Publicidade

Sem previsão de cessar-fogo, voluntários levam esperança a refugiados

Grupo Frente BrazUcra realiza resgates em zonas de conflito, além de distribuir comida, roupas e medicamentos

Sem previsão de cessar-fogo, voluntários levam esperança a refugiados
Publicidade

O dia 24 de fevereiro de 2022 estará registrado nos livros de história para as próximas gerações. Milhares morrem por dia devido à pandemia de covid-19. Enquanto isso, ninguém imaginava -- ou esperava -- ter de lidar com uma nova guerra, apesar dos indícios.

+ Leia as últimas notícias no portal SBT News

Há duas semanas, ucranianos tiveram de colocar os sonhos em uma mochila, abandonar os lares, amigos e família com destino às fronteiras para sobreviver à invasão russa. A Polônia é a principal rota de fuga e já abrigou mais de 1 milhão de refugiados. Hungria e Eslováquia aparecem na sequência com mais de 200 e 165 mil, respectivamente, exilados. O levantamento foi divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Fome, insegurança e frio, agora, fazem parte da rotina de milhares que desembarcam em territórios desconhecidos. Em meio ao cenário de horror, voluntários se unem para levar amor, esperança e atenção aos mais necessitados. Cada um ajuda como pode. O "Frente BrazUcra" é um deles e já acolheu mais de 58 pessoas. O grupo surgiu para prestar solidariedade e resgatar, a princípio, brasileiros. Atualmente, o coletivo apoia famílias de diversas nacionalidades. 

Do virtual à realidade 

Lorena Barros soube da iniciativa pelo aplicativo de mensagens Telegram -- a comunidade já ultrapassa a marca de mil membros -- e não pensou duas vezes em se juntar. Natural de Salvador, na Bahia, a terapeuta deixou o Brasil, em 2015, com destino à Irlanda para estudar inglês. Posteriormente, veio a graduação em Business. Anos mais tarde, mudou para a Inglaterra, onde mora atualmente com o marido. 

No "Frente BrazUcra", é responsável por coordenar a parte de operações, verificar a rotina de ônibus, trens, além de prestar atendimento aos emigrantes.

Alimentos comprados com doações | Reprodução/Instagram

Diariamente são distribuídos alimentos, roupas e medicamentos nas divisas dos países europeus. Com o prolongamento do conflito, é possível notar a ajuda chegando de diversos pontos. Como muitos deixam as zonas de guerra apenas com uma bagagem, a equipe criou dois canais, um nacional e um internacional, para arrecadar dinheiro e comprar itens básicos, pagar transporte e acomodações. 

"Hoje, precisamos de alimentos. Para entrar na Ucrânia, o carro precisa estar cheio. Os medicamentos estão críticos. Quem está no Brasil, por exemplo, e quer ajudar: é com arrecadação", explica em entrevista ao SBT News

Pelo Instagram, Clara Magalhães, idealizadora do projeto, mostra como é feito o resgate e a entrega dos produtos.

Portas abertas

Ao menos 33 países se solidarizaram e estão recebendo refugiados. O Brasil está na lista e já recebeu 20 ucranianos, cinco argentinos, um colombiano, além de 14 crianças e animais.

No início do mês, o governo Bolsonaro publicou portaria prevendo visto humanitário por 180 dias, com possibilidade de solicitar residência por tempo indeterminado. Os imigrantes poderão trabalhar, nos termos da legislação vigente.

O conflito pode estar longe do fim. Nesta semana, os ministros de Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, e Rússia, Sergei Lavrov, fizeram uma reunião na cidade de Antalya, na Turquia, e não chegaram a um acordo para cessar-fogo.

Publicidade
Publicidade

Assuntos relacionados

cessar-fogo
russia
ucrania
invasao russa
ajuda
voluntariado
andrezza-pugliesi
mundo
internacional
sbt
sbtnews
portalnews
ajuda humanitaria
frente brazucra
refugiados
guerra na ucrania

Últimas notícias

Flagra: Macaco foge de zoológico e vai parar em presídio no RJ

Flagra: Macaco foge de zoológico e vai parar em presídio no RJ

Caso foi registrado na zona norte da capital; bichinho circulou pela penitenciária até ser resgatado
Rendimento mensal do 1% mais rico é quase 40 vezes maior que dos 40% mais pobres no Brasil, diz IBGE

Rendimento mensal do 1% mais rico é quase 40 vezes maior que dos 40% mais pobres no Brasil, diz IBGE

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) aponta aumento no valor médio recebido em 2023, mas desigualdade segue alta
EXCLUSIVO: Gilmar Mendes rebate relatório dos EUA e defende Moraes: "Nenhum excesso"

EXCLUSIVO: Gilmar Mendes rebate relatório dos EUA e defende Moraes: "Nenhum excesso"

"O que mostram como irregular são processos de caráter sigiloso, como a quebra de sigilo. Absolutamente normal", disse o decano ao SBT
Com doença cônica, menino corre risco de perder movimentos do corpo

Com doença cônica, menino corre risco de perder movimentos do corpo

Garotinho precisa de remédio injetável semanal e caro, mas medicamento está em falta na rede pública de saúde de São José dos Campos (SP)
Mapa Mundi ao vivo: Israel ataca Irã e homem-bomba em consulado iraniano em Paris

Mapa Mundi ao vivo: Israel ataca Irã e homem-bomba em consulado iraniano em Paris

SBT News também traz entrevista com presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e atualiza informações sobre a invasão russa
Temos prendido muito e prendido mal, diz Gilmar Mendes

Temos prendido muito e prendido mal, diz Gilmar Mendes

Ao SBT, decano do STF afirma buscar conter assimetria social com julgamento sobre drogas: "Não se trata de permitir o uso para recreação"
Homem em fuga invade casa e faz mulher refém em Salvador

Homem em fuga invade casa e faz mulher refém em Salvador

Região do Subúrbio Ferroviário vive semana de tensão, com mortes e tiroteios; criminoso morreu em confronto
3ª Guerra Mundial? Estamos longe, mas mais perto do que há 20 anos, diz especialista

3ª Guerra Mundial? Estamos longe, mas mais perto do que há 20 anos, diz especialista

Analista político Uriã Fancelli vê uma espécie de Guerra Fria 2.0 entre EUA, China e Rússia e comenta temor de conflito ampliado no Oriente Médio
VÍDEO: Kombi em chamas atropela motociclista no RJ

VÍDEO: Kombi em chamas atropela motociclista no RJ

Caso foi registrado em Nova Iguaçu; veículo pode ter sofrido pane elétrica e piloto se jogou no chão para escapar do pior
Nova espécie de dinossauro identificada homenageia Tieta do Agreste

Nova espécie de dinossauro identificada homenageia Tieta do Agreste

Animal pré-histórico viveu no Recôncavo Baiano cerca de 130 milhões de anos atrás
Publicidade
Publicidade