Publicidade

EUA: eleição de republicanos no Congresso pode afetar ajuda à Ucrânia

Brecha dada por oposição seria de total interesse da Rússia para avançar com ofensiva

EUA: eleição de republicanos no Congresso pode afetar ajuda à Ucrânia
Com a oposição formando maioria no legislativo, o legado de Biden como 'principal apoio da Ucrânia' pode ser ameaçado | Reprodução/Flickr/Governo da Ucrânia
Publicidade

Apesar de não provocar uma reviravolta no Congresso dos Estados Unidos, as eleições de meio de mandato já estão atendendo à expectativa dos norte-americanos. Segundo a última contagem da Associated Press, os republicanos, apoiados pelo ex-presidente Donald Trump, estão quase formando maioria na Câmara, conquistando 211 das 435 vagas. O número pode tirar a liderança dos democratas, que contam, até o momento, com 192 deputados. No Senado, por sua vez, a sigla é minoria.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

O cenário, além de dificultar os próximos dois anos do governo de Joe Biden, também atinge um ponto crucial: a guerra na Ucrânia. Isso porque, desde o início da invasão russa, o chefe de Estado vem anunciando apoio ao governo ucraniano, auxiliando o país com o envio de pacotes monetários, suprimentos básicos e, sobretudo, armamento militar. As ofertas, no entanto, precisam passar por avaliação no Congresso, que, até então, tinha como maioria os democratas, o que facilitava a aprovação das propostas.

"Os Estados Unidos, em termos de política internacional, sempre foram muito isolacionistas. É histórico dos Estados Unidos participar apenas em questões muito pontuais, quando interessa muito. Por isso, há essa tendência de se isolar, especialmente do ponto de vista do Congresso", explica Denise Lícia Gasparini, professora e coordenadora do curso de Relações Internacionais da Faditu. Segundo ela, com a oposição formando maioria no legislativo, o legado de Biden como "principal apoio da Ucrânia" pode ser ameaçado.

Tal brecha seria de total interesse russo, uma vez que Moscou poderia fortalecer o exército e não esperar ataques ucranianos com armamentos de alta tecnologia. O vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Alexander Grushko, por exemplo, afirmou que estava acompanhando "de perto" as eleições de meio de mandato, porque tem o conhecimento de que uma parte dos republicanos é a favor da independência de defesa da Europa, ainda auxiliada pelo país, bem como da redução de assistência militar à Ucrânia.

"Eu acredito que essa percepção da Rússia de querer um Congresso majoritariamente republicano seja, justamente, por haver uma paralisia decisória. Uma maioria de republicanos não vai deixar Biden governar e o presidente não vai conseguir auxiliar a Ucrânia. Isso é uma vantagem para a Rússia, já que Moscou não está, no momento, ganhando esse conflito", pontua Denise.

Na última 6ª feira (11.nov), o secretário de Estado, Antony Blinken, anunciou mais um pacote de ajuda militar à Ucrânia, que deve passar pelo Congresso. Dessa vez, o montante será de US$ 400 milhões e contará com o envio de quatro sistemas de defesa aérea para conter os bombardeios russos em infraestruturas de energia elétrica. Com a soma do valor, o governo Biden já disponibilizou, desde o início do conflito militar, mais de US$ 18,6 bilhões em assistência à segurança dos ucranianos.

"É uma questão de política interna. O movimento trumpista está cada vez mais forte entre os republicanos. Mesmo sendo próximo do [presidente da Rússia Vladimir] Putin, Trump precisa mostrar para os republicanos e para os eleitores que ele é capaz de conseguir resolver o problema e, até mesmo, se contrapor a Putin. Ele precisa disso. Então, há essa percepção, no caso dos republicanos, de não deixar que os democratas auxiliem a Ucrânia, porque, em uma próxima eleição, isso pode ajudar", explica a professora.

Apesar da troca de parlamentares, as eleições presidenciais dos Estados Unidos acontecem apenas em 2024, mas tanto Trump como Biden já afirmaram que pretendem disputar o pleito. Projeções internacionais apontam, contudo, que o ex-presidente pode ter um grande adversário nas primárias do partido: Ron DeSantis. O político foi reeleito governador da Flórida, também na chamada midterm, com quase 60% dos votos, maior vitória eleitoral no estado desde 1982. 

Leia também

+ Tropas ucranianas avançam em Kherson e recuperam 12 assentamentos

+ "Um tanto decepcionante", diz Trump sobre eleições de meio de mandato

+ Quase 200 mil soldados já morreram na guerra na Ucrânia, afirmam EUA

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

sbt
sbtnews
portalnews
guerra-na-ucrania
eua
maioria
oposiçao
congresso
afetar
ajuda
ucrania
republicanos
democratas
trump
biden
russia
conflito militar
camila-stucaluc

Últimas notícias

Mega-Sena acumula e chega a R$ 60 milhões; veja os números sorteados

Mega-Sena acumula e chega a R$ 60 milhões; veja os números sorteados

Quina teve 75 apostas ganhadoras, que vão receber mais de R$ 41 cada
De nudez no SuperBowl a aborto forçado: relembre polêmicas de Justin Timberlake

De nudez no SuperBowl a aborto forçado: relembre polêmicas de Justin Timberlake

Cantor foi detido por dirigir embriagado. Mas a prisão foi somente mais um episódio controverso na carreira do astro
Saiba quais são as 30 cidades grandes com as maiores taxas de homicídios do Brasil

Saiba quais são as 30 cidades grandes com as maiores taxas de homicídios do Brasil

Cinco cidades baianas estão à frente. Taxas superaram 50 homicídios por 100 mil habitantes em 2022, segundo Atlas da Violência
Marcos Rogério assume liderança da oposição ao governo no Senado

Marcos Rogério assume liderança da oposição ao governo no Senado

Atualmente no cargo, Marinho se afasta do cargo por 120 dias para se dedicar às eleições municipais
Rodrigo Pacheco chama projeto sobre aborto de “irracional” e “inviável”

Rodrigo Pacheco chama projeto sobre aborto de “irracional” e “inviável”

Presidente do Senado se posicionou acerca do polêmico tema diante de parte da bancada feminina da Casa
Policiais civis são alvo de tiros durante operação na Maré (RJ)

Policiais civis são alvo de tiros durante operação na Maré (RJ)

Agentes realizavam operação contra estabelecimentos comerciais que receptavam e revendiam roupas de grifes roubadas
Caso Paquetá: Senado aprova convite para ouvir o jogador na CPI da Manipulação no Futebol

Caso Paquetá: Senado aprova convite para ouvir o jogador na CPI da Manipulação no Futebol

Por se tratar de um convite, o jogador pode recusar a participação
Incêndio de grande proporção atinge prédio comercial na Grande SP

Incêndio de grande proporção atinge prédio comercial na Grande SP

Nove equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas e conseguiram conter o fogo no local
Brasil aparece entre os piores países em pensamento criativo nas salas de aula

Brasil aparece entre os piores países em pensamento criativo nas salas de aula

No ranking com 56 países, o Brasil aparece na 44ª colocação, empatado com Peru, Panamá e Arábia Saudita
Quase 500 criminosos são presos em operação na Bahia

Quase 500 criminosos são presos em operação na Bahia

Segundo a polícia, integrante de um grupo criminoso que gerenciava um laboratório de drogas em Castelo Branco foi localizado por equipes do Depom
Publicidade
Publicidade