Publicidade

Protesto foi organizado em redes e com uso de códigos

PF analisa redes sociais de envolvidos em atos de vandalismo no DF; "Festa da Selma" foi um dos termos usados

Protesto foi organizado em redes e com uso de códigos
DF
Publicidade

O protesto que terminou na invasão aos prédios dos Três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e depredação criminosa do patrimônio público, neste domingo (8.jan), por defensores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), foi convocado nas redes sociais antecipadamente.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Em grupos do Telegram e Whatsapp e em redes como Twitter e Instagram, os grupos se organizaram para o ato deste fim de semana, contra a vitória do presidente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A Polícia Federal (PF) analisa esses canais de comunicação.

Em um deles, os manifestantes convocaram os atos e, para dissimular, os organizadores usaram, em redes sociais abertas como o Twitter, a palavra Selma, para dissimular o grito de guerra militar Selva.

As mensagens são analisadas pelo setor de inteligência da PF. O grupo teria usado o termo "Festa da Selma" para se referir ao protesto organizado para este domingo, que acabou em vandalismo e crimes.

Um dos apoiadores dos atos, Isac Ferreira, postou o termo e convocou todos a levarem "suas bíblias e seus direitos". Neste domingo, ele acompanhou em postagens a invasão e os atos de depredação. Depois, acabou escrevendo que não apoiava "atos de vandalismo e violência".

Há mensagens também que mostram a organização logística, de fornecimento de transporte e alimentação para o ato. O protesto começou sem problemas, no meio da tarde. Após furarem o bloqueio da Polícia Militar, que fechava o acesso à Esplanada dos Ministérios, os envolvidos rumaram ao Congresso e começaram os ataques criminosos.

Invadiram o Congresso, o Planalto e o Supremo Tribunal Federal (STF). Quebram e furtaram objetos dos prédios. A PF iniciou a colheita de imagens dos sistemas de segurança e também a análise das redes sociais das pessoas que convocaram o protesto e aqueles que participaram e registraram em vídeos os crimes.

No fim da noite, o ministro do STF, Alexandre de Moraes, determinou o afastamento do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), por 90 dias, pela demora na ação da PM. Ele ainda decretou a ordem de prisão em flagrante dos envolvidos nos atos criminosos, o bloqueio das redes sociais, entre outras. 

Na decisão, Moraes destacou que os atos eram conhecidos. "A escalada violenta dos atos criminosos resultou na invasão dos prédios do Palácio do Planalto, do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal, com depredação do patrimônio público, conforme amplamente noticiado pela imprensa nacional, circunstâncias que somente poderiam ocorrer com a anuência, e até participação efetiva, das autoridades competentes pela segurança pública e inteligência, uma vez que a organização das supostas manifestações era fato notório e sabido, que foi divulgado pela mídia brasileira", afirmou.

Leia também:

+ Golpistas invadem e vandalizam Congresso, Planalto e STF

+ PF instala gabinete de crise para identificar autores de atos criminosos

+ Lula decreta intervenção federal em Brasília após invasão

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

portalnews
sbtnews
pf
df
stf
congresso
planalto
lula
bolsonaro
vandalismo

Últimas notícias

Barroso vota contra abertura de processos disciplinares de magistrados da Lava Jato

Barroso vota contra abertura de processos disciplinares de magistrados da Lava Jato

O presidente do CNJ discorda do corregedor nacional de justiça, Luis Felipe Salomão, que chegou a determinar o afastamento cautelar dos envolvidos
Poder Expresso: militares relatam drama de doenças associadas às chuvas no RS

Poder Expresso: militares relatam drama de doenças associadas às chuvas no RS

Ministério da Saúde (MS) se prepara para aumento significativo nos casos de leptospirose no Rio Grande do Sul
Senado aprova reajuste salarial para servidores federais

Senado aprova reajuste salarial para servidores federais

Projeto de Lei vai à sanção presidencial; os maiores reajustes previstos são para os policiais penais
Prejuízo com as chuvas no Rio Grande do Sul sobe para R$ 11 bilhões

Prejuízo com as chuvas no Rio Grande do Sul sobe para R$ 11 bilhões

Tragédia climática no estado já causou 169 mortes; 44 pessoas estão desaparecidas e mais de 97 mil desabrigadas
Tiroteio termina com criança e policial penal mortos em Senador Camará, no RJ

Tiroteio termina com criança e policial penal mortos em Senador Camará, no RJ

Motociclista que passava pelo local ficou ferido na ação
Eleição em São Paulo: Boulos e Nunes estão tecnicamente empatados, diz Datafolha

Eleição em São Paulo: Boulos e Nunes estão tecnicamente empatados, diz Datafolha

Pesquisa realizada entre segunda (27) e terça-feira (28) ouviu 1.092 eleitores da capital paulista
Pessoa morre após ser engolida por motor de avião em aeroporto de Amsterdam

Pessoa morre após ser engolida por motor de avião em aeroporto de Amsterdam

Identidade da vítima não foi divulgada; Polícia holandesa fará investigação sobre o acidente
Senado adia votar taxação de comprinhas de até US$ 50 em 20%

Senado adia votar taxação de comprinhas de até US$ 50 em 20%

Projeto Mover, que inclui trecho para compras internacionais, ficou para a próxima terça-feira (4)
Vídeo: viatura da PM capota após colidir com ônibus articulado no Rio de Janeiro

Vídeo: viatura da PM capota após colidir com ônibus articulado no Rio de Janeiro

Acidente aconteceu na manhã desta quarta-feira (29), na Barra da Tijuca
Governo comemora números da economia em meio a derrotas no Congresso

Governo comemora números da economia em meio a derrotas no Congresso

Foram apresentados dados da criação de vagas de empregos formais e da taxa de desemprego no trimestre encerrado em abril
Publicidade
Publicidade