Publicidade

Papa Francisco, 10 anos: o avanço popular da Igreja Católica

Conheça a história do pontífice que chegou ao poder há uma década

Papa Francisco, 10 anos: o avanço popular da Igreja Católica
Papa Francisco veste roupa branca e fala no microfone
Publicidade

Há exatos 10 anos, em março de 2013, o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio se tornou o primeiro papa latino-americano da história. Desde então, o Papa Francisco tem liderado a Igreja Católica com uma abordagem inovadora e inspiradora, marcada por sua humildade, proximidade com o povo e defesa dos mais vulneráveis.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Em seus 10 anos de pontificado, o Papa Francisco tem sido reconhecido por sua defesa dos direitos humanos, da justiça social e da ecologia integral. Ele tem se posicionado de forma contundente contra a desigualdade, a pobreza, o individualismo e a cultura do descarte. Alguns dos principais marcos de sua liderança incluem:

  • Encíclica Laudato Si': o documento de 2015 em que o Papa Francisco aborda a crise ecológica como uma questão ética, social e espiritual, defendendo uma mudança de paradigma em relação ao desenvolvimento humano e econômico.
  • Sinodo para a Amazônia: a assembleia de bispos realizada em 2019 para discutir os desafios enfrentados pela região amazônica, incluindo a defesa dos povos indígenas, a preservação da biodiversidade e o papel da Igreja na região.
  • Reforma da Cúria Romana: o processo de reorganização da administração central da Igreja Católica, com o objetivo de torná-la mais eficiente e transparente.
  • Combate aos abusos sexuais na Igreja: o Papa Francisco tem adotado medidas para enfrentar o problema dos abusos sexuais cometidos por membros da Igreja Católica, incluindo a criação de uma comissão especial para tratar do assunto.

A liderança de Francisco tem sido alvo de críticas e elogios por parte de diferentes públicos. "Enquanto alguns o veem como um renovador e uma voz de mudança, outros o acusam de enfraquecer a tradição da Igreja e de ser político", explica Vinicius do Valle, doutor em ciência política (USP) e diretor do Observatório Evangélico.  

Quem é o Papa Francisco?
Jorge Mario Bergoglio nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 17 de dezembro de 1936. Ele entrou para a Companhia de Jesus (ordem jesuíta) em 1958 e, após completar sua formação, foi ordenado padre em 1969. Bergoglio serviu como Provincial dos Jesuítas da Argentina de 1973 a 1979, depois como reitor da Faculdade de Filosofia e Teologia de San Miguel de 1980 a 1986. 

Em 1992, ele foi nomeado bispo auxiliar de Buenos Aires e, em 1998, tornou-se arcebispo da cidade. Em 2001, ele foi nomeado cardeal pelo Papa João Paulo II. Em 13 de março de 2013, Bergoglio foi eleito Papa e adotou o nome Francisco, em homenagem a São Francisco de Assis.

A liderança do Papa Francisco tem sido recebida de forma positiva por muitos fiéis católicos e líderes religiosos de outras denominações, que veem nele uma figura inspiradora e comprometida com a justiça social. No entanto, o pontificado de Francisco também tem gerado críticas e resistências por parte de setores conservadores da Igreja, que discordam de algumas de suas posições e iniciativas.

O que pensa o Papa Francisco?
O Papa Francisco tem sido conhecido por suas posições progressistas em questões sociais, como imigração, justiça social e meio ambiente. Ele também é conhecido por suas críticas ao capitalismo e ao consumismo, que ele vê como responsáveis pelos problemas sociais e ambientais do mundo.  Em 2015, ele publicou uma encíclica, Laudato Si', em que pediu aos fiéis católicos para cuidarem do meio ambiente e combaterem as mudanças climáticas. Além disso, ele tem defendido a causa dos pobres e marginalizados, e tem apoiado iniciativas para combater a corrupção e a violência em todo o mundo.

Legado do Papa Francisco
O Papa Francisco tem sido amplamente elogiado por suas reformas na Igreja Católica, incluindo a luta contra a corrupção e a má conduta financeira, a promoção da transparência e da responsabilidade, e a abordagem mais inclusiva em relação a grupos marginalizados, como os homossexuais e os divorciados. 
Ele também tem trabalhado para melhorar as relações inter-religiosas e para promover a paz em áreas de conflito em todo o mundo. Sua humildade e simplicidade também têm sido destacadas como exemplos a serem seguidos pelos líderes religiosos e políticos.
O Papa Francisco tem sido uma figura influente não só na Igreja Católica, mas também na sociedade em geral. Suas posições progressistas em questões sociais, sua humildade e simplicidade, e suas reformas na Igreja Católica o tornaram uma figura respeitada em todo o mundo. 

Viagem histórica à América Latina
Em sua primeira viagem internacional como Papa, Francisco visitou o Brasil em 2013, durante a Jornada Mundial da Juventude. Em seguida, ele visitou vários países da América Latina, incluindo o Equador, Bolívia e Paraguai. Sua visita à América Latina foi considerada histórica, pois ele é o primeiro Papa latino-americano e sua viagem foi vista como uma oportunidade para ele se conectar com as pessoas e as questões locais da região. Durante sua viagem, ele falou sobre questões como a pobreza, a desigualdade social e a necessidade de uma reforma econômica mais justa.

Posições sobre questões polêmicas
O Papa Francisco também tem sido alvo de controvérsias por suas posições em questões polêmicas dentro da Igreja Católica. Ele defendeu a possibilidade de comunhão para divorciados e para católicos que se casam novamente sem ter seus casamentos anteriores anulados, e tem sido mais inclusivo em relação a grupos marginalizados, como os homossexuais. Essas posições têm sido criticadas por alguns membros conservadores da Igreja, que acreditam que elas estão em conflito com a doutrina católica tradicional.

Impacto na cultura popular
O Papa Francisco também teve um impacto significativo na cultura popular, sendo visto como um líder inspirador e um defensor dos valores sociais e ambientais. Ele tem sido objeto de inúmeras biografias, documentários e filmes, e sua imagem tem sido usada em vários produtos comerciais. Sua popularidade também tem sido impulsionada pelas redes sociais, onde ele tem uma grande base de seguidores.

O Papa e a política
Uma das características marcantes do Papa Francisco é seu envolvimento ativo em questões políticas e sociais. Ele tem usado sua posição de liderança religiosa para abordar questões como a pobreza, a desigualdade, a migração e as mudanças climáticas, e tem frequentemente se manifestado contra o individualismo, o consumismo e o capitalismo desenfreado.

O Papa Francisco tem sido um crítico frequente do sistema econômico global e tem defendido uma reforma econômica mais justa e equitativa, com uma ênfase na redistribuição da riqueza e na proteção dos direitos dos trabalhadores. Ele tem denunciado a desigualdade econômica como uma fonte de sofrimento e opressão para os pobres, e apoiado o papel do Estado no fornecimento de serviços sociais básicos e na regulação da economia.

Além disso, o Papa Francisco defende uma abordagem mais compassiva e inclusiva em relação aos imigrantes e refugiados, que ele vê como vulneráveis e em necessidade de proteção. Ele também condenado a retórica anti-imigrante e as políticas de imigração restritivas em todo o mundo, e tem pedido aos líderes políticos para tratarem os imigrantes com respeito e dignidade.

O envolvimento político do Papa Francisco tem sido criticado por alguns, que argumentam que ele está ultrapassando os limites da separação entre Igreja e Estado. Alguns críticos acreditam que o Papa deveria se concentrar exclusivamente em questões religiosas e evitar se envolver em assuntos políticos e sociais.

No entanto, o Papa Francisco argumenta que a Igreja tem uma responsabilidade moral de se envolver em questões sociais e políticas, especialmente quando se trata de proteger os pobres e vulneráveis. Ele vê sua posição como um chamado para trabalhar pela justiça e pelo bem comum, e não apenas para defender os interesses da Igreja.

Papa e questões de gênero
Outro tema que tem gerado muito debate em relação ao Papa Francisco é a posição da Igreja Católica em relação à homossexualidade. Desde o início de seu papado, Francisco tem sido elogiado por muitos por adotar uma postura mais acolhedora e inclusiva em relação às pessoas LGBT.

Em uma entrevista concedida em 2013, o Papa disse: "Se alguém é gay e busca o Senhor de boa vontade, quem sou eu para julgar?". Esta declaração foi amplamente divulgada como um sinal de que o Papa Francisco estava aberto a aceitar pessoas LGBT na Igreja Católica.  No entanto, embora o Papa Francisco tenha adotado uma abordagem mais acolhedora em relação às pessoas LGBT, a Igreja Católica continua a manter uma posição oficial contra a homossexualidade. A Igreja ensina que os atos homossexuais são "intrinsecamente desordenados" e que o casamento só pode ser entre um homem e uma mulher.

Alguns críticos argumentam que a Igreja precisa ir além de uma simples mudança de linguagem e adotar uma postura mais progressista em relação aos direitos LGBT, como a aceitação do casamento entre pessoas do mesmo sexo e a ordenação de sacerdotes gays. No entanto, outros veem a postura do Papa Francisco como um primeiro passo importante em direção à aceitação das pessoas LGBT na Igreja Católica. 

O futuro do papado

Francisco já deu declarações de que poderia se afastar da liderança da igreja católica por motivos de saúde. O que se vê, por ora, é que ele segue ativo em suas atividades. E, em caso de saída, Viniciu do Valle lembra: "ele está nomeando cardeais que pensam como ele. É uma forma perpetuar sua maneira de pensar". 

Relembre alguns assuntos do Papa Francisco noticiado pelo SBT News

+ 'Homossexualidade não é crime', diz Papa Francisco

+ Vaticano anuncia viagem de papa Francisco à Hungria

+ Papa Francisco compara guerra na Ucrânia com extermínio de judeus

+ Papa lamenta situação na Ucrânia e compara agressão com genocídio de 1933

+ Papa Francisco denuncia "guerras esquecidas" e pede voz aos oprimidos

+ Temos o compromisso de fazer justiça, diz Papa sobre vítimas de abuso

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

papa francisco
papa
vaticano
católico
política
portalnews
sbtnews

Últimas notícias

Randolfe diz que Lula vai priorizar reforma tributária no Congresso após recesso

Randolfe diz que Lula vai priorizar reforma tributária no Congresso após recesso

Em entrevista ao SBT News, líder do governo no Congresso ainda comentou sobre desoneração e filiação ao PT
Brasil Agora: governo anuncia congelamento de R$ 15 bilhões no Orçamento; Trump discursa nos EUA

Brasil Agora: governo anuncia congelamento de R$ 15 bilhões no Orçamento; Trump discursa nos EUA

Confira essas e outras notícias que serão destaque nesta sexta-feira (19)
Apagão cibernético afeta companhias aéreas, bancos e emissoras ao redor do mundo

Apagão cibernético afeta companhias aéreas, bancos e emissoras ao redor do mundo

Falha vem sendo relatada sobretudo por usuários da Microsoft
CNC: intenção de consumo reduz, mas satisfação com renda é a maior desde 2015

CNC: intenção de consumo reduz, mas satisfação com renda é a maior desde 2015

Crédito ainda seletivo deixa famílias de baixa renda com pouca perspectiva de compras
Parlamento israelense vota contra criação de Estado palestino

Parlamento israelense vota contra criação de Estado palestino

Partidos alegaram que ação representaria um perigo existencial para o país, provocando conflito
MEC libera consulta às bolsas ofertadas pelo Prouni; veja como acessar

MEC libera consulta às bolsas ofertadas pelo Prouni; veja como acessar

Programa ofertará mais de 243 mil vagas em universidade privadas do país; inscrições começam em 23 de julho
SBT News na TV: terremoto de 7,3 graus atinge Chile e é sentido por brasileiros

SBT News na TV: terremoto de 7,3 graus atinge Chile e é sentido por brasileiros

Confira o que foi notícia ao longo do dia e os assuntos que serão destaque nesta sexta-feira (19); assista!
Trump promete "maior operação de deportação da história dos EUA" se eleito

Trump promete "maior operação de deportação da história dos EUA" se eleito

Declaração foi feita durante discurso na Convenção Nacional do Partido Republicano
Caixa libera parcela do Bolsa Família para beneficiários com NIS final 2

Caixa libera parcela do Bolsa Família para beneficiários com NIS final 2

Recurso pode ser sacado em agências bancárias ou movimentado virtualmente
Mega-Sena acumula e chega a R$ 53 milhões; veja os números sorteados

Mega-Sena acumula e chega a R$ 53 milhões; veja os números sorteados

Quina teve 201 apostas ganhadoras, que vão receber mais de R$ 14 mil cada
Publicidade
Publicidade