Publicidade

Netanyahu pede que ministro repense e não renuncie ao gabinete de guerra

Premiê israelense enfatizou que momento "não é de abandonar a campanha, mas de unir forças"

Netanyahu pede que ministro repense e não renuncie ao gabinete de guerra
Benjamin Netanyahu gesticula enquanto fala ao microfone | Abir Sultan/Agência Lusa
Publicidade

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, pediu, no domingo (9), que o ministro Benny Gantz repense a decisão e não renuncie ao cargo no gabinete de guerra. Em publicação nas redes sociais, o premiê afirmou que o momento não é de abandonar a campanha, mas de unir forças para vencer a guerra contra o Hamas.

“Israel está numa guerra existencial em diversas frentes. Benny, este não é o momento de abandonar a campanha – este é o momento de unir forças. Continuaremos até à vitória e à consecução de todos os objetivos da guerra, principalmente a libertação de todos os nossos reféns e a eliminação do Hamas”, escreveu Netanyahu.

O premiê enfatizou ainda que “sua porta permanece aberta” a qualquer partido político que esteja pronto para auxiliar na guerra e garantir a vitória do país.

A tensão no governo de Netanyahu vem aumentando desde a última semana, quando os ministros da Segurança Nacional, Ben Gvir, e das Finanças, Bezalel Smotrich, ameaçaram renunciar e derrubar a coalizão governamental. A declaração foi dada após os Estados Unidos apresentarem uma proposta de cessar-fogo e reconstrução de Gaza.

“Deixei claro ao primeiro-ministro que não farei parte de um governo que concordará com o esboço proposto e acabará com a guerra sem destruir o Hamas e devolver todos os reféns. Exigimos a continuação dos combates até à destruição do Hamas e ao regresso de todos os reféns e a criação de uma realidade de segurança completamente diferente em Gaza”, disse o ministro das Finanças, Bezalel Smotrich.

O líder da oposição, Yair Lapid, por sua vez, condenou os comentários dos ministros e se ofereceu para apoiar o premiê na aceitação da proposta. Segundo ele, as ameaças de Smotrich e Ben Gvir negligenciam a segurança nacional, dos reféns e dos moradores. Para eles, haverá uma guerra para sempre. Responsabilidade zero”, disse.

+Forças de Defesa de Israel resgatam quatro reféns do Hamas

Apesar da repercussão, Netanyahu ainda não se pronunciou oficialmente sobre o acordo. Ele apenas reforçou que Israel não acabará com a guerra em Gaza até que o Hamas seja destruído. Em entrevista ao jornal britânico Sunday Times, no entanto, o assessor Ophir Falk disse que a proposta de Biden era um “acordo no qual o governo concorda”.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

Israel
Governo
Hamas
Guerra

Últimas notícias

Atentado contra Donald Trump: o que se sabe até agora

Atentado contra Donald Trump: o que se sabe até agora

Candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos foi alvejado durante comício na Pensilvânia; ao menos duas pessoas morreram no ato criminoso
Atirador fez vários disparos de "posição elevada" do lado de fora de comício de Trump, diz Serviço Secreto

Atirador fez vários disparos de "posição elevada" do lado de fora de comício de Trump, diz Serviço Secreto

O porta-voz do órgão, Anthony Guglielmi, afirmou que o autor dos disparos foi “neutralizado” logo após atirar
Trump diz que sentiu bala rasgando sua pele em atentado nos EUA

Trump diz que sentiu bala rasgando sua pele em atentado nos EUA

Ex-presidente foi atingido durante comício. Duas pessoas morreram no ato, uma delas era o suposto atirador. Ainda há um ferido
Biden condena violência e diz estar orando por Trump após atentado

Biden condena violência e diz estar orando por Trump após atentado

Presidente agradeceu ao Serviço Secreto por colocar seu adversário político em segurança
Atentado em comício de Trump: Atirador foi morto por agentes do Serviço Secreto

Atentado em comício de Trump: Atirador foi morto por agentes do Serviço Secreto

Uma pessoa que participava do evento na Pensilvânia também foi morta, segundo promotor. Campanha afirma que Trump "está bem" e em segurança
Lula se solidariza com Trump e diz que ataque é inaceitável

Lula se solidariza com Trump e diz que ataque é inaceitável

Candidato à presidência americana foi ferido durante comício na Pensilvânia
Confira números sorteados em jogo da Mega-Sena, que tem prêmio acumulado de R$ 15 mi

Confira números sorteados em jogo da Mega-Sena, que tem prêmio acumulado de R$ 15 mi

Apostas podem ser feitas em agências lotéricas de todo o país ou pelo site da Caixa
Trump "está bem", afirma campanha após atentado durante comício na Pensilvânia

Trump "está bem", afirma campanha após atentado durante comício na Pensilvânia

Ex-presidente dos EUA discursava quando teria sido atingido na orelha direita. Segundo o Serviço Secreto, o republicano "está em segurança"
“Nossa solidariedade ao maior líder mundial”, diz Bolsonaro sobre tiros em comício de Trump

“Nossa solidariedade ao maior líder mundial”, diz Bolsonaro sobre tiros em comício de Trump

O ex-presidente brasileiro se manifestou na rede social X sobre suposto ataque ao ex-presidente dos Estados Unidos
Donald Trump é alvo de ataque durante comício na Pensilvânia

Donald Trump é alvo de ataque durante comício na Pensilvânia

Imagens mostram ex-presidente dos EUA com ferimentos na orelha após sons de tiros; suspeito foi morto por seguranças do Serviço Secreto
Publicidade
Publicidade