos
abusos
pequim

Últimas notícias

Lula conversa com diretor-geral da Enel, que promete investimento bilionário no Brasil

Lula conversa com diretor-geral da Enel, que promete investimento bilionário no Brasil

Reunião aconteceu após encontro do G7, na Itália, com participação e negociações bilaterais do presidente brasileiro
Chileno é preso por filmar partes íntimas de crianças na praia da Urca, no Rio

Chileno é preso por filmar partes íntimas de crianças na praia da Urca, no Rio

Javier Eduardo López Órdenes foi levado para a delegacia de Copacabana; caso foi encaminhado à Justiça
RJ: menina baleada com tiro de fuzil quando voltava de balé segue em estado grave

RJ: menina baleada com tiro de fuzil quando voltava de balé segue em estado grave

Parentes e amigos de Ana Beatriz Barcelos, de 14 anos, marcaram uma missa neste sábado (15) para pedir pela recuperação da adolescente
Oito militares israelenses morrem após explosão de veículo em Rafah

Oito militares israelenses morrem após explosão de veículo em Rafah

Em Tel Aviv, milhares de manifestantes protestaram contra o governo, pedindo o fim da guerra
Trio paulista especializado em roubar casas no Rio é preso após cerco policial

Trio paulista especializado em roubar casas no Rio é preso após cerco policial

Com os bandidos, foram apreendidos uma chave de fenda, luvas, joias e aproximadamente R$ 2 mil em espécie
Lula defende Haddad após Cúpula do G7: “Nunca estará enfraquecido enquanto eu for presidente”

Lula defende Haddad após Cúpula do G7: “Nunca estará enfraquecido enquanto eu for presidente”

Presidente blinda ministro da Fazenda após questionamentos sobre responsabilidade fiscal em 2025
Polícia investiga denúncia de estupro de menina de 12 anos em escola do Rio

Polícia investiga denúncia de estupro de menina de 12 anos em escola do Rio

Agentes da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) já identificaram e intimaram os suspeitos de cometer o crime
RJ: motociclista grava próprio assalto e escapa de ser baleado por objetos guardados na mochila

RJ: motociclista grava próprio assalto e escapa de ser baleado por objetos guardados na mochila

Veja as imagens registradas pela câmera no capacete do sargento da Marinha Leandro Araújo de Oliveira, de 38 anos
Vídeo: brinquedo de parque deixa 30 pessoas presas de cabeça para baixo nos EUA

Vídeo: brinquedo de parque deixa 30 pessoas presas de cabeça para baixo nos EUA

Bombeiros americanos resgataram as vítimas e ninguém ficou ferido; apenas um homem precisou ser levado para o hospital por problemas de saúde pré-existentes
Violência contra idosos: quase 500 por dia são vítimas de abusos no Brasil

Violência contra idosos: quase 500 por dia são vítimas de abusos no Brasil

Este sábado (15) marca o dia Mundial da Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa
Publicidade
Publicidade