Publicidade

TCU aprova com ressalvas as contas do governo Bolsonaro relativas a 2022

Decisão foi unânime; parecer prévio e relatório serão encaminhados pela Corte ao Congresso Nacional

TCU aprova com ressalvas as contas do governo Bolsonaro relativas a 2022
Bruno Dantas fala ao microfone (Reprodução/TCU)
Publicidade

O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou com ressalvas, nesta 4ª feira (7.jun), as contas prestadas pelo presidente da República referentes ao período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2022 - último ano do governo Jair Bolsonaro (PL). A decisão foi unânime.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

A apreciação das contas do chefe do Executivo federal pelo TCU constitui-se de um parecer prévio, no qual são explicitadas as opiniões sobre a fidedignidade do Balanço Geral da União (BGU) e a regularidade da execução orçamentária da gestão dos recursos públicos federais, além da conclusão sobre a aprovação ou rejeição das contas; e também um relatório, no qual são detalhados os fatos e as análises que fundametaram o parecer.

O relator foi o ministro Jorge Oliveira. Com a aprovação do parecer agora, tanto este como o relatório serão encaminhados ao Congresso Nacional para o julgamento da Prestação de Contas do Presidente da República (PCPR).

Na sessão desta 4ª, Jorge Oliveira ressaltou que a análise pelo TCU "é efetuada considerando a base normativa de regência, mas não pode ser dissociada do contexto e das variáveis macroeconômicas, para devida compreensão quanto ao desempenho da gestão pública".

"Em linhas gerais, o exercício de 2022 se caracterizou pela continuidade na melhoria do desempenho da economia observada em 2021, após as grandes dificuldades vivenciadas em 2020, sobretudo em face da pandemia de covid-19".

Ainda de acordo com o ministro, no BGU, "foram verificadas 30 distorções de valor e três distorções de classificações", detalhadas no relatório e no parecer prévio. Entre as 30, estão R$ 542,6 bilhões no ativo circulante; R$ 14,2 bilhões no ativo não circulante; R$ 118 bilhões no passivo circulante; R$ 13,2 bilhões no passivo não circulante; R$ 88,6 bilhões no patrimônio líquido; R$ 383,8 bilhões nas variações patrimoniais aumentativas; e R$ 151 bilhões nas variações patrimoniais diminutivas.

Já entre as distorções de classificações, estão R$ 73 bilhões classificados como "despesa corrente", quando deveriam constar no montante de "despesas de capital"; R$ 2,4 bilhões classificados no grupo de contas "bens imóveis", quando deveriam estar em "propriedades para investimento"; e R$ 2 bilhões classificados como "caixa e equivalente de caixa", quando o apropriado seria em "investimentos e aplicações temporárias a curto prazo".

Entretanto, disse Jorge Oliveira, "tendo em vista os critérios de materialidade, gravidade e repercussão negativa sobre a gestão governamental associados a irregularidades e às impropriedades e distorções identificadas, conclui-se que a totalidade da gestão examinada não ficou comprometida, tanto em relação à execução dos orçamentos quanto ao que se refere à opinião a respeito do Balanço Geral da União".

Votaram pela aprovação do parecer prévio os ministros Walton Alencar Rodrigues, Benjamin Zymler, Augusto Nardes, Antonio Anastasia, Jhonatan de Jesus, Augusto Sherman e Bruno Dantas - presidente do TCU. A procuradora-geral do Ministério Público junto a Corte (MPTCU), Cristina Machado, também compartilhou do encaminhamento proposto pelo relator, de aprovação das contas com as devidas ressalvas, recomendações e alertas.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
justica
tcu
economia
governo
jair bolsonaro
análise
contas
presidente
parecer
relatório
ministério público
congresso
guilherme-resck

Últimas notícias

RJ: mulher morta em tentativa de assalto na Linha Amarela deixa filha de sete meses

RJ: mulher morta em tentativa de assalto na Linha Amarela deixa filha de sete meses

Crime aconteceu na manhã desta terça-feira (18); idoso também morreu e um dos suspeitos foi baleado
Novo Ensino Médio: relatora propõe carga horária de 2.400 horas e votação de projeto é adiada

Novo Ensino Médio: relatora propõe carga horária de 2.400 horas e votação de projeto é adiada

Comissão de Educação e Cultura do Senado deve votar o texto na quarta-feira (19)
Lula diz que pode disputar reeleição em 2026 para evitar volta dos "trogloditas" e do 'fascismo'

Lula diz que pode disputar reeleição em 2026 para evitar volta dos "trogloditas" e do 'fascismo'

Presidente disse ter sido orientado a não citar o nome do ex-presidente Jair Bolsonaro
Morre Anouk Aimée, atriz dos filmes "A Doce Vida" e "Oito e Meio", aos 92 anos

Morre Anouk Aimée, atriz dos filmes "A Doce Vida" e "Oito e Meio", aos 92 anos

Ícone do cinema francês atuou em clássicos de grandes diretores, como Fellini, Bellocchio, Demy e Altman
Meninas até 14 anos são maiores vítimas de violência sexual, revela Atlas da Violência

Meninas até 14 anos são maiores vítimas de violência sexual, revela Atlas da Violência

Agressão sexual representa quase 1/3 dos casos de violência contra bebês e crianças de até 9 anos e quase metade na faixa etária de 10 a 14 anos
Brasil registrou, em média, seis crianças desaparecidas por dia em 2022, diz Ministério da Justiça

Brasil registrou, em média, seis crianças desaparecidas por dia em 2022, diz Ministério da Justiça

Relatório tem objetivo de "compreender a fundo os padrões, causas e áreas de maior incidência dos desaparecimentos"
Galeria de fotos de ex-presidentes deve ser reinaugurada em breve no Palácio do Planalto

Galeria de fotos de ex-presidentes deve ser reinaugurada em breve no Palácio do Planalto

O espaço foi destruído em 8 de janeiro de 2023, quando golpistas invadiram sedes dos Três Poderes, em Brasília
Marido é sequestrado um dia depois do casamento

Marido é sequestrado um dia depois do casamento

Padrinho e testemunha do casamento também foram raptados; crime foi cometido enquanto mulher entregava buquê para pintura
Implosão do submersível Titan completa 1 ano: relembre a tragédia

Implosão do submersível Titan completa 1 ano: relembre a tragédia

Cinco pessoas morreram no acidente; investigações sobre a expedição continuam nos Estados Unidos
Justin Timberlake é preso em Nova York

Justin Timberlake é preso em Nova York

Cantor foi detido por estar dirigindo embriagado e está sob custódia da polícia local
Publicidade
Publicidade