Publicidade

Programa de resposta da demanda pode baratear energia, diz pesquisador

Acionamento de termelétricas na crise hídrica fez conta de luz pesar mais no bolso dos brasileiros

Programa de resposta da demanda pode baratear energia, diz pesquisador
Publicidade

A manutenção da bandeira tarifária escassez hídrica, na conta de luz, até abril de 2022 e a previsão de que o aumento do preço da energia seja de 21,04% no próximo ano, em decorrência da crise hídrica, preocupam consumidores e levam especialistas a pensarem em alternativas para que o crescimento do custo da geração não seja sentido tão fortemente no bolso pelos brasileiros. Para o pesquisador Roberto Brandão, do Grupo de Estudo do Setor Elétrico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Gesel/UFRJ), uma das ações passa por criar um programa permanente de oferta de redução voluntária da demanda de energia, seguindo o exemplo de outros países, como os Estados Unidos.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

No início do mês, o Operador Nacional do Sistema (ONS) suspendeu o recebimento de ofertas de redução voluntária da demanda (RVD) no âmbito do programa voltado para grandes consumidores, como a indústria, que foi criado pelo governo em agosto por causa da crise hídrica. Segundo a entidade, com a chegada do período úmido no prazo esperado e adesão das empresas nos últimos meses, não é mais necessário uso de reserva operativa para atender o período de pico no consumo de energia no dia e, portanto, não há sentido em receber novas propostas de RVD.

Em entrevista ao SBT News, Roberto Brandão disse que a medida se tratou de "um programa muito interessante, que teve um razoável sucesso, mas criado numa situação excepcional aonde o país estava na eminência de ter problemas de déficit de potência e nos horários de maior consumo". Dessa forma, avalia que teria sentido em mantê-lo, no atual cenário, somente se, ao mesmo tempo, houvesse o deslocamente de uma térmica mais cara, mas a "governança" da crise no país vem sendo feita de forma "a conseguir uma resposta apesar do preço".

"Não se criou na verdade um mecanismo de mercado consolidado como existe, por exemplo, no Texas, aonde todos os dias os consumidores, alguns consumidores fazem ofertas de respostas da demanda e isso entra na dinâmica de mercado normal", completou. O acionamento de termelétricas é um dos motivos pelos quais a conta de luz encareceu na atual crise hídrica. Portanto, um programa permanente de resposta da demanda baratearia o preço da energia caso realizado de modo que a redução voluntária fosse acompanhada do interrompimento do uso de alguma usina térmica, de acordo com o pesquisador.

Roberto Brandão relembra ainda que essa não foi a primeira vez que se aceitou ofertas de redução do consumo de energia por parte da indústria. Em 2017, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estabeleceu critérios para que passasse a funcionar um programa piloto de Resposta da Demanda, que, em 2020, teve sua abrangência ampliada. Porém, segundo o pesquisador, nesse caso, foi uma má experiência.

"Entre os problemas, você reduzia o consumo, a indústria reduzia o consumo e ganhava pelo mercado de curto prazo. Era ali que era a remuneração, e o mercado de curto prazo, justamente no momento que se lançou o piloto, tinha uma inadimplência enorme. Você tinha um crédito que não recebia, então ninguém levou isso a sério", pontuou.

Resposta dos consumidores do mercado cativo

Apesar de o ONS ter suspendido o recebimento de ofertas de RVD de grandes consumidores, continua em vigor o programa voltado para aqueles do mercado cativo, ou seja, os que são atendidos pelas distribuidoras de energia elétrica. Segundo Marcos Madureira, presidente da Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee), houve uma adesão de cerca de 37% em relação ao total de pessoas que o setor entendia como aptas para participarem.

"Isso é um ponto importante, porque são consumidoras, esse percentual de consumidores conseguiu reduzir o consumo de 10% a 20%. Então acho que tem tido um sinal favorável por parte da população", avalia. A primeira fase desse programa deverá ir até o próximo mês. De acordo com Marcos, "é importante até que os consumidores continuem, aqueles que reduziram, que estão conseguindo ter resultado, continuem fazendo esse trabalho de ter um um consumo mais consciente e com isso atingir aí ao final do mês de dezembro a redução de todos os quatro meses, está apto a receber os descontos, assim como aqueles que ainda não conseguiram nos primeiros meses, fazer um esforço para procurar atingir, porque a meta é meta de quatro meses".

Embora a conta de luz já tenha registrado aumentos expressivos nos últimos meses, ele acrescenta que as distribuidoras atuam com um certo descasamento. "Muitas vezes o valor do despacho, o valor da energia termina sendo maior do que aquele que está sendo arrecadado. Que é o que nós estamos passando nesse momento". "Mesmo com a bandeira tarifária que foi criada aí para a escassez hídrica, o custo da energia pelo despacho de térmicas mais elevadas, pela contratação de importação de energia, pelos próprios programas de redução voluntária, que são programas para reduzir o consumo, mas que tem seu custo [por causa da bonificação], para que o consumidor tenha sentido para isso, faz com que tenha existido uma elevação nos custos da parcela de energia e, para isso, existe um valor que precisa ser equacionado".

O presidente da Abradee diz ainda que, para não repassar todo o aumento de uma vez aos consumidores e impactar fortemente o mercado num momento de reaquecimento da economia, as autoridades vem trabalhando em um financiamento por meio do qual a população diluiria o valor em um prazo maior.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
economia
brasil
governo
crise hídrica
energia elétrica
preço
conta de luz
aumento
programas
redução
demanda
medidas
aneel
ons
consumo
distribuidoras
guilherme-resck

Últimas notícias

UNESCO concede honraria a dança polonesa banida pelo comunismo

UNESCO concede honraria a dança polonesa banida pelo comunismo

Ministério da Cultura e do Património Nacional da Polónia solicitou a inclusão da dança na lista da organização
Sobe para 71 o número de cidades mineiras em emergência por conta da dengue

Sobe para 71 o número de cidades mineiras em emergência por conta da dengue

Dados da Secretaria de Saúde revelam que o estado enfrenta uma crise histórica, com 234.354 casos prováveis de dengue
USP vai abrigar novo centro de engenharia do Google

USP vai abrigar novo centro de engenharia do Google

Instalações ficarão no prédio do Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo (IPT), na Cidade Universitária
Opas alerta para epidemia de dengue nas Américas e pede reforço de medidas contra doença

Opas alerta para epidemia de dengue nas Américas e pede reforço de medidas contra doença

Brasil está entre os países que apresentou aumento na transmissão da doença
Comissão de Valores Mobiliários abre 60 vagas para concurso com salário de R$ 21 mil

Comissão de Valores Mobiliários abre 60 vagas para concurso com salário de R$ 21 mil

São dois cargos com diferentes especialidades para atuar no Rio e em São Paulo; taxa de inscrição é de R$ 145
Facção carioca é suspeita de ameaçar moradores e cometer crimes contra policiais no Pirambu, em Fortaleza

Facção carioca é suspeita de ameaçar moradores e cometer crimes contra policiais no Pirambu, em Fortaleza

Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram os momentos de terror vividos pelos moradores. Troca de tiros entre grupos rivais por disputas de territórios costuma ser frequente no local
Mulher branca tem liberdade concedida após crime de racismo no RJ

Mulher branca tem liberdade concedida após crime de racismo no RJ

Presa chamou pessoas em supermercado de “negrada” e estava com a mãe; jornalista foi alvo de ofensas racistas em Nova Iguaçu
Vereador do PL é denunciado por homicídio pelo Ministério Público

Vereador do PL é denunciado por homicídio pelo Ministério Público

Político conhecido como “Neto Carneiro”, eleito em cidade no interior do Ceará, é apontado como mandante de assassinato
União Europeia aprova 13º pacote de sanções contra Rússia

União Europeia aprova 13º pacote de sanções contra Rússia

Medida inclui mais 200 entidades e indivíduos na lista de restrições; decisão ocorre dias antes da guerra na Ucrânia completar dois anos
Amazônia registra décimo mês consecutivo de redução do desmatamento, diz Imazon

Amazônia registra décimo mês consecutivo de redução do desmatamento, diz Imazon

Bioma perdeu 79 km² de floresta em janeiro; Roraima, Mato Grosso e Pará lideram ranking de devastação
Publicidade
Publicidade