Publicidade

G7 pede pausa humanitária na Faixa de Gaza, mas não cita cessar-fogo

Reunião entre ministros das Relações Exteriores do grupo acontece em meio à crescente crise humanitária no território palestino. Número de mortos passa de 10 mil

G7 pede pausa humanitária na Faixa de Gaza, mas não cita cessar-fogo
Antony Blinken e ministros das Relações Exteriores do G7 durante reunião no Japão
Publicidade

Ministros das Relações Exteriores do G7 divulgaram nesta 4ª feira (8.nov) uma declaração pedindo por pausas humanitárias na guerra entre Israel e Hamas, com o intuito de permitir a entrada de água, alimentos, suprimentos médicos e combustível na Faixa de Gaza.

+ Acompanhe a cobertura da guerra
+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

O território palestino, moradia de mais de 2,3 milhões de pessoas, é alvo de intensos bombardeios israelenses desde 7 de outubro, em resposta ao ataque sem precedentes do grupo militante Hamas, que deixou 1,400 mortos no país, com cerca de 200 reféns. Em Gaza, o número de palestinos mortos é de 10.569, incluindo 4.324 crianças e 2.823 mulheres. 

Segundo a última atualização do Ministério da Saúde palestino, divulgado nesta 4ª feira, 2.550 pessoas, incluindo 1.350 crianças, permanecem desaparecidas sob os escombros de prédios bombardeados por Israel. O número de feridos é de 26.475.

"Todas as partes devem permitir o apoio humanitário irrestrito aos civis, incluindo alimentos, água, cuidados médicos, combustível e abrigo, e acesso aos trabalhadores humanitários", afirmou a declaração, elaborada pelo secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, e pelos chanceleres do Reino Unido, Canadá, França, Alemanha, Japão e Itália. "Apoiamos pausas e corredores humanitários para facilitar a assistência urgentemente necessária, a movimentação civil e a libertação de reféns."

Reunidos há dois dias em Tóquio, no Japão, as nações do Grupo dos Sete também reafirmaram o apoio a Israel e seu "direito à autodefesa", mas também denunciaram o aumento da violência "extremista" de colonos israelenses na Cisjordânia ocupada, e compartilharam a opinião de "uma solução de dois Estados" como sendo "o único caminho para uma paz justa, duradoura e segura"

Cessar-fogo

Como esperado, os diplomatas não pediram por "cessar-fogo". Questionado, Blinken afirmou ser de interesse de todos acabar com o conflito o "mais rápido possível", mas "aqueles que apelam a um cessar-fogo imediato têm a obrigação de explicar como abordar o resultado inaceitável que provavelmente resultaria: o Hamas repetir o dia 7 de outubro de novo e de novo e de novo."

Crise humanitária

A reunião acontece em meio ao agravamento da crise humanitária em Gaza e as críticas crescentes ao alto número de casualidades. Segundo a ONU, 70% da população do território, quase 1,5 milhão de pessoas, foi deslocada pelo conflito. Além disso, Israel vem danificando sistematicamente habitações e infraestruturas civis. No Norte de Gaza, palestinos não têm mais acesso à água, comida e insumos médicos.  

Órgãos humanitários internacionais também não conseguem mais acessar a região para resgatar novas vítimas. No Sul, onde Israel afirmou ser uma região segura, a situação é de calamidade. Hospitais estão sobrecarregados, e sofrem com a escassez de insumos médicos básicos. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), médicos estão realizando cirurgias de amputação sem anestesia. 

+ Brasileiros ficam fora de nova lista de autorizados a deixar Gaza

O bloqueio total imposto por Israel desde 9 de outubro também impede a entrada de combustível, obrigando o racionamento de energia nos hospitais, e impedindo o funcionamento de padarias, segundo o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), que também alerta para a escassez de água. 

Desde a retomada da entrada de comboios de ajuda humanitária, em 21 de outubro, foram permitidos no território 650 caminhões. Antes do início das hostilidades, uma média de 500 caminhões entravam em Gaza diariamente. 

A água que chega do Egito em garrafas e galões "satisfaz apenas 4% das necessidades de água dos residentes por dia", alertou o OCHA, com base numa atribuição de três litros por pessoa por dia para todos os fins, incluindo cozinha e higiene. Já a OMS classificou a quantidade de ajuda que conseguiu fornecer à Gaza até agora "uma gota no oceano" em comparação com as vastas necessidades.

Irã e Guerra na Ucrânia

Na esfera internacional, o G7 alertou o Irã para não participar do conflito e utilizar "sua influência" com o Hamas e o Hezbollah para "reduzir as tensões regionais". Na declaração, o G7 também reafirmou que a intensificação no conflito entre Israel e Hamas não afetará o apoio do grupo à Ucrânia em sua guerra com a Rússia.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

sbtnews
portalnews
mundo
guerra-israel
ajuda humanitária
g7
declaração
faixa de gaza
vítimas
mortos
palestina
cessar-fogo
crise humanitária
noticias

Últimas notícias

Selic: Banco Central deve manter taxa básica de juros em 10,5% ao ano nesta quarta (19)

Selic: Banco Central deve manter taxa básica de juros em 10,5% ao ano nesta quarta (19)

Presidente Lula voltou a subir tom de críticas a Roberto Campos Neto; expectativa do mercado é de interrupção do ciclo de cortes
VÍDEO: Garçonete reage a marteladas a agressão de cliente nos EUA

VÍDEO: Garçonete reage a marteladas a agressão de cliente nos EUA

Em depoimento, trabalhadora afirmou que agressor ficou irritado com o aumento dos preços no café
RJ: Mulher vai cobrar pensão de ex e homem espanca vítima

RJ: Mulher vai cobrar pensão de ex e homem espanca vítima

Crime foi registrado em Nova Iguaçu; criminoso tem mais de 10 passagens por violência doméstica
SP terá início de inverno com sol e máxima de 27°C; veja previsão

SP terá início de inverno com sol e máxima de 27°C; veja previsão

Bloqueios atmosféricos continuarão elevando as temperaturas e deixando o tempo mais seco
Concurso da Codevasf reabre inscrições nesta quarta (19), com salários de R$ 9 mil e 61 vagas

Concurso da Codevasf reabre inscrições nesta quarta (19), com salários de R$ 9 mil e 61 vagas

Prazo vai até 9 de julho, às 18h; previsão é de que provas do certame sejam realizadas em 8 de setembro
Dino suspende mais duas leis municipais que proíbem uso da linguagem neutra

Dino suspende mais duas leis municipais que proíbem uso da linguagem neutra

Decisão atendeu ações de grupos em defesa dos direitos LGBTQIA+; liminar será levada ao Plenário
EXPLICA: O que você precisa saber sobre as eleições municipais de 2024 para não cair em desinformação

EXPLICA: O que você precisa saber sobre as eleições municipais de 2024 para não cair em desinformação

Confira a verificação realizada pelos jornalistas integrantes do Projeto Comprova
Mais de 500 muçulmanos morrem por forte calor durante peregrinação na Arábia Saudita

Mais de 500 muçulmanos morrem por forte calor durante peregrinação na Arábia Saudita

Movimento anual reuniu 1,8 milhão de fiéis; termômetros marcaram 43ºC nesta quarta-feira (19)
Brasil Agora: Copom discute futuro da taxa Selic; presidente da Câmara cria comissão para debater PL do aborto

Brasil Agora: Copom discute futuro da taxa Selic; presidente da Câmara cria comissão para debater PL do aborto

Confira essas e outras notícias que serão destaque nesta quarta-feira (19)
Enem 2024: estudantes têm até hoje para pagar taxa de inscrição

Enem 2024: estudantes têm até hoje para pagar taxa de inscrição

Boleto estará disponível na Página do Participante; mais de 5 milhões de pessoas se cadastraram para realizar o exame este ano
Publicidade
Publicidade