Publicidade

"Atribuir veto a descaso com mulheres é narrativa falsa", diz Secom

Pasta rebateu as críticas pelo veto de Bolsonaro ao projeto que previa distribuição de absorventes

"Atribuir veto a descaso com mulheres é narrativa falsa", diz Secom
Publicidade

A Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República rebateu, na noite desta 6ª feira (8.out), as críticas feitas ao governo pelo veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao projeto que previa distribuição gratuita de absorventes a meninas e mulheres em situação de vulnerabilidade e privadas de liberdade. Segundo a pasta, "atribuir os vetos do presidente a um descaso para com as mulheres não passa de uma narrativa falsa e inconsistente".

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Em uma sequência de tuítes, a Secom disse que o governo "reconhece o mérito da medida, tendo sancionado, inclusive, a criação do Programa de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual", mas que os pontos vetados "apresentavam problemas técnico e jurídicos quanto à sua aplicação, podendo ser entendidos como crime de responsabilidade caso fossem sancionados".

A pasta repetiu o discurso do presidente de que o projeto "não indicava uma fonte apropriada para a criação da nova despesa" e pontou que "apesar dos vetos, o governo federal irá trabalhara para viabilizar a aplicação dessa medida".

Aprovada na Câmara e no Senado, a proposta tem como objetivo combater a pobreza menstrual, identificada como a falta de acesso ou a falta de recursos que possibilitem a aquisição de produtos de higiene e outros itens necessários ao período menstrual. O trecho que previa o repasse, porém, foi vetado por Bolsonaro na 5ª feira (7.out).

A decisão do presidente foi criticada por parlamentares até da base aliada. De acordo com a autora do projeto, deputada Marília Arraes (PT-PE), congressistas de diferentes alas ideológicas -- da oposição à direita -- querem mudar a decisão para garantir a medida social.  "Estamos nos mobilizando no Congresso para que a gente possa derrubar o veto. Mulheres de todos os partidos. Não é uma pauta identitária", disse. "Tenho certeza que logo conseguiremos pautar esse veto e, sem dúvida, vamos derrubá-lo", completou.

Celina Leão (PP-DF), líder da bancada feminina na Câmara, também saiu em defesa da derrubada do veto: "Se R$ 84 milhões é muito dinheiro para dar a mínima condição para meninas e mulheres, então o governo tem que repensar a forma de tratar as meninas e mulheres deste Brasil". O mesmo foi reforçado por Tabata Amaral (PSB-SP), deputada que também pediu que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), coloque a decisão de Bolsonaro em pauta o mais rápido possível. "É sobre a dignidade", afirmou.

Na noite desta 6ª, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que o veto ao projeto que prevê a distribuição de absorventes a meninas e mulheres em situação de vulnerabilidade deve ser derrubado pelo Congresso, com a avaliação de que o tema é "candidatíssimo" a mudança na Casa.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
governo
secom
absorvente
veto

Últimas notícias

Jovem sofre ataque com ácido; câmeras flagram pedido de ajuda

Jovem sofre ataque com ácido; câmeras flagram pedido de ajuda

Isabelly Ferreira Moro, de 23 anos, foi atingida no rosto e no tórax e está internada em estado grave; ex-namorado é suspeito
PMB anuncia apoio a pré-candidatura de Boulos à Prefeitura de SP; aliança chega a 7 partidos

PMB anuncia apoio a pré-candidatura de Boulos à Prefeitura de SP; aliança chega a 7 partidos

Essa é a primeira sigla que não é de esquerda a apoiar o deputado federal do PSOL na corrida pelo comando da capital paulista
Tony Ramos inicia reabilitação com fisioterapia após cirurgias no cérebro

Tony Ramos inicia reabilitação com fisioterapia após cirurgias no cérebro

Ator, de 75 anos, recebeu alta do CTI na última quarta-feira
Lula diz que reconhecimento da Palestina por países europeus é histórico

Lula diz que reconhecimento da Palestina por países europeus é histórico

Espanha, Noruega e Irlanda anunciaram, na quarta-feira (22), o reconhecimento do Estado Palestino
Carlo Acutis: quem é jovem que deve virar santo da Igreja Católica

Carlo Acutis: quem é jovem que deve virar santo da Igreja Católica

Beato morreu aos 15 anos, em 2006, por complicações de uma leucemia
Comissão do Senado para acompanhar enfrentamento da calamidade no RS faz diligência no estado

Comissão do Senado para acompanhar enfrentamento da calamidade no RS faz diligência no estado

Senadores devem visitar alojados em abrigo e se encontrar com o governador Eduardo Leite (PSDB)
Caso Anic Herdy: cães farejadores são usados em buscas por advogada desaparecida

Caso Anic Herdy: cães farejadores são usados em buscas por advogada desaparecida

Polícia Civil foi até um sítio localizado na Baixada Fluminense na manhã desta quinta-feira (23), mas a vítima não foi localizada
Receita Federal cria ferramenta de proteção do CPF; saiba como usar

Receita Federal cria ferramenta de proteção do CPF; saiba como usar

Recurso impede que o CPF da pessoa seja incluído de forma indevida em quadro societário de empresas
Reoneração gradual da folha de pagamento pode ser votada na primeira semana de junho, diz Efraim

Reoneração gradual da folha de pagamento pode ser votada na primeira semana de junho, diz Efraim

Senador Jaques Wagner deve incluir acordo referente aos municípios no mesmo Projeto de Lei
Volta a chover forte no Rio Grande do Sul nesta quinta-feira

Volta a chover forte no Rio Grande do Sul nesta quinta-feira

Serra Gaúcha pode ter temperatura abaixo de zero durante o final de semana
Publicidade
Publicidade