Publicidade

Escola de tempo integral é vista como alternativa para diminuir defasagem

Programa criado pelo governo está em tramitação no Congresso e visa atingir 25% de adesão nacional

Escola de tempo integral é vista como alternativa para diminuir defasagem
Ideia é disponibilizar, inicialmente, R$ 2 bilhões em assistência financeira para as unidades públicas de educação básica entre 2023 e 2024 | Divulgação
Publicidade

A pandemia de Covid-19 segue como uma das principais causas da defasagem na educação de crianças e adolescentes. Muitos estudantes concluíram o ano letivo sem ter os conhecimentos adequados para a série em questão, provocando um atraso no sistema de aprendizagem. Em meio a esse cenário, o governo federal lançou o Programa Escola em Tempo Integral, que visa ampliar as matrículas na carga horária ampliada. A iniciativa foi aprovada pela Câmara na 2ª feira (3.jul) e, agora, será analisada pelo Senado.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

A ideia é disponibilizar, inicialmente, R$ 2 bilhões em assistência financeira para as unidades públicas de educação básica entre 2023 e 2024. A expectativa é conseguir viabilizar 1 milhão de novas matrículas no ensino em tempo integral durante o período, sobretudo em escolas que atendem alunos em situação de maior vulnerabilidade socioeconômica. Com as novas matrículas, o governo espera ampliar o percentual nacional de adesão à carga horária dos atuais 7% para 25%.

Segundo o projeto, serão consideradas matrículas em tempo integral aquelas em que o estudante permanece na escola ou em atividades escolares por tempo igual ou superior a sete horas diárias ou a 35 horas semanais. Especialistas ouvidos pelo SBT News apontam que a maior carga horária pode ser benéfica para diminuir a defasagem na aprendizagem, uma vez que o tempo proporcionará mais oportunidade para os professores trabalharem de maneira mais aprofundada nas dificuldades dos alunos.

A mudança, no entanto, só seria possível caso a carga horária seja acompanhada de uma melhor infraestrutura nas unidades de ensino, bem como de treinamentos para professores e cronogramas adequado de aulas. 

"Se a meta é ampliar a jornada com qualidade, é preciso buscar um novo olhar para a escola e uma carreira diferenciada, remunerada dignamente, plena de novos desafios para o professor e demais profissionais da educação. E esta proposta coloca como ponto basilar a oferta de insumos básicos para que uma escola em qualquer canto do país tenha condições adequadas de propiciar a formação integral em tempo integral para seus alunos", avalia Andressa Pellanda, coordenadora geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

Ela explica que entre 2014 e 2022 houve uma perda de cerca de 10 mil escolas ofertando o ensino em tempo integral - o que afeta o objetivo número seis do Plano Nacional de Educação, que estipula a meta de ao menos 50% das escolas públicas com a carga horária. Durante o período, o Nordeste e o Norte lideraram o ranking de regiões com o maior número de quedas, bem como a zona rural em relação à urbana. O cenário foi influenciado, principalmente, pela desigualdade socioeconômica dos locais.

"Olhando dentro das regiões, podemos ver o quão baixos são os índices de escolas atendendo em tempo integral na região Norte. Dos sete estados, apenas o Tocantins se destaca positivamente, enquanto o restante dos estados se encontra abaixo do nível de 10%. Também chama a atenção que apenas São Paulo, Maranhão e Piauí mostram crescimento neste indicador, com o Rio Grande do Norte, Pernambuco e Mato Grosso tendo quedas fortíssimas que os deixam abaixo da média nacional", destaca Andressa.

Além da defasagem na aprendizagem, o ensino em tempo integral pode auxiliar nas competências socioemocionais dos alunos - também prejudicadas pelo isolamento social provocado pela pandemia de covid-19. Isso porque a carga horária permite que o professor crie situações de maior vínculo com os alunos, além de proporcionar mais tempo de socialização entre os jovens por meio de atividades simples do dia a dia. A implementação do ensino, contudo, pode levar algum tempo.

+ Cidade de SP anuncia reajuste de 15% para professores de unidades conveniadas

"É muito provável que os alunos só irão, de fato, vivenciar uma experiência de educação em tempo integral para o ano que vem, ou mais para a frente. E isso não atende a urgência que temos hoje de enfrentamento de defasagem do pós-pandemia. Aqui é importante entender que, sim, o tempo integral é um aliado, mas, no ritmo que ele vai ter, na escala que ele se pretende ter, não dá conta de tudo que precisamos fazer em defasagem. É importante que a educação integral não seja a única resposta, ela vem acompanhada de políticas específicas de enfrentamento de defasagem que tenham como foco a rede inteira, no seu tempo regular ou integral", pontua Lucas Rocha, diretor de projetos na Fundação Lemann.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

sbt
sbtnews
portalnews
brasil
escola de tempo integral
devasagem
pandemia de covid-19
congresso
adesao
educaçao
educaçao basica
camila-stucaluc

Últimas notícias

Novo Ensino Médio: relatora propõe carga horária de 2.400 horas e votação de projeto é adiada

Novo Ensino Médio: relatora propõe carga horária de 2.400 horas e votação de projeto é adiada

Comissão de Educação e Cultura do Senado deve votar o texto na quarta-feira (19)
Lula diz que pode disputar reeleição em 2026 para evitar volta dos "trogloditas" e do 'fascismo'

Lula diz que pode disputar reeleição em 2026 para evitar volta dos "trogloditas" e do 'fascismo'

Presidente disse ter sido orientado a não citar o nome do ex-presidente Jair Bolsonaro
Morre Anouk Aimée, atriz dos filmes "A Doce Vida" e "Oito e Meio", aos 92 anos

Morre Anouk Aimée, atriz dos filmes "A Doce Vida" e "Oito e Meio", aos 92 anos

Ícone do cinema francês atuou em clássicos de grandes diretores, como Fellini, Bellocchio, Demy e Altman
Meninas até 14 anos são maiores vítimas de violência sexual, revela Atlas da Violência

Meninas até 14 anos são maiores vítimas de violência sexual, revela Atlas da Violência

Agressão sexual representa quase 1/3 dos casos de violência contra bebês e crianças de até 9 anos e quase metade na faixa etária de 10 a 14 anos
Brasil registrou, em média, seis crianças desaparecidas por dia em 2022, diz Ministério da Justiça

Brasil registrou, em média, seis crianças desaparecidas por dia em 2022, diz Ministério da Justiça

Relatório tem objetivo de "compreender a fundo os padrões, causas e áreas de maior incidência dos desaparecimentos"
Galeria de fotos de ex-presidentes deve ser reinaugurada em breve no Palácio do Planalto

Galeria de fotos de ex-presidentes deve ser reinaugurada em breve no Palácio do Planalto

O espaço foi destruído em 8 de janeiro de 2023, quando golpistas invadiram sedes dos Três Poderes, em Brasília
Marido é sequestrado um dia depois do casamento

Marido é sequestrado um dia depois do casamento

Padrinho e testemunha do casamento também foram raptados; crime foi cometido enquanto mulher entregava buquê para pintura
Implosão do submersível Titan completa 1 ano: relembre a tragédia

Implosão do submersível Titan completa 1 ano: relembre a tragédia

Cinco pessoas morreram no acidente; investigações sobre a expedição continuam nos Estados Unidos
Justin Timberlake é preso em Nova York

Justin Timberlake é preso em Nova York

Cantor foi detido por estar dirigindo embriagado e está sob custódia da polícia local
Brasil registrou 127 homicídios por dia em 2022, diz Atlas da Violência

Brasil registrou 127 homicídios por dia em 2022, diz Atlas da Violência

Estudo também destaca mais de cinco mil mortes classificadas como "ocultas", quando a causa não foi esclarecida
Publicidade
Publicidade